Viver Bem: Saúde da Pele em tempos de coronavírus - o que muda nos cuidados diários?
Foto: Pixabay

A partir das indicações de prevenção indicadas pela Organização Mundial de Saúde para o enfrentamento da Covid-19 nos últimos meses, o contato frequente com produtos de limpeza e higiene aumentou. Apesar de gerar resultados positivos na prevenção da doença, a utilização dessas substâncias também gera danos e possíveis lesões na pele.

 

Para que as orientações dos órgãos de saúde continuem sendo aplicadas, sem prejuízos à saúde, sobretudo das mãos, a dermatologista do Sistema Hapvida, Michele Moreno, alerta sobre os cuidados a serem tomados e ensina como realizar a recuperação das áreas mais expostas. De acordo com a especialista, com o constante uso de substâncias abrasivas, como água sanitária, detergentes e álcool em gel fator 70%, nossa pele entra em um processo de perda da proteção causada pela agressão direta dos produtos. “Por não estar preparada para a quantidade excessiva de substâncias que está sendo exposta, a camada de lubrificação da pele é rompida, deixando a barreira cutânea mais exposta e propensa a rupturas, gerando dores, aspecto ressecado e facilidade de descamação da superfície”, detalha.

 

O constante uso das substâncias químicas pode gerar também problemas a longo-prazo, como o possível desenvolvimento de alergias. Michele explica que nesses casos, a Dermatite de Contato surge enquanto reação inflamatória da pele, podendo se apresentar de forma irritativa, causada por produtos como sabonetes, detergentes, solventes e outras substâncias; e, a alérgica que surge após repetidas exposições a um produto, podendo demorar de meses a anos para ser identificada.

 

Para pessoas que já apresentam essas alergias relacionadas a pele, o indicado é optar sempre por substâncias hipoalergênicas. “As pessoas alérgicas são as que mais sofrem nesse momento. No geral, elas já sabem o que as causam alergias e o aconselhável é evitar esses produtos, além de lavar as mãos logo após a exposição a substâncias irritativas”, explica a dermatologista. Em ambos os casos, de desenvolvimento de alergias ou de alergias já identificadas, o ideal é buscar um especialista para que ele avalie a dermatite e indique a medicação correta.

 

Outra área do corpo que requer atenção redobrada no que diz respeito a prevenção contra a Covid-19 e a saúde da pele é o rosto, sobretudo por ser uma área que acumula impurezas. A dermatologista indica que a lavagem duas vezes ao dia para a higienização dessa região é suficiente. Caso seja necessária uma maior frequência devido ao uso de maquiagem, excesso de oleosidade ou sujeira, o aconselhado é utilizar soluções de limpeza que removem impurezas e, principalmente, que preservam a barreira cutânea.

 

RECUPERAÇÃO E CUIDADOS 

Apesar da importância da continuidade no uso dos produtos químicos para evitar um alto contágio do coronavírus, a recuperação da superfície da pele é possível. Para isso, Michele destaca que a hidratação é fundamental.  “O ideal é passar um creme hidratante pelos menos 3 ou 4 vezes ao dia depois da lavagem das mãos”, indica.

 

A especialista lista ainda outras medidas efetivas para a saúde da pele, as quais estão relacionadas com a alimentação correta e ingestão diária de água. Evitar o uso excessivo de sabonetes e buchas, optar por banhos mais gelados e não se expor excessivamente ao sol também contribuem para os cuidados com a derme.

Histórico de Conteúdo