Ufba pede que Hospital Salvador não aceite pacientes com Covid e Neto ataca reitor
Foto: Divulgação

O prefeito ACM Neto criticou duramente nesta sexta-feira (3) o reitor da Universidade Federal da Bahia, João Carlos Salles, e a decisão da unidade de ensino superior de ingressar na Justiça para impedir que pacientes diagnosticados com Covid-19 sejam encaminhados pela gestão municipal ao Hospital Salvador. 

 

A prefeitura montou 10 leitos de UTI destinados aos pacientes com coronavírus no Hospital Salvador, mas está impedida de colocá-los em funcionamento por decisão do Tribunal Regional Federal (TRF). A ação acatada pelo tribunal, segundo o prefeito, trata-se de uma “postura inaceitável” do reitor. 

 

Segundo interlocutores da prefeitura, a Ufba alega na Justiça que alugou um dos andares do Hospital Salvador para o funcionamento da maternidade Climério de Oliveira, o que impediria o trânsito de pacientes diagnosticados com Covid-19 no restante do Hospital.
 

Em resposta, a gestão municipal diz que fez intervenções na unidade e garantiu toda a segurança para o funcionamento das duas áreas, inclusive com sistemas de climatização independentes. 

 

A ideia da prefeitura era que o Hospital Salvador pudesse se tornar referência no tratamento pediátrico durante a pandemia. Por conta de pareceres positivos que o governo do estado deu ao funcionamento dos leitos, a universidade também processa judicialmente a gestão do governador Rui Costa. 

 

"Assinamos contrato, demos ordem de serviço e estamos com os leitos prontos [para encaminhar pacientes para o Hospital Salvador]. Fizemos investimos físicos no hospital, portanto, gastamos recursos públicos, mas estamos impedidos de enviar pacientes. Postura inaceitável por parte do reitor da Ufba, que eu espero que seja revista na Justiça”, disse o prefeito ACM Neto em entrevista coletiva, nesta sexta, sobre o caso.

 

Para Neto, o reitor João Carlos Salles não está ajudando a gestão no combate a doença. "Lamento que esteja acontecendo. Houve inicialmente uma decisão da Justiça Federal aqui em Salvador que só conseguimos reverter graças a sensibilidade do juiz da causa, e aí a Universidade Federal da Bahia que infelizmente não está ajudando, o reitor está tendo uma postura lamentável em relação a necessidade da ampliação dos leitos de UTI. Não é justo o que o reitor da Ufba está fazendo em relação ao Hospital Salvador e aí eles foram ao TRF, na minha opinião, inclusive, usando argumentos absurdos", disse. O prefeito prometeu recorrer. 

 

Em junho, ACM Neto havia anunciado que o Hospital Salvador passaria a atender exclusivamente casos de coronavírus. A unidade passou a ter leitos disponíveis após processo licitatório, que estariam disponíveis caso a universidade não tivesse interpelado a gestão na Justiça. 

 

Procurado, o reitor João Carlos Salles não respondeu às ligações da reportagem até a publicação. 

Histórico de Conteúdo