Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Bahia terá agulhas e seringas suficientes para vacinação de todo o estado, diz Vilas-Boas
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Diante da batalha entre o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), para a aquisição de insumos úteis ao processo de imunização contra a Covid-19 que deve ocorrer no Brasil em 2021 (veja aqui), a Bahia está alheia.

 

O secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, procurado pelo Bahia Notícias nesta sexta-feira (18), garantiu que os insumos já contratados pelo governo estadual serão suficientes para vacinar todos os habitantes do estado. No início de dezembro, o governo baiano comprou 16 milhões de agulhas e seringas (reveja aqui), para juntar aos materiais que o estado já tem e garantir a imunização da população. 

 

A única preocupação do governo baiano é a possibilidade dos insumos não chegarem ao estado, como ocorreu com respiradores importados pelo Consórcio Nordeste, que foram “sequestrados” pelos Estados Unidos em abril (relembre aqui). Vilas-Boas, entretanto, afirmou que considera “pouco provável” que o mesmo ocorra com as agulhas e seringas.

 

No planejamento da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), as agulhas e seringas devem chegar até a metade do mês de janeiro, a tempo do início da vacinação no país, que deve começar após a aprovação dos imunizantes pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

Vilas-Boas tem reforçado, porém, que a vacinação não ocorrerá toda de uma vez. Os mais jovens, sem fatores de risco para o agravamento da Covid-19, devem ser imunizados apenas a partir do segundo semestre de 2021, dando prioridade a profissionais de saúde, idosos e pessoas com comorbidades.

Histórico de Conteúdo