Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Após 3 mortes no RS, entidade médica faz alerta sobre uso de nebulização com cloroquina
Foto: Agência Pará

A Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT) divulgou um alerta para que médicos não submetam pacientes com a Covid-19 a nebulização com comprimidos triturados de cloroquina. A entidade divulgou uma nota nesta quinta-feira (25). Nesta semana três pacientes submetidos ao procedimento em uma cidade do Rio Grande do Sul acabaram morrendo (lembre o caso aqui).

 

A nota ressalta que o medicamento pode causar danos ao sistema respiratório e o procedimento também pode contaminar o ambiente com partículas virais.

 

A cloroquina e hidroxicloroquina, assim como o antiparasitário ivermectina, não têm eficácia contra a Covid-19 comprovada cientificamente. Nesta semana, a Associação Médica Brasileira defendeu que ambos sejam banidos do tratamento da doença.

 

"Uma das práticas que tem se difundido, inclusive com apoio de políticos e formadores de opinião, é a inalação de comprimidos de cloroquina macerados [triturados] e diluídos em soro fisiológico. Essa prática é certamente danosa ao já combalido sistema respiratório do paciente", alertou a SPPT.

 

A entidade ainda lembrou que o comprimido de cloroquina tem talco e outras "substâncias agressoras" em sua composição. O acúmulo desse material nas vias respiratórias pode causar consequências a longo prazo, como insuficiência respiratória crônica.

Histórico de Conteúdo