Brasil amplia monitoramento do coronavírus; todo paciente com gripe será testado
Foto: Reprodução/FreePik

O Ministério da Saúde ampliou o monitoramento do coronavírus. Uma nova determinação da pasta indica que as unidades de saúde passem a testar para o Covid-19 todos os pacientes que derem entrada em postos de saúde, UPAs ou hospitais com quadro gripal leve ou grave, independentemente do histórico de viagem das pessoas ao exterior.

 

A medida vale para amostras com resultado negativo para outros vírus gripais em cidades com casos confirmados da doença. A partir da determinação, o Ministério da Saúde adota a terceira definição da Organização Mundial de Saúde (OMS) de caso suspeito de coronavírus.

 

A definição da OMS para que sejam testados pacientes internados com casos graves tem o objetivo de identificar uma eventual transmissão comunitária, que ocorre quando não é possível rastrear a origem da infecção.

 

"Pode ser que possamos identificar a transmissão comunitária do vírus no Brasil, como o Canadá já fez. Por isso, aumentamos a sensibilidade da vigilância na busca por uma suposta transmissão comunitária do coronavírus, o que nos permitirá organizar melhor e mais rápido o nosso sistema operacional", disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo.

 

Os testes para coronavírus serão realizados em pessoas que não viajaram ao exterior nem tiveram contato no Brasil com casos confirmados. Nesta situação, serão investigados os pacientes internados em cidades com casos já confirmados de coronavírus e que apresentam quadro grave, ou seja, Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

 

A outra situação é a realização dos testes para coronavírus em pacientes com gripe leve, ou seja, Síndrome Gripal (SG), atendidos nas Redes Sentinela, presentes em postos de saúde, Policlínicas e hospitais. A prioridade também será para as cidades com casos já confirmados de coronavírus. Nessas unidades de saúde, os quadros gripais já são regularmente testados por amostragem para diversos vírus, e agora também serão testadas para coronavírus.

Histórico de Conteúdo