Sábado, 31 de Janeiro de 2015 - 00:00

‘As pessoas estão mais atentas ao combustível do carro do que seu alimento’, diz nutricionista

por Tarsilla Alvarindo. Foto: Léo Marques | Bahia Notícias

‘As pessoas estão mais atentas ao combustível do carro do que seu alimento’, diz nutricionista
Foto: Léo Marques | Bahia Notícias
Com o início do ano, muitas pessoas buscam mudanças de hábito. Entre elas, uma das principais é a dieta. Entretanto, este período pode ser bom não para uma restrição alimentar temporário, mas sim, para um trabalho de reeducação alimentar para a vida. É o que prega a nutricionista e mestra em biotecnologia Márcia Cristina Almeida Magalhães. Em entrevista ao Bahia Notícias, Márcia falou da pouca prioridade que as pessoas dão para a alimentação no dia a dia. “Hoje a gente percebe que as pessoas estão muito mais atentas ao combustível do carro do que ao seu próprio alimento. Promover uma reeducação alimentar realmente tem sido uma batalha, mas um dos pontos que a gente começa é assim: - beba mais água!”. Márcia também comentou sobre os excessos no carnaval e receitas de sucos detox naturais com frutas da estação. “Nós temos condimentos e frutas suficientes para fazer inúmeras receitas detox, inúmeros sucos antioxidantes e viver muito bem”. Leia a entrevista completa na Coluna Saúde.

 


Fotos: Léo Marques | Bahia Notícias


É comum que no início do ano as pessoas iniciem dietas, das mais diversas. Dieta de pontos, dieta das frutas etc... Mais comum ainda é desistirem no meio do caminho. Essas dietas sem acompanhamentos interrompidas aleatoriamente oferecem algum risco? 

 
Com certeza, porque o que a gente sempre preconiza são as mudanças de hábitos alimentares, e mais, mudança de hábitos de vida. A gente está vendo a população engordando cada vez mais, com problemas de pressão alta, diabetes, colesterol elevado e não apenas a população adulta. Falo principalmente de crianças, gente tem visto isso muito em consultórios.  A gente trabalha focado na reeducação alimentar. A nossa ideia é que você possa num dia comer até um pouco menos porque exagerou, no dia anterior, mas isso não é o ideal. O ideal é que a gente mantenha um padrão de normalidade, que a gente coma frutas, mas também beba água. Se um dia você acabou consumindo um pouco mais de bebida alcoólica lembre-se o seu fígado trabalha igual todos os dias, para ele tanto faz se é sábado, se é domingo, se é feriado e muitas vezes quando as pessoas querem tentar resolver o prejuízo, por algumas coisas que comeram em excesso aí vem para dietas radicais, como dieta da proteína, dieta com restrições calóricas intensas e a gente tem que ver que o funcionamento do corpo.  Ele precisa de vitaminas, minerais, fibras, de água e a maioria dessas dietas são pobres nesses minerais e vitaminas. Então você percebe que de início a pessoa emagrece até rápido, mas por ser uma dieta tão limitante, ela não vai conseguir conviver. Eu até brinco assim: é uma dieta que pra dar certo é necessário “mudar de planeta”! Porque a gente vive num mundo onde temos que aprender a conviver com o que se é vendido aqui, tendo consciência do que é saudável, para a gente aprender a escolher de uma forma melhor. É claro que existem várias questões envolvidas como marketing e a questão do preço. Hoje a gente infelizmente tem visto que alimentos saudáveis estão com o preço elevado. Mas se a gente for às feiras livres, como nossos avós faziam, a gente encontra bons alimentos com preço accessível. E não precisa ser tão limitante, tipo só comer proteína para emagrecer. O emagrecimento não é apenas uma questão de nutrientes ou caloria, é um conjunto de fatores. Por que correr tanto, limitar tanto nas suas escolhas, sem saber de fato se você irá perder peso ou se você está de repente perdendo músculo ou se você está se desidratando? Esse é um dos pontos mais importantes. Não é apenas emagrecer: é perder gordura, preservando sua hidratação, a água do seu corpo e a sua composição principalmente muscular.

 
Qual é o risco de uma dieta a base de proteínas? Que malefício isso pode trazer para o corpo?

 
Têm vários, por exemplo: a proteína gera compostos tóxicos no seu metabolismo, como o excesso de amônia. Isso provoca uma sobrecarga renal. Os rins são nossos filtros e são de extrema importância. Então se você já tem um paciente que é hipertenso e está acima do peso, já tem um outro problema renal e ainda faz uma dieta dessa, você acaba sobrecarregando esse rim. Outro ponto: essas dietas muito restritivas e são pobres em fibras. A pessoa já não bebe água suficiente, principalmente nesse período de calor em que estamos, e ainda consome excesso de alimentos cozidos, sem fibras. Então, aumenta o risco de constipação, dificuldade de ir ao banheiro, que por sua vez aumenta o risco de hemorroidas, de outras doenças. A hemorroida é muito comum hoje na população, justamente porque ela é uma dieta muito pobre em fibras, pobre em vitaminas, pobre em saladas, em frutas, mas assim, além de tudo isso tem a questão do conforto. A alimentação tem que ser algo prazeroso, então você não pode se limitar apenas a comer um tipo de alimento. O ideal é que seja uma alimentação colorida, variada, que tem uma opção boa, tenha tempero, que tenha alegria, porque aí ela irá se tornar uma dieta confortável. E se ela é confortável, você consegue dar continuidade por mais tempo, sem precisar ser o tempo todo restritiva, você se privando de sair com seus amigos, você se privando de repente de frequentar a casa de parentes, porque você está com uma dieta tão limitada. É o seguinte: não é só emagrecer, é emagrecer e se manter saudável, com uma boa constituição de músculos e água (eu sempre ressalto isso), claro, reduzindo o ter de gordura, já que é o excesso de gordura que está associado às doenças. A gente tem que quebrar aquele mito de que dieta tem que ser algo sofrido, na base do chicote. A alimentação saudável é uma alimentação com sabor e que deve se perpetuar ao longo da vida da gente. Isso é o mais importante.

 
Promover uma reeducação alimentar não parece ser uma tarefa fácil, ainda mais na correria do dia-a-dia em que comer fora Às vezes é única opção. Se come muita besteira, muito sanduíches, fastfood, e tudo mais... Qual é a melhor forma para que a gente consiga manter, começar mesmo, esse processo de reeducação e manter a longo tempo?

 
Então quando a gente fala de mudanças de hábitos de vida, é a questão da prática de atividades físicas, é o foco naquilo que a gente tem como saúde e um desses pontos é a alimentação, que é o seu combustível. Hoje a gente percebe que as pessoas estão muito mais atentas ao combustível do carro do que ao seu próprio alimento. Promover uma reeducação alimentar realmente tem sido uma batalha, mas um dos pontos que a gente começa é assim: - beba mais água! Outro que não custa dinheiro: mastigue mais devagar! Outro: observe o que você está comendo, porque se é uma alimentação monótona, sem nenhuma cor, cheia de gordura, então o seu prato precisa de um pouco mais de salada, precisa ter um pouco mais de cor, de alegria. E a gente precisa, na nossa geração, entender que a gente vem de uma geração passada que dizia que bebê saudável era aquele “gordinho”. Então tem todo um aspecto cultural envolvido nisso, do ponto de vista de que comer bem, ter uma mesa farta, é algo que pode estar associado ao sucesso. Tudo bem, mas que dentro dessa fartura, a gente escolha o que é saudável e preconize mais no nosso dia-a-dia. Outro ponto importante é a questão da psicologia. O que eu quero dizer? Por que esse boicote constante ao que é saudável, se a gente sabe o que a gente precisa?  Muitas vezes o paciente vai ao consultório, recebe uma orientação, a gente conversa, discute e quando ele começa a emagrecer, ele começa a comer aquilo que ele talvez não devesse comer tanto. E a gente se pergunta, por que tanta correria, por que estresse? Vamos viver um dia por vez, vamos tentar criar hábitos simples, no dia-a-dia. Não precisamos ter aquela teoria de dizer assim: - falar mal do que faz mal, ou seja, vamos tirar isso, tirar isso... não, vamos fazer o inverso, vamos pensar assim: se você puder acrescentar um litro de água na sua vida, por dia, ou seja, quatro copos de 250ml. É muita coisa? Não é. Mas se você for pensar em todo caso em uma semana você bebeu 7litros a mais de água e em 1 mês, 30l e em 1 ano quase um tanque de água. Olha aí a diferença para a sua pele, para os seus rins. Isso é uma coisa simples. Então, passos firmes, pequenos, mas contínuos. Outra coisa, uma maçã. Vou dar um exemplo simples: imagine que uma pessoa não coma fruta alguma. Então ela começa a comer uma maça, todo dia. Em uma semana ela comeu sete. Em um mês serão 30 e em um ano quase 400. Então olha a diferença!? Porque eu não posso abrir seu intestino e limpar ele. Então, quem que irá cumprir essa função de vassoura, limpando, eliminando o excesso de bactérias, ajudando no equilíbrio intestinal, são as frutas que você come, é claro que dentro de uma quantidade ideal. Então o que eu sugiro é que vocês pouco a pouco acrescentem bons hábitos. Mastigue mais devagar, beba um pouco mais de água todos os dias, coma um pouquinho mais de salada, não precisa ser um prato grande nem comer aquilo que você não gosta, mas comece todos os dias, principalmente no seu café da manhã, no seu almoço e no seu jantar. Tem que procurar comer coisas mais saudáveis. E saudável não quer dizer o mais caro. Os derivados de leite mais magros, eles tem um preço que você pode comprar e ao longo da semana você vai utilizando. Mesmo que você não ponha todas as frutas, mas que você escolha 2 ou 3 de cores diferentes e que você faça daquilo um hábito. 

 
Para os adultos adotar as frutas no cardápio é mais fácil. Mas com as crianças que não gostam de frutas, o que fazer? 

 
As mães que têm crianças muitas vezes falam: “ah meu filho não come fruta, não come salada”. Aí, eu pergunto: E você, como mãe ou pai, come? Nós somos exemplos para os nossos filhos. Se você não come, como é que pode cobrar dele também? Então, é a questão do exemplo, da rotina e coisas simples que você deve acrescentar diariamente, mas de uma forma muito tranquila, sem essa questão do radicalismo, que a gente muitas vezes encontra em dietas restritas.

 
Atualmente as escolas passaram a incentivar uma alimentação mais saudável, algumas adotam o dia da fruta (naquele dia todo mundo só pode levar fruta). Outras não permitem que em nenhum dia possa levar salgadinho, nem frituras, biscoitos recheados e outros alimentos considerados pouco saudáveis. Como avalia isso? Acha que tem que deixar pelo menos um dia de comer besteira, até porque é criança ou de fato é melhor adotar uma alimentação toda saudável, para que ele já cresça nesse hábito? 

 
Uma vez eu dei o seguinte exemplo para um paciente: Se você no final do ano ganhasse um carro de luxo, você iria ficar feliz, não iria? Mas se, de repente, você vai abastecer num posto de gasolina e você percebe que o carro deu o maior problema no motor, você iria ficar chateado com o posto de gasolina não iria? E a sua alimentação, seu combustível? Então você deve sempre escolher o que é o melhor para você, porque senão com o passar do tempo, vai dar problema no seu motor, porque nós somos um grande sistema. Então o que é que eu digo? O ideal é que sempre se coma o melhor. Só que, por exemplo, a gente vive no planeta terra, num mundo de sanduíches. Então para que a gente possa de repente explicar para a criança: - olha, você até pode comer isso, mas entenda que tem coisas ali que se você comer demais vai lhe fazer mal’. E alguns alimentos, que nem sei se posso chamar de alimento, uma gordura trans, que mesmo na quantidade mínima já vai te fazer mal. O que eu sinto falta é da questão da gastronomia no sentido de se ter uma dieta saudável, mas que a culinária, a gastronomia, faça parte de forma rotineira. Então, não é só você dizer assim: ‘tire o hambúrguer’. Mas você pode fazer o dia do hambúrguer saudável para essa criança, onde você possa usar um pão integral, você possa comprar uma carne moída magra com todos os temperos. Pode ser de soja ou de frango, caso a criança não coma soja, mas soja é uma excelente opção. Além do salmão, que é delicioso, e a própria criança faria com ajuda de um responsável ao forno, é claro. Coloque um queijo magro, um alface, um molho menos calórico e de forma gostosa. Porque não é só chegar e proibir sem explicar, se deve orientar e ter alternativas mais saudáveis. Por exemplo: você pode trabalhar com sucos variados, botar uma água com gás, picolés de diferentes tipos de frutas regionais. Você pode fazer uma batata assada, tendo diversas opções que você possa trabalhar no sentido de ser um lanche, mas transformar aquele lanche em algo mais saudável. Porque não é só cortar por cortar, é necessário explicar e variar. Porque o mundo está aí, as propagandas estão aí, as crianças têm contato com isso.

 
Uma alternativa hoje que é vista muito para substituir os salgadinhos são aquelas bananas chip. Então, você acha que é algum tipo de substituição válida?

 
É uma opção. Além da banana, existem também as castanhas e as maçãs. São opções que talvez não sejam as melhores pela questão do sal, mas não deixa de ser uma opção. Aí entra a questão da reeducação da variedade. Então se um dia ele comeu uma banana, no outro ele come um salgado integral, no outro ele come uma salada de frutas. Porque quanto mais você variar, mais equilibrada vai estar. A grande questão é que a gente tem a liberdade de fazer uma comida gostosa saborosa, saudável, lanches criativos que a criançada adora e os adultos gostam da forma saborosa. Eu bato muito nessa tecla, reeducação alimentar tem que vir acompanhada de comida com sabor, que dê prazer. Porque a pessoa vai sentir, vai sentar-se a mesa e vai comer com os olhos, vai se alimentar bem e vai ficar feliz.
A senhora falou que a reeducação alimentar requer também uma mudança nos hábitos de vida. Quais seriam essas mudanças? 
Agora, não é apenas uma questão de alimentação no mundo de hoje. Eu sempre chamo a atenção que a prática de atividade física é fundamental. A gente vem de uma geração sedentária, do carro, do controle remoto, do elevador. Hoje você vê assim, quantas pessoas dedicam pelo menos 1 hora para fazer uma atividade física? Isso vai desde a academia a um yoga, vai conforme o que dá prazer. Eu sempre digo, o que te dá prazer, faça por mais tempo. Se você pega uma dieta muito restrita você não suporta por muito tempo. Se você faz uma atividade que não te dá prazer você não suporta por muito tempo. Então faça uma alimentação saudável com coisas que te fazem bem, acrescentando gradativamente alimentos mais saudáveis com mais cores, com mais fibras, continuamente e de forma constante.  Faça um pouco mais de atividade. E, se está no meio de uma fase com muito estresse, com muita ansiedade, procure um psicólogo. Já pensou em fazer uma terapia? É fundamental. Aquele ditado: mente sã, corpo são é fundamental pra saúde. O psicólogo vai te dar ferramentas para enfrentar seus medos, para enfrentar tudo aquilo que te boicota. E isso é importante no processo de reeducação alimentar. Isso é muito maior do que só a questão da alimentação. Mas a alimentação é fundamental pois é o seu combustível, você precisa comer bem. E isso gente, não adianta brigar com o nutricionista não, é briga lá em cima com Deus. Foi Ele quem fez a máquina, que disse como tinha que ser. A gente é que mistura tudo e faz errado.  

 
Muita gente julga e diz que o outro não teve força de vontade para continuar a dieta. Mas recentemente vi um estudo que falava que perder peso não é só uma questão de força de vontade. Mostrava que não, que existem outros fatores que precisam ser levados em consideração, como aquelas pessoas que não conseguem parar de comer, por questões psicológicas, que sentem necessidade o tempo inteiro, tem pessoas que tem problemas genéticos. O que acha disso?

 
Tem questões genéticas. Por exemplo, eu estudei polimorfismo aqui na nossa população baiana. Estudamos pacientes magros e obesos, afrodescendentes e estudamos polimorfismo associado à gordura, que capta uma enzima e armazena. Então, o que é polimorfismo? É uma alteração na sequencia de DNA que faz com que aquela enzima não funcione. Percebemos que nos obesos existia uma prevalência de um polimorfismo, ou seja, em algumas pessoas parece que tem o sinal verde da fome aberto por mais tempo, mas isso não é só genético. Exemplo, imagine um revólver armado, ele só dispara se alguém puxar um gatilho. A mesma coisa a questão da genética obesidade. Você nasce com a predisposição que herdou dos seus pais, mas o ambiente ou quem dispara o gatilho é você. Então quando você começa a comer mal, se estressar, a ficar sedentário você esta disparando o gatilho para desenvolver a doença, porque você já veio com essa predisposição genética. Por isso modular o ambiente, fazer com que você tenha acesso a uma alimentação mais saudável fazer mais atividade física, fazer você trabalhar o seu eu é muito importante, porque a comida pode ser um instrumento de fuga e muitas pessoas acabam se viciando, porque comer dá prazer. Quem vai negar? O hábito de comer é cultural. Muitas vezes ao irmos a uma festa, antes mesmo de sabermos dos amigos já queremos saber qual vai ser o cardápio. Outra coisa, as pessoas pulam muito as refeições, e concentram tudo a noite. Só que a noite você tem que dormir, você não vai gastar. Então o corpo sabiamente armazena isso em forma de gordura. Não é papo de nutricionista, é fisiologia mesmo. A gente não precisa fazer um super café, mas deve quebrar o jejum, fazer um almoço mais saudável. Se for comer em comida a quilo, procure ver ao seu redor o que você pode pedir, o que pode consumir um pouco mais, como vegetais. Veja a cor do seu prato. Em casa, de noite, veja a sua geladeira, o que tem de verde nela, além do pote de azeitona. Na porta. Como está de cor? Agora a dispensa esta cheia de alimentos industrializados, porque tudo tem que ser feito muito rápido. Tudo bem que a gente tem que trabalhar, mas precisamos refletir um pouco, pois alimentação também é prioridade e não pode ser deixada de lado. E às vezes a gente só lembra quando está com uma doença grave instalada. Mas nem sempre dá tempo de corrigir. Precisamos refletir sem radicalismo o que fizemos da nossa vida, sem radicalismo, sem medos, procurando um profissional que te oriente, respeitando a individualidade bioquímica. Você pode comer de tudo, (a não ser que tenha alguma doença que proibida determinados alimentos), mas com bom senso.

 
Pra uma reeducação alimentar de sucesso é necessário um estudo completo do paciente, tanto da questão psicológica quanto da questão física?

 
Claro, cada vez mais eu percebo que o trabalho é multiprofissional. A reeducação alimentar passa por diversos profissionais.  Ela precisa principalmente do nutricionista, porque ele que está gabaritado para poder ajustar e orientar a melhor ingestão do alimento, pois muitas vezes você tem deficiência e precisa equilibrar ou compensar o que está em falta no seu corpo, mas a alimentação é parte do processo. Os endocrinologistas fazem um trabalho maravilhoso, fazem exames, avaliação de tiroide e suplementação de hormônios, que às vezes ajudam na questão do metabolismo, da queima de gordura. Os professores de educação física ajudam com as atividades físicas. Já os psicólogos ajudam, procuram entender porque muitas vezes as pessoas se boicotam, usam o alimento como uma via ruim. O excesso é utilizado como veneno. Todo paciente tem uma história de vida e precisa ser respeitada tal história.  A reeducação alimentar é um dos pilares da saúde, um dos mais importantes, porque você tem contato todos os dias com alimento, a nossa máquina foi feita para ser abastecida com alimento. O que eu quero pra daqui a 20 anos? Precisamos pensar à longo prazo. Quanto mais você se dedicar, cuidar, mas sem neurose, sem radicalismo, mais você vai colher bons resultados.

 
Vamos agora partir para essa loucura de carnaval, festas open bar. Nos camarotes as opções de comidas são as mais variadas possíveis e muita gente quer comer de tudo pra fazer valer aquele valor pago. É permitido exagerar nesses dias? Tá tudo liberado?

 
Eu pergunto, fazer valer o que? O melhor é a companhia dos amigos, a alegria do momento. A bebida e comida fazem partem, mas não são tudo. As pessoas exageram, passam mal e a festa acaba. Do que adiantou? Então, tenha bom senso. Saia de casa alimentado, se possível, coma mais frutas, beba mais água, lembre-se que álcool desidratada, então você precisa beber mais água, estamos no verão, estamos dançando, gastando energia, então precisamos trabalhar com bom senso e preparar a alimentação ao longo do dia. Cuidado com excessos. Muito álcool, muita gordura, fritura sobrecarregam o fígado. O fígado é um órgão maravilhoso, é ele que protege o corpo de toxinas, como vou maltratar um órgão tão importante pra mim? As pessoas se esquecem do fígado. Cuide mais do seu fígado, você só tem um, e ele ta ali o tempo todo lhe protegendo. Vamos ter atenção a esse órgão tão importante pra digestão, para combater varias substâncias toxicas no nosso corpo. Excesso de gordura e álcool são tóxicos para o nosso corpo. Então porque nos envenenarmos dessa maneira? Quer provar o que, a quem, dessa forma? Onde esta o valor, a alegria? Só na comida e bebida ou no prazer de aproveitar a música de estar com o outro, de aproveitar a festa. Vamos fazer do alimento um combustível pra dar força e não pra destruir a festa.

 
Normalmente esses camarotes oferecem opção de comida japonesa, caldos, massas. Na hora da fome, o que é mais indicado comer, o que é mais indicado?

 
Recomendo hidratação água, suco, agua de coco.  Com relação à comida, se for uma alimentação crua, por favor, fique atento se no local tem uma nutricionista, se está bem refrigerado, sob o risco de infecção alimentar, senão come um carboidrato, uma massa, mas molhos com menos queijos, molhos mais vermelhos. Se for comer fritura, fique atento no pastel por exemplo, se estava sendo feito naquele momento, se aquela massa estava congelada, por uma questão de conservação.  Existe variedade, mas dê preferência a comer alimentos mais secos. Aquele espetinho de carne que você viu sendo preparado na hora de repente pode ser uma boa opção. Cuidado com excesso de molhos, alimentos fora de refrigeração. Cuidado principalmente com a alimentação de crianças e idosos. E, no mais, bom senso. Evite gordura, fritura, molhos que fazem uma mistura que não faz tão bem.  Coma frutas, os camarotes hoje em dia trabalham muito com frutas, alimentação, mas coma devagar, sem empanzinamento. Um fato importante é que muitas vezes as pessoas que estão bebendo não comem, então tem que ficar atento pra não correr um risco de hipoglicemia. É bom parar um pouco se alimentar, beber com moderação, até mesmo para não estragar a festa. 

 
É comum quando as pessoas saem da balada do carnaval, chega em casa e tem aquela panela de feijoada, cachorro quente, sempre comida mais calóricas e em grande quantidade. É permitido chegar em casa após uma noite de badalação comer uma feijoada e ir dormir?

 
No ponto de vista do prazer é. No ponto de vista da nutrição, cuidado, mas você pode comer um pouco de feijoada, mas experimente usar carne menos salgada, carne mais magra no seu feijão ou feijoada. Coloque um pouco de arroz, um alface, tomate, um pouco mais de fibra. E lembre-se que se você for dormir logo em seguida esse não é um alimento ideal pra te dar conforto, repouso. O ideal seria comer isso no almoço, no meio do dia, pois quando você chega, pra comer uma comida tão rica, que exige bastante digestão, você não terá um sono tranquilo. Chegando em casa, coma um pouco mais de frutas, um sanduiche mais magro.

 
Sempre que passa esse período de festa de final de ano, ano novo, surgem receitas de suco detox.  É cada vez mais comum ver as pessoas tomando sucos verdes. Eles de fato funcionam? Qual a melhor combinação?

 
Excelente pergunta. Tudo funciona se for feito da forma correta. O que a gente preconiza é variar as cores. Vou dar uma receita bem simples: um suco verde por exemplo. Pega o limão, pode deixar a casca e tirar apenas a semente. Ele é riquíssimo em vitamina C, maçã que tem pectina outras vitaminas. E o couve, folha que é uma excelente fonte de ferro e outros minerais. Bate tudo e toma. É um suco super refrescante e importante, pois é uma excelente fonte de vitaminas e minerais, e a gente precisa, pois é como se fosse a mão de obra que faz as catracas do metabolismo da gente girar. Ele gira a energia, metaboliza os açucares, e isso ajuda a agir como antioxidante de tantas toxinas que a gente acabou consumindo ou gerando. Então eu dei uma receita simples pra um suco verde, limão, maçã e couve, aí no outro dia precisa ser o mesmo? Não! Faz um amarelo. Laranja, mamão e cenoura, que já é por sua vez riquíssimo em carotenoides, bom pra pele, a gente está no verão, vitaminas C e E. Vamos fazer um vermelho? Você pode pegar morango, maçã e polpa de uva. Bota aquele suquinho de garrafa, é riquíssimo em resveratrol, que é antioxidante, protetor de coração, mas dê preferência para o suco de garrafa, não os de caixinha, que muitas vezes tem bastante açúcar.  Ou então coloque a própria fruta. Suco branco: Chegou cansado, coloque água de coco, pera e folhas de hortelã. Ele é um repositor de potássio, de minerais. Com um gelinho ele fica delicioso e refrescante. Tudo é detox, ajuda a combater radicais livres, preservar o nosso fígado, de repor as vitaminais e minerais, principalmente pra repor o que você perdeu com o álcool. A gente tem que lembrar que o álcool é um tóxico, principalmente em excesso. Um suco desse vai ajudar a promover um pouco mais de mão de obra na batalha de metabolismo do fígado que está carregado nesses dias.

 
O ideal é que se tome esses sucos por um período determinado ou podemos tomar diariamente?

 
A vida inteira. A nossa cidade é privilegiada no ponto de vista de frutas, então faça um suco amarelo, verde, amarelo, branco. Varie as cores, use as frutas da estação pois estarão mais baratas, com sabor mais doce. Pegue esses sucos e tome ao longo de sua vida. Se for época de manga, faça um suco de manga com manjericão e gelo, fica uma delícia. É detox, é saudável. E muitas vezes as pessoas pegam frutas que não vendem no Brasil e dizem que é detox, mas esquecem das nossas frutas. Temos a acerola, rica em vitamina C, que ajuda a prevenir infecção urinária. Acerola com maracujá é um suco delicioso. Use a criatividade e faça uso das frutas regionais.

 
Agora tem uma frutinha seca, a gogyberry. Ela é esse milagre mesmo que muitos falam ou é mais propaganda? Inclusive tem um estudo e diz que muitos dos super alimentos são mais marketing do que poder que o alimento tem. Alguns são produzidos em regiões específicas e poucas pessoas tem acesso, então são muito caras. 

 
Ela é boa, antioxidante, rica em vitamina C, mas quem não tem acesso ou condições, pode comprar a acerola ou a laranja lima, frutas riquíssimas em vitamina C e que nós temos aqui. As outras frutas são boas? Sim. Tem o poder de ajudar? Sim. Mas uma alimentação desequilibrada com excesso de álcool, fritura, excesso de carnes, uma fruta não vai ajudar. Aí seria milagre. E milagre não existe, o que existe é bom senso. Então coma bem, beba mais água, mastigue mais devagar. Você pode ter acesso ao gogyberry, mas lembre da sua acerola, da sua pinha, sua laranja, limão, couve folha, coentro, salsa. Nós temos condimentos e frutas suficientes para fazer inúmeras receitas detox, inúmeros sucos antioxidantes e viver muito bem.

 
Só pra gente finalizar, vou tocar no ponto das praias, pois lá vendem de tudo, mas nem sempre são alimentos que parecem ser saudáveis. Tem alguns que muita gente gosta, como as ostras, mas morrem de medo. É permitido? O que é realmente recomendado para a praia?

 
É muito perigoso, principalmente pelo risco de infecção e outros riscos maiores também, principalmente se você tem crianças, então o ideal seria levar de casa os seus alimentos. Não estou falando com relação a um acarajé gostoso, que você até pode consumir lá. Mas você também pode levar um pãozinho com queijo enrolado num papel alumínio, pode levar também seu suco de véspera, congelado numa garrafa plástica, porque assim você terá sempre um suco gostoso para oferecer para a criança ou então a água de coco. Você pode levar frutas como uma banana, frutas que não precisam ser descascadas com faca. Aí entra a banana e outras escolhas que não são caras, que você poderá levar o máximo possível da sua casa, para se manter hidratado. Já os riscos são todos os que você tem de comer fora de casa como: infecção por tóxicos, diarreias... porque são alimentos que você não sabe como foram manipulados. Se for levar da sua casa, não leve biscoito recheado, porque pode dar diarreia, evite também chocolate porque é extremadamente quente, derrete, dê preferência para os alimentos secos como as frutas e bastante hidratação. No mais, é bom senso e sempre se cuidar. Cuidado com as pessoas que estão manipulando dinheiro e mexendo nos alimentos.


Histórico de Conteúdo