Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Nos EUA, mais bebês negros morrem quando acompanhados por médicos brancos, diz estudo
Foto: Divulgação

A taxa de mortalidade de bebês negros é maior quando eles são atendidos por médicos brancos. Foi o que constatou um estudo National Academy of Sciences, dos Estados Unidos (EUA).

 

Segundo informações do G1, a pesquisa mostra que os bebês negros morrem três vezes mais do que os brancos. No entanto, quando eles são atendidos por médicos negros, esse número cai pela metade.

 

A conclusão foi feita com base no acompanhamento do nascimento de mais de 1,8 milhão de crianças entre os anos de 1992 e 2015 no estado da Flórida. O levantamento partiu de um grupo de pesquisadores das universidades George Mason, Harvard e do Minnesota, identificando a raça do médico na hora do parto.

 

Por outro lado, a taxa de mortalidade de crianças brancas não se alterou, independente de quem realizou o parto. Hospitais que estão acostumados a fazer partos de crianças negras apresentaram menos óbitos, em média.

 

O motivo para isso acontecer ainda não pode ser determinado, segundo o coautor do estudo e professor da universidade de Mason, Brad Greenwood. Na visão da outra coautora, Rachel Hardeman, a situação provavelmente acontece por causa do legado do racismo estrutural. 

 

Para Hardeman, mulheres negras, por sofrerem com o racismo e terem menor condição socioeconômica em geral, correm mais risco de apresentarem problemas de saúde durante a gravidez.

 

Até o ano de 2017, os EUA mostraram que a mortalidade de bebês negros era duas vezes maior do que brancos, asiáticos e hispânicos. 

Histórico de Conteúdo