Após decisão do STF sobre 2ª instância, médico que cobrava por partos no SUS é solto
Foto: Ilustrativa/Reprodução/iStock

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que acabou com a prisão após segunda instância beneficiou um médico paulista Emerson Algerio Toledo. O profissional cobrava para fazer o parto de mulheres no Sistema Único de Saúde (SUS).

 

O médico, de acordo com a Veja, atuava na região de Jales, cidade no interior de São Paulo. Emerson Algerio foi condenado a oito anos e três meses de prisão, em regime fechado, por exigir de grávidas atendidas pelo SUS pagamentos pela realização de partos por cirurgias cesarianas.

 

Ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2012, mas só foi preso em outubro deste ano, após recurso no Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Após a decisão do STF, no início de novembro, o médico foi colocado em liberdade no mesmo mês.

Histórico de Conteúdo