Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 02 de Dezembro de 2020 - 16:40

Verão chegando e os cuidados com a pele também!

por Wagner Bramont

Verão chegando e os cuidados com a pele também!
Foto: Divulgação

Sextooou, férias ou domingo de sol. Este é o melhor resumo do verão. Época bastante esperada pelos baianos, mas também momento em que o cuidado com a pele deve ser priorizado.

 

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) reforça que o câncer de pele é o mais frequente nacional e internacionalmente. Sua ocorrência se dá quando as células da pele são multiplicadas sem controle. O do tipo melanoma (forma mais grave do tumor) ocorre mais raramente e pode levar à morte. Já o não-melanoma (tumor maligno com baixa taxa de mortalidade) é mais frequente em ambos os sexos e menos grave, mas pode causar deformações no corpo. Ambos têm cura quando descobertos precocemente.

 

E, pensando nesta proteção, o que deve ser feito? Qual o melhor protetor solar a ser utilizado? Existem marcas e produtos diversos e você precisa escolher aquele que melhor se adapta ao seu tipo de pele. Um (a) dermatologista pode te auxiliar bem nesse quesito e, em algumas drogarias, há a presença dos consultores de vendas (dermoconsultores) que também ajudarão na melhor escolha e forma de uso, levando em consideração a prescrição médica.

 

Os protetores são divididos em três grandes grupos: físicos (a radiação solar é refletida), químicos (a radiação solar é transformada em calor) e os orgânicos (agem como os químicos, mas suas propriedades não contaminam o ambiente e são menos agressivos à pele).

 

Quanto ao fator de proteção ideal, ele depende diretamente da tonalidade da sua pele. Quanto mais clara, maior deve ser o Fator de Proteção Solar (FPS). Mas, é importante destacar que existem três tipos de radiação solar: raio ultravioleta A, UVA (age), responsável pelo envelhecimento e mancha na pele; UVB (burn), que causa a queimadura na pele; e o raio UVC, que não atravessa a camada de ozônio.

 

Os protetores solares de alta qualidade protegem contra os raios A e B. O FPS refere-se à proteção contra o raio tipo B. O FPS 30, por exemplo, protege cerca de 96,7% contra esse tipo de raio, enquanto o FPS 60, 98,3%. Como a diferença é pequena, vale a pena pagar mais pelo FPS 60? Vejamos!

 

O segredo está aqui! Quanto maior o FPS, maior o PPD (PersistentPigmentDarkening), proteção contra as radiações A, então para o FPS 30, o PPD é igual a 10; FPS 60, PPD 20. Viu? O PPD é o dobro. Vale a pena ter a pele protegida do envelhecimento e surgimento de manchas, concorda? Você não paga mais caro, você faz um bom investimento para a saúde da sua pele. É mais barato proteger do que tratar. Fique atento e escolha protetores que protegem também contra a radiação A.

 

Há ainda os protetores que protegem contra a luz visível (celular, computador, lâmpada), as quais também penetram na pele e, em longo prazo, causam manchas. Além desses, os chamados dermocosméticos atuam em outras frentes, como anti-idade, anti-oleosidade, clareador de manchas. Eles ainda podem possuir água termal na composição com a função hidratante e calmante para a pele.

 

No geral, tenha em mente que não basta escolher apenas o melhor protetor. É preciso preparar a pele para recebê-lo, fazendo os quatro passos de cuidado diário (limpar, tonificar, hidratar) para então chegar no quarto passo - proteção. Seguindo essas etapas, sua pele estará pronta para receber o protetor solar e você aproveitará os dias ensolarados da maneira correta. Bom verão pra você!

 

*Wagner Bramont é analista da Escola Farmacêutica da Drogaria São Paulo

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo