Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 05 de Dezembro de 2018 - 11:00

Psicólogo defende mudanças políticas e culturais relacionadas ao consumo de álcool

por Renata Farias

Psicólogo defende mudanças políticas e culturais relacionadas ao consumo de álcool
Foto: Claudia Cardozo / Bahia Notícias

O Brasil celebra, em 9 de dezembro, o Dia do Alcoólico Recuperado. Apesar de pouco conhecida, a data é importante para comemorar a vitória das pessoas que conseguiram superar o alcoolismo. Ainda assim, a atenção deve ser diária e permanente para que a dependência não retorne.

 

"Nosso organismo tem uma memória neurológica. Mesmo que a pessoa pare de beber por cinco anos, quando ela volta a beber, é como se não tivesse parado. Com três ou quatro dias, já está no mesmo nível de consumo de quando parou. Quando a pessoa retorna, a dependência se instaura rapidamente", alertou o psicólogo Ricardo Melo, coordenador do Centro de Acolhimento e Tratamento de Alcoolistas (Cata), das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid).

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, ele lembrou que um dos passos do grupo Alcoólicos Anônimos (AA) é "por hoje eu não vou beber", justamente pela necessidade de manutenção do tratamento.

 

Para o profissional, é importante evidenciar os riscos e prejuízos relacionados ao álcool, da mesma forma que são realizadas campanhas contra o uso de cigarro. "A gente precisa evidenciar um pouco mais isso por mudanças políticas e culturais de consumo. A gente vê a política antitabaco. Nos últimos 15 anos, houve uma política de restrição do consumo, aumento de imposto e isso realmente teve um efeito positivo, principalmente no Nordeste. Com esse controle, melhora a qualidade de saúde da população", ressaltou.

 

Na entrevista, Melo falou ainda sobre os primeiros sinais de que o consumo de álcool se tornou um problema, os riscos relacionados ao consumo abusivo e as bases do tratamento para controle do alcoolismo. Clique aqui e leia a entrevista completa na coluna Saúde!

Histórico de Conteúdo