Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Ouvidoria em Saúde abre canais para denúncias sobre vacinação da Covid-19
Foto: Agência Brasil

A Ouvidoria em Saúde de Salvador disponibilizou canais para receber denúncias de possíveis desvios éticos de servidores vacinados fora da lista aconselhada pelo Ministério da Saúde. O serviço foi divulgado pela prefeitura nesta quinta-feira (21).

 

Os interessados podem fazer a constestação pela central Fala Salvador discando 156; pela opção Fale Conosco do site da Secretaria Municipal da Saúde (veja aqui) ou pelo e-mail ouvidoria.saude@salvador.ba.gov.br .

 

Os atendimentos também podem acontecer presencialmente na sede da SMS, na Rua da Grécia, 3A – Comércio, de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 08h às 12h e das 13h às 17h.

 

A Secretaria Municipal da Saúde também publicou, nesta quinta-feira (21), no Diário Oficial do Município, uma portaria que obriga o cumprimento integral do estabelecido pelo Governo Federal para esse momento da campanha no país.

 

O regramento reitera que as cerca de 45 mil doses destinadas à Salvador nesse primeiro lote sejam direcionadas para vacinação dos trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente do enfretamento à pandemia, além de pessoas idosas residentes em Instituições de longa permanência e indivíduos a partir de 18 anos de idade com deficiência que moram em entidades inclusivas.

 

A norma que inibe a ocorrência de desvios éticos prevê a responsabilização aos servidores vacinados erroneamente, desde que comprovado o dolo ou culpa dos agentes. 

 

“Toda estrutura montada para vacinação contra Covid-19 em Salvador torna muito difícil que alguém seja imunizado sem estar previsto. No entanto, publicamos uma portaria para tratar com mais rigor aquele servidor que de maneira deliberada burlar o que foi estabelecido pelo Ministério da Saúde. Tudo isso para que o processo de imunização ocorre da forma mais transparente possível em nossa cidade”, comentou o secretário municipal da Saúde, Leo Prates.

Histórico de Conteúdo