Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Cresce para 53 o número de países e territórios com casos da variante indiana, diz OMS
Foto: Reprodução/Pixabay

Uma atualização sobre a identificação da variante indiana do coronavírus feita pela Organização Mundial de Saúde (OMS) mostra que casos da mutação já foram registrados oficialmente em 49 países e 4 territórios. O relatório foi publicado nesta quarta-feira (26) e mostra oito novas áreas em relação ao boletim da semana passada.

 

O Brasil foi um dos países que entraram na lista. Na semana passada a variante indiana do coronavírus foi identificada no Maranhão e foi é o primeiro caso da cepa no país. A informação da confirmação do primeiro caso foi divulgada pelo secretário da Saúde, Carlos Lula, na quinta-feira (20). O secretário ressaltou que um estudo genômico realizado em 15 amostras identificou a variante indiana em seis. O primeiro paciente com a cepa foi um tripulante indiano de um navio que atracou no litoral de São Luís (leia mais aqui).

 

De acordo com reportagem do G1, a OMS sinalizou que já recebeu informações da presença da variante indiana B.1.617, em mais sete países e territórios, incluindo nações que são referência no combate à pandemia, como China e Nova Zelândia, o que eleva o total de áreas afetadas para 60. Essas informações, porém, são de fontes não oficiais e ainda não foram confirmadas.

 

A OMS informa no relatório que a variante é mais contagiosa e diminui a eficácia das vacinas da Pfizer e de Oxford/AstraZeneca, mas ainda é investigado se ela está relacionada a quadros mais graves de Covid-19 e se ela aumenta o risco de reinfecção.

Histórico de Conteúdo