Covid-19: Senai seleciona 600 empresas nacionais para produção de EPI's
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) selecionou 600 indústrias nacionais para aprender a produzir equipamentos de proteção individual (EPI) contra o novo coronavírus. A consultoria será feita em um treinamento online, por meio do Edital de Inovação da organização.

 

Segundo a Agência Brasil, durante as oito horas de treinamento os consultores ajudam na elaboração de um plano de ação, orientam sobre exigências regulatórias e assinam a adequação do novo processo produtivo às instalações industriais.

 

Na semana passada, o Senai anunciou 350 empresas na segunda chamada do projeto, que vai ensinar especificações técnicas e normas que garantam a eficácia de produtos como máscaras, álcool em gel e aventais hospitalares. Elas se juntam às 250 já treinadas a partir da primeira chamada, em junho. Entre as novas participantes há indústrias de 20 estados, 280 delas são empresas de micro ou pequeno porte.

 

O diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, contou que empresas de setores com processos produtivos próximos são grande parte das selecionadas, como indústrias têxteis e de confecção, que teriam maior facilidade de produzir máscaras, por exemplo. "No caso do álcool em gel temos situações interessantes, como uma empresa que produzia aguardente, uma cachaçaria, que viu uma oportunidade e até um apelo. Havia um problema claro de abastecimento, e eles tiveram papel decisivo", disse sobre a cachaçaria Jiboia, do Acre, uma das participantes da primeira etapa.

 

Apesar da busca por reduzir a dependência de importações, o diretor avalia que a discussão sobre a eficiência produtiva se mantém. "É uma questão de soberania, de criar empregos e gerar melhores empregos. Nenhum país se desenvolveu sem apostar em indústrias". Ele também argumenta que a produção de EPIs ajudou empresas de setores mais atingidos a se manterem ativas e "salvar empregos".

Histórico de Conteúdo