Farmacêuticas  prometem respeitar protocolos para desenvolver vacina contra Covid
Foto: Reprodução/Pixabay

Nove importantes empresas farmacêuticas se comprometeram publicamente a garantir que os padrões científicos serão respeitados na busca por uma vacina contra a Covid-19. A promessa se tornou pública nesta terça-feira (8). A companhias Pfizer, GlaxoSmithKline, AstraZeneca, Johnson & Johnson, Merck & Co, Moderna, Novavax, Sanofi e BioNTech asseguraram que vão observar padrões de segurança e eficácia.

 

As empresas divulgaram um comunicado em que afirmam que vão manter “a integridade do processo científico enquanto trabalhavam para os registros regulatórios globais e aprovações das primeiras vacinas contras Covid-19".

 

Em meio à corrida para encontrar a vacina e começar a produzi-la em grande escala, se debate sobre acelerar as ações necessárias para controlar a Covid-19 e impulsionar os negócios e o comércio globais. Reportagem do G1 lembra que a agência americana responsável pela regulação de drogas e alimentos (FDA) chegou a citar a possibilidade de que as vacinas contra a doença poderiam estar isentas da fase três dos ensaios clínicos. Nesta etapa a imunização é testada em voluntários e serve para validar uma vacina, caso as autoridades considerem que os benefícios superam os riscos. A reação da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi um pedido de cautela.

 

As empresas e parcerias que vem trabalhando no desenvolvimento da vacina ainda não têm dados de ensaios em grande escala que mostram os resultados das vacinas, traz a reportagem que ainda acrescenta que a Rússia concedeu aprovação para uma vacina contra Covid-19 em agosto. Nesta terça (8), o governo russo liberou o primeiro lote para aplicação na população em geral.

 

Para que uma vacina seja aprovada e possa ser utilizada são necessários ensaios clínicos com grupos controle que não receberam a vacina em questão. Os participantes e aqueles que trabalham no ensaio não devem saber a que grupo pertencem, diz a matéria.

Histórico de Conteúdo