Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 20 de Janeiro de 2022 - 08:40

Vírus da dengue faz mosquito picar mais as vítimas

por Reinaldo Jose Lopes | Folhapress

Vírus da dengue faz mosquito picar mais as vítimas
Foto: Reprodução/Pixabay

O vírus da dengue parece ser capaz de manipular o comportamento do mosquito Aedes aegypti, fazendo com que o inseto transmita o causador da doença de maneira mais eficiente.
 

Os pernilongos que carregam o vírus são, ao mesmo tempo, mais ávidos na busca de animais cujo sangue possam sugar e menos habilidosos quando tentam acessar esse sangue, o que exige mais contato com a pele da vítima por parte deles. Esses dois fatores podem até triplicar a probabilidade de transmissão da dengue entre as pessoas, afirma a equipe internacional de cientistas que detectou o fenômeno.
 

Coordenado por Julien Pompon, do IRD (Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento), na França, o trabalho acaba de ser publicado no periódico científico americano PNAS.
 

"Os dados ressaltam a importância do comportamento dos mosquitos na transmissão da doença. Qualquer vírus que não seja capaz de modificar esse comportamento provavelmente não vai conseguir ser transmitido ou emergir [ou seja, passar a infectar seres humanos]", disse Pompon à reportagem.
 

De fato, exemplos de alterações comportamentais induzidas pela presença de micróbios ou parasitas (como vermes) no organismo de seus hospedeiros têm sido descobertos com cada vez mais frequência pelos cientistas. No caso do vírus da dengue, porém, os dados a esse respeito ainda eram contraditórios.
 

Pompon e seus colegas tentaram esclarecer o que estava acontecendo usando câmeras de alta resolução, calibradas para captar todos os passos de uma picada do Aedes aegypti no ambiente controlado do laboratório. Para isso, eles usaram uma pequena caixa de acrílico na qual os mosquitos eram colocados.
 

No topo da caixa havia uma tela de malha fina, através da qual os insetos conseguiam inserir sua probóscide --a projeção bucal que os bichos usam para penetrar a pele e chupar o sangue de suas vítimas. Em cima da tela, por fim, ficava deitado um camundongo anestesiado. O roedor, depois das picadas, era examinado em busca de sinais da transmissão do vírus da dengue (isso no caso das caixas onde havia mosquitos contaminados pelos pesquisadores; havia também os insetos do grupo controle, sem infecção viral).
 

Após filmar e analisar o comportamento de mais de 50 dos Aedes aegypti em cada um dos grupos, ao longo de períodos que duravam 30 minutos para cada mosquito, os cientistas notaram, em primeiro lugar, que os insetos infectados com o vírus se aproximavam dos camundongos mais rapidamente e com mais frequência do que os não infectados.
 

Provavelmente o ponto mais importante, porém, é o fato de que os mosquitos com o vírus demoravam mais para conseguir sugar sangue e davam muitas picadas malsucedidas --ou seja, sem chegar a se alimentar desse sangue. Acontece que é exatamente isso o que o causador da dengue "quer" que os bichos façam.
 

Isso porque, em geral, o vírus sai da saliva dos mosquitos e infecta inicialmente as células da pele da vítima. Ou seja, a saliva dos insetos não precisa entrar em contato com a corrente sanguínea para que a pessoa pegue a doença. Aliás, quanto mais vezes a probóscide dos mosquitos entrar apenas um pouquinho na pele, sem chegar ao sangue, melhor para a eficiência da transmissão.
 

Os cientistas também confirmaram isso de maneira experimental. Deixavam que os insetos picassem os camundongos por apenas 20 segundos (tempo que normalmente não é suficiente para que os bichos consigam se alimentar de sangue) e depois espantavam os mosquitos. Resultado: todos os Aedes conseguiram transmitir o vírus da dengue para células da pele, mesmo com picadas "incompletas".
 

Segundo o pesquisador francês, é possível que o vírus esteja alterando o funcionamento do cérebro do mosquito "ou os tecidos olfativos, que guiam o aparato bucal do inseto e o voo quando ele procura suas vítimas". Analisar os genes ativados e desativados nas células do sistema nervoso do mosquito pode trazer mais pistas sobre o que está acontecendo e talvez até inspirar a criação de substâncias capazes de bloquear a ação do vírus no Aedes.
 

 

Saúde antecipa R$ 104 milhões a cidades da Bahia afetadas pelas chuvas
Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde oficializou o repasse de R$ 104,6 milhões para a Atenção Primária dos 155 municípios da Bahia que decretaram estado de calamidade pública devido às fortes chuvas. A portaria antecipando o dinheiro foi assinada nesta quarta-feira (19) pelo ministro Marcelo Queiroga. A Atenção Primária é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). As informações são da Agência Brasil.

 

O Ministério da Saúde permitiu que os profissionais do PMMB intercalassem a atuação na Unidade Básica de Saúde (UBS) com plantões na rede assistencial do SUS durante o período de emergência. Houve também suspensão temporária dos recessos dos profissionais pelo período de 30 dias. Atualmente, 1.497 profissionais estão atuando na Bahia.

 

Pelo menos 26 pessoas morreram no estado em decorrência de enchentes e alagamentos, que começaram no final de dezembro e deixaram 30.915 pessoas desabrigadas e 62.731 desalojadas. Em todo o estado 166 municípios foram afetados pelas chuvas, dos quais 154 estão com decreto de situação de emergência.

Covid: Sem vacina, aluno da rede estadual pode se matricular, mas não entrará na escola
Foto: Colégio Estadual Ministro Aliomar Baleeiro / Fernando Vivas / GOVBA

Apesar de poderem se matricular para o ano letivo de 2022, os alunos da rede estadual de ensino não poderão adentrar nas instituições para assistir às aulas caso não apresentem o comprovante de vacinação contra a Covid-19. Isso porque o decreto estadual nº 20.907 exige a comprovação para o acesso a prédios públicos (o que inclui escolas). Já na rede municipal, o comprovante, tanto para matrícula, quanto para ingresso nos prédios, não será exigido. 

 

Nesta quarta-feira (19), o secretário de educação de Salvador, Marcelo Oliveira, chegou a confirmar ao programa Bahia Notícias no Ar, da Salvador FM, que o município não cobraria a obrigatoriedade da comprovação (reveja). "Não vai ser cobrado cartão de vacinação para as crianças frequentarem as escolas. A vacinação de crianças é voluntária, é uma decisão dos pais. Eu recomendo firmemente que sejam vacinadas, já abrimos a vacinação e sempre vai ser melhor que as crianças vão para a escola vacinadas. Embora a gente venha defendendo que o ambiente escolar é muito seguro para as crianças em termos de risco de contágio", afirmou. 

 

O posicionamento foi criticado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), que reforçou a exigência da vacinação para garantir a segurança da coletividade. Para Rui Oliveira, presidente do sindicato, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) deve rever a decisão. 

 

"Vamos lutar para que o passaporte seja uma exigência legal para todos aqueles que queiram [adentrar nas instituições]. Se o cara não quer se vacinar e quer morrer, é problema dele, mas ele não pode colocar em risco a coletividade. É um princípio. O direito coletivo se sobrepõe ao direito individual. As vidas importam e vamos lutar para que seja garantida essa exigência", assegurou o presidente da APLB. 

 

Diante do posicionamento do município, o Bahia Notícias procurou a Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC) para saber se a mesma postura seria adotada pela pasta. Por meio de assessoria de imprensa, a SEC informou que não poderá obrigar os pais e responsáveis a vacinar os alunos, mas que estes, sem o comprovante, não terão acesso aos prédios públicos como determina o decreto nº 20.907.  

 

Ainda de acordo com a SEC - que divulgou os pré-requisitos para as matrículas que se iniciam na próxima segunda-feira (confira aqui) - a apresentação do cartão de vacina dos estudantes de até 18 anos de idade já era uma exigência obrigatória no ato da matrícula desde 2019. 

 

Com a portaria de Matrícula nº 2043/2021, a apresentação da caderneta de vacinação será solicitada para todos que desejarem se matricular na rede estadual de ensino, mas a falta desta não se tornará um impeditivo para a matrícula. Mesmo assim, nas escolas estaduais, os estudantes, pais e responsáveis serão orientados sobre a necessidade da imunização para acesso às escolas como medida de prevenção à Covid-19.

Quinta, 20 de Janeiro de 2022 - 00:00

Afinal de contas, o que não pode ser ingerido no período de vacinação?

por Erem Carla

Afinal de contas, o que não pode ser ingerido no período de vacinação?
Foto: Gerrie van der Walt / Unsplash

O Brasil já completou 1 ano de vacinação contra a Covid-19, mas as dúvidas em relação às recomendações do antes e pós-vacina continuam permeando os brasileiros. Prova disso é que, de acordo com o Google, a pergunta mais realizada pelos brasileiros na plataforma no último ano foi: “Pode beber depois da vacina?”

 

Para esclarecer de uma vez por todas o que pode ou não ser ingerido nesse processo de vacinação, e não só contra a Covid-19, o Bahia Notícias conversou com a pesquisadora da Fiocruz Bahia, Viviane Boaventura. 

 

Para alívio dos que apreciam uma cervejinha, vacinar não é sinônimo de cortar a bebida alcoólica por longos períodos. 

 

Viviane explica que não há estudos que comprovem a proibição quanto ao consumo de bebida alcoólica antes ou depois da aplicação da dose, porém, o uso excessivo pode afetar mecanismos imunológicos de defesa, como a produção de anticorpos, e interferir na proteção tanto para Covid-19, como para outras doenças.

 

O mesmo se estende para fumantes. “Não existe estudo avaliando efeito do cigarro na resposta à vacina. Entretanto, fumantes crônicos estão sob maior risco de desenvolver formas graves da doença”, explica a pesquisadora. 

 

Quanto a aqueles que fazem o uso de medicamentos, deve-se manter a rotina dos remédios mesmo no dia escolhido para a imunização, com exceção das pessoas que usam substâncias imunossupressoras.

 

“(Essas pessoas) Devem consultar seu médico para melhor orientação de como proceder. A vacina está indicada para esse grupo e é muito importante. Mas seu efeito pode ser reduzido por medicamentos imunossupressores”, conta Viviane.

 

A vacinação contra a Covid-19 só não é recomendada para aqueles que apresentaram sintomas gripais ou tenham sido diagnosticados com Covid-19 há menos de 30 dias. Ao passar esse período, a imunização pode ser feita normalmente. 

 

“As vacinas para Covid-19 são seguras e têm papel importante de evitar o agravamento da doença. Mas é preciso usar o esquema completo, com três doses. Também é necessário manter os cuidados de sempre, inclusive nas filas de vacinação: o uso de máscaras de boa qualidade, como cirúrgicas e N95, e de forma correta, cobrindo a boca e o nariz, além do distanciamento, são medidas indispensáveis nesse momento em que temos a ampla circulação de uma variante altamente transmissível como a Ômicron”, orienta a pesquisadora

Salvador cede sete ambulâncias do SAMU para cidades atingidas pelas chuvas
Foto: Divulgação / PMS

A prefeitura de Salvador anunciou nesta quarta-feira (19) que vai ceder sete ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para as cidades atingidas pelas fortes chuvas que atingiram o Sul do estado no mês de dezembro.

 

Os veículos em formato 4x4 são destinados aos municípios de Itambé (1), Itabuna (4), Eunápolis (1) e Itamaraju (1). O termo de cessão foi assinado pelo prefeito Bruno Reis, em ação simbólica ocorrida na tarde desta quart, no Palácio Thomé de Souza e na Praça Municipal, no Centro.

 

Estiveram presentes na ocasião o prefeito de Itambé, José Cândido Rocha Araújo; a vice-prefeita e secretária de Governo de Salvador (Segov), Ana Paula Matos; e o titular da Saúde (SMS) da capital baiana, Leo Prates; além do diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macêdo, e do diretor de Urgência e Emergência da SMS, Ivan Paiva. As ambulâncias dispõem de equipamentos necessários para a condução adequada no transporte de pacientes, que precisam de suporte especial para outros centros hospitalares.

 

"Hoje, estamos fazendo um ato aqui, atendendo quatro cidades da Bahia, fazendo essa cessão das ambulâncias, que vão ajudar os prefeitos neste momento para atender principalmente as pessoas ribeirinhas e da zona rural. Ficamos felizes em dar esse apoio, respeitando os limites que a legislação impõe, mas sempre com esse grande espírito de solidariedade, amor ao próximo e compaixão, ajudando as pessoas que estão precisando do nosso apoio neste momento", declarou.

 

O prefeito de Itambé ressaltou o apoio dado por Salvador diante da situação provocada pelas fortes chuvas em Itambé. “Fomos muito ajudados com alimentação, água e agora com a ambulância 4x4. Somos um município que temos muita estrada de chão e, às vezes, quando chove, ficamos impossibilitados de buscar um paciente na zona rural. Com essa ambulância, vamos conseguir resolver esse problema”, declarou José Cândido.

 

O titular da SMS soteropolitana ressaltou que são veículos adaptados que têm a capacidade de enfrentar terrenos difíceis e níveis de alagamento consideráveis. “Com isso, vamos conseguir ajudar esses municípios afetados pelas chuvas a garantir uma assistência de urgência e emergência qualificada”, destacou Prates.

Uesb cobrará apresentação do comprovante de vacinação no retorno das aulas presenciais
Foto: Reprodução/TV Sudoeste

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) definiu que irá cobrar a apresentação do comprovante de vacinação para o retorno presencial da comunidade acadêmica. A decisão foi tomada pelo Conselho Universitário (Consu) no último dia 8 de dezembro e formalizada pela Resolução 03/2021.

 

O documento revoga a prioridade do trabalho administrativo remoto, estabelecido na Resolução 03/2020 em razão da propagação da Covid-19, e estabelece as condições para retomada de atividades presenciais na Uesb, no âmbito administrativo e acadêmico.

 

Desde o último dia 3 de janeiro de 2022, o trabalho administrativo voltou ser desenvolvido de forma presencial, com cumprimento normal da carga horária de trabalho nos locais de lotação dos servidores técnicos e docentes.

 

A resolução destaca a necessidade do cumprimento de medidas de biossegurança, como uso correto e constante de máscaras por todas as pessoas, respeito ao distanciamento mínimo entre os servidores, ventilação dos ambientes, dentre outras medidas. A retomada das atividades administrativas presenciais aplica-se a todos os setores da instituição, devendo ser observados cuidados e condições adicionais para atividades específicas.

 

Ações a partir de fevereiro – O retorno das atividades dos Restaurantes Universitários e dos pontos de comercialização de alimentos, nos três campi, deverá ocorrer a partir de 2 de fevereiro de 2022, mediante demonstração, por parte dos concessionários, de atendimento aos protocolos municipais de Vitória da Conquista, Jequié e Itapetinga, para funcionamento de bares e restaurantes. Os estabelecimentos devem assegurar o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) por parte de seus funcionários, desinfecção frequente de mesas e cadeiras e disponibilização de insumos para higienização de mãos por parte dos usuários.

 

A utilização das quadras, ginásios de esporte e laboratórios de Educação Física, por exemplo, também será liberada a partir de 2 de fevereiro. Nesses casos, caberá às coordenações ou setores responsáveis estabelecerem protocolos específicos de biossegurança para o funcionamento, observando o disposto na legislação estadual, bem como os Atos que tenham sido editados no âmbito municipal, pelas prefeituras de Vitória da Conquista, Jequié e Itapetinga.

 

Para a retomada das visitas públicas presenciais nos Museus mantidos pela Uesb, nos serviços de extensão e nos núcleos de formação de graduandos, caberá às coordenações estabelecer, em observância aos protocolos estaduais e municipais vigentes de atendimento ao público, procedimentos de biossegurança que devem envolver exigência de comprovante de vacinação de público, definição de número máximo de visitantes simultâneos e outros critérios.

 

O documento informa ainda que fica autorizada a realização de eventos acadêmicos presenciais nas instalações da Uesb ou em ambientes externos. A medida também passa a valer a partir do dia 2 de fevereiro, condicionada à demonstração de adoção de procedimentos para certificar o cumprimento do primeiro ciclo vacinal pelos envolvidos, a disponibilidade de espaço físico adequado e a obediência ao percentual máximo de ocupação de lugares e ao distanciamento mínimo entre pessoas.

 

As solenidades de colação de grau para concluintes dos cursos de graduação deverão ser realizadas, a partir de 2 de fevereiro, de forma presencial. O Cerimonial da Uesb, junto às coordenações das comissões estudantis de formatura, certificará o cumprimento dos protocolos de biossegurança nos mesmos termos estabelecidos para realização de eventos acadêmico-científicos presenciais.

 

As definições detalhadas da retomada das atividades presenciais em todos os setores e serviços da Uesb, nos três campi, podem ser conferidas na Resolução 03/2021.

Liminar permite que dentistas realizem cirurgias plásticas no rosto como rinoplastia
Foto: shutterstock

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) suspendeu a regra que impedia dentistas de fazer algumas cirurgias plásticas na face, como a rinoplastia. O impedimento foi imposto pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) e o Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais (CRO-MG). 

 

Dentistas pediram a suspensão da regra, além da impossibilidade do conselho instaurar sindicâncias e processos ético-disciplinares com base na norma contra os profissionais. Além da rinoplastia, o Conselho Federal de Odontologia proíbe a outros tipos de cirurgia plástica no rosto, como alectomia, a blefaroplastia (cirurgia nas pálpebras), a otoplastia (orelhas), a cirurgia de castanhares (elevação de sobrancelhas) e a ritidoplastia ou face lifting (eliminação de rugas).

 

Em primeiro grau, a Justiça Federal entendeu que o CFO pode proibir a prática, pois os procedimentos não eram classificados em cursos de graduação e pós-graduação em odontologia e haveria carência de literatura científica que relacionasse as cirurgias com a profissão.

Para o desembargador Novély Vilanova, relator do caso, a vedação seria ilegal, pois não se relacionaria com as finalidades do CFO. Ele também considerou que a regra seria um obstáculo ao exercício profissional da odontologia, conforme a Lei 5.081/1966. "Não cabe ao Conselho Federal de Odontologia 'questionar' a formação acadêmica dos graduados ou pós-graduados (os agravantes/autores)", apontou o magistrado. Segundo ele, essa atribuição seria do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Salvador divulga programação geral da vacinação contra a Covid nesta quinta; veja
Foto: Betto Jr./Secom

A Prefeitura de Salvador inclui na vacinação infantil contra a Covid-19, nesta quinta-feira (19), as crianças de 6 anos com comorbidades. Dois pontos fixos serão montados exclusivamente para acolhimento desse público, das 8h às 16h.

 

Outros dez pontos fixos continuarão contemplando as crianças com 10 e 11 anos de idade. Os menores de 5 a 11 anos com deficiência permanente (motora, auditiva, visual e intelectual) também seguem incluídos na estratégia, com três pontos funcionando exclusivamente para atendimento desses pequeninos. 

 

Todas as crianças devem ter o nome na lista disponível no site da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), no endereço www.saude.salvador.ba.gov.br. Não há postos na modalidade drive-thru para este público. No ato da vacinação deverão ser apresentadas original e cópia do documento de identificação da criança e cartão de vacina, e documento oficial de identificação com foto do pai ou mãe presente na vacinação. Para as crianças com comorbidades ou com deficiência permanente, é necessário levar também relatório médico atestando a condição de saúde.

 

No ponto de imunização deverá ser preenchido o Formulário de Vacinação. O documento também está disponível no site da SMS, podendo ser impresso, preenchido antecipadamente e apresentado no ponto de vacina, otimizando a imunização. Caso a criança esteja acompanhada por representante maior de 18 anos, além dos documentos citados, o Formulário de Vacinação deverá ser impresso antecipadamente para preenchimento e coleta da assinatura do pai ou mãe do menor. No ato da vacina deverá ser apresentada também cópia do documento de identificação com foto do pai ou mãe que assinou o Formulário de Vacinação.

 

PONTOS DE IMUNIZAÇÃO DAS CRIANÇAS COM 10 E 11 ANOS

Pontos fixos: Arena Fonte Nova (Nazaré), Clube de Periperi, USF Cajazeiras V, 5º Centro de Saúde (Barris), Parque da Cidade (Itaigara), CSU Pernambués, USF Cambonas, UBS Marechal Rondon, USF Vale do Matatu e USF Parque de Pituaçu.

 

PONTOS DE IMUNIZAÇÃO DAS CRIANÇAS COM COMORBIDADES DE 6 A 11 ANOS

Pontos fixos: USF Beira Mangue e USF Zulmira Barros (Costa Azul).

PONTOS DE IMUNIZAÇÃO DAS CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA DE 5 A 11 ANOS

Pontos fixos: Apae - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – Pituba (13h às 17h) e ION - Instituto de Organização Neurológica da Bahia – Ondina (8h às 16h).

 

VACINAÇÃO GERAL

A 1ª dose estará suspensa para o público com idade igual ou superior a 12 anos nesta quinta-feira (20). Prossegue a aplicação da 2ª dose para os indivíduos enquadrados nos seguintes aprazamentos: Pfizer e Oxford até o dia 15/2/2022, e CoronaVac até 19/1/2022.

A 2ª dose da Janssen (dose de reforço) será apenas para aquelas pessoas que tomaram a primeira dose/dose única da Janssen até o dia 19/11/2021. Os postos funcionam das 8h às 16h e todos os cidadãos devem estar com o nome na lista do site da SMS para receber o imunizante.

A 3ª dose estará disponível para os imunossuprimidos que tomaram a 2ª dose até 20/12/2021; para indivíduos com 18 anos ou mais que tomaram a 2ª dose até o dia 20/9/2021; e para gestantes e puérperas que tomaram a segunda dose até 19/8/2021, ou seja, a partir de cinco meses do recebimento da segunda dose. Todos os públicos devem ter o nome na lista no site da SMS.

Documentos – Os cidadãos devem levar o cartão de vacinação, cartão SUS e documento de identidade com foto. Para recebimento da 3ª dose, os voluntários de pesquisas e estudos deverão apresentar os documentos citados acima, além de declaração do instituto de pesquisa indicando que estão liberados para a dose de reforço, sem prejuízo do prosseguimento do estudo/pesquisa.

Os menores de 18 anos deverão ser acompanhados pelos pais ou outro responsável de maior de idade durante o ato da vacinação. Para comprovação da responsabilidade, o pai ou a mãe devem apresentar documento de identificação original com foto no momento da imunização. No caso de outro responsável maior de idade, além do documento de identificação com foto, será necessário apresentar ainda uma declaração de responsabilidade que pode ser feita manualmente.

As gestantes devem apresentar obrigatoriamente cópia impressa da prescrição médica. As puérperas, além da prescrição médica, deverão levar ainda uma cópia da certidão de nascimento do bebê ou Declaração de Nascidos Vivos.

O serviço Vacina Express estará funcionando normalmente, com agendamento através do site vacinaexpress. saude. salvador. ba. gov. br .

 

CONFIRA OS PONTOS DE VACINAÇÃO COVID (todos das 8h às 16h):

* 2ª DOSE OXFORD (APRAZADOS ATÉ 15/2/2022);
* 2ª DOSE CORONAVAC (APRAZADOS ATÉ 19/1/2022);
* DOSE DE REFORÇO JANSSEN (PESSOAS QUE TOMARAM A 1ª DOSE DA JANSSEN ATÉ 19/11/2021).

Drive-thrus: Shopping Bela Vista (9h às 16h), Vila Militar (Dendezeiros) e Unijorge (Paralela).

Pontos fixos: USF Jardim das Margaridas, Estação Mussurunga, USF João Roma Filho (Jardim Nova Esperança) e USF Santa Mônica.


* 2ª DOSE PFIZER (APRAZADOS ATÉ 15/2/2022); 
* 3ª DOSE: IMUNOSSUPRIMIDOS QUE RECEBERAM A 2ª DOSE ATÉ 20/12/2021;
* 3ª DOSE: INDIVÍDUOS COM 18 ANOS OU MAIS QUE RECEBERAM A 2ª DOSE ATÉ O DIA 20/9/2021;
* 3ª DOSE: GESTANTES E PUÉRPERAS QUE RECEBERAM A SEGUNDA DOSE ATÉ 19/8/2021.

Drive-thrus: Atakadão Atakarejo (Fazenda Coutos), Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (9h às 16h) e Vila Militar (Dendezeiros).

 

Pontos fixos: USF Antônio Ribeiro Neiva (Arraial do Retiro), USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF Jardim das Margaridas, Estação Mussurunga, UBS São Cristóvão, USF Cajazeiras X, UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras), USF Joanes Leste, USF Tubarão, USF Vista Alegre, USF Plataforma, Teotônio Vilela II, USF Sabino Silva, USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF João Roma (Jardim Nova Esperança), Estação da Lapa, UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF San Martim I, USF San Martim III, USF Boa Vista de São Caetano e USF Curralinho.

Covid-19: Brasil registra maior número de casos ativos em 24h desde o início da pandemia
Foto: Paula Fróes/GOVBA

O Brasil registrou nesta quarta-feira (19) um recorde da pandemia a Covid-19. Foram computados 204.854 casos em apenas 24 horas. Este número de infectados em um único dia é o maior desde o começo da pandemia no país, em fevereiro de 2020. O número é 49,4% mais alto do que o registrado nessa terça-feira (18/1), quando 137.103 casos novos foram notificados.

 

Conforme divulgou o Portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, a média de casos está em 99.974 novos infectados ao dia, um aumento de 701% em comparação a 14 dias atrás. A alta se deve ao avanço da variante Ômicron.

 

Já a média móvel de mortes diárias subiu para 212. Em comparação com o verificado há duas semanas, houve variação de 125%, o que significa um crescimento no número de mortes pela doença no país. Nas últimas 24 horas, foram 338 mortes.

 

Ainda de acordo com o Metrópoles, o estado do Rio de Janeiro não teve os dados divulgados por apresentar problemas em seu sistema de informação. Os dados são do mais recente balanço divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). No total, o Brasil já perdeu 621.855 vidas para a doença e computou 23.416.748 casos de contaminação.

Covid: STF dá 48h para estados explicarem irregularidades em vacinação infantil
Foto: Rosinei Coutinho / SCO / STF

O Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, nesta quarta-feira (19), que os estados e o Distrito Federal se manifestem em até dois dias sobre as supostas irregularidades apontadas pela União em relação à aplicação de vacinas contra Covid-19 em crianças. 

 

Conforme divulgou o Portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, o Ministério da Saúde declarou ter tido acesso a dados considerados “extremamente preocupantes” sobre a utilização dos imunizantes em crianças e adolescentes.

 

Já a Advocacia-Geral da União (AGU) informou ao STF que mais de 20 mil crianças foram vacinadas de forma irregular, com doses para adultos ou com imunizantes que ainda não foram autorizados para o público infantil.

 

A AGU argumentou ainda que isso pode revelar a possível administração de milhares de doses fora dos padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO). 

 

Após a Anvisa aprovar a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19, Lewandowski estabeleceu um prazo para que o governo federal apresentasse o plano de vacinação.

 

Assim que o Ministério da Saúde anunciou o início da vacinação infantil, Lewandowski encerrou a ação contra o governo por “perda de objeto”. A imunização infantil começou no último final de semana.

Salvador segue vacinando pessoas com 12 anos ou mais contra a gripe; confira os postos
Foto: Jefferson Peixoto / Secom PMS

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) prossegue com a vacinação contra a gripe nesta quinta-feira (20), das 8h às 16h, exclusivamente para pessoas com idade igual ou superior a 12 anos que não tomaram o imunizante em 2021. No ato da vacinação será obrigatória a apresentação do cartão SUS de Salvador. 

 

Pontos fixos: USF Dom Avelar, USF Nova Brasília, USF São Marcos, UBS Pires da Veiga (Pau da Lima), USF Vila Canária, Multicentro Liberdade, 16º Centro de Saúde – Maria Conceição Imbassahy (Pau Miúdo), UBS São Judas, USF Cajazeiras IV, USF Jardim das Mangabeiras, USF Yolanda Pires, UBS Manoel Vitorino (Brotas), USF Cabula VI, USF Mata Escura, USF Arenoso, USF São Gonçalo, USF Antônio Lazarotto, UBS Frei Benjamin (Valéria), USF Recanto da Lagoa I, Multicentro Carlos Gomes, USF Mussurunga I, USF Nova Esperança, UBS Professor José Mariane (Itapuã), UBS Dr. Orlando Imbassahy (Bairro da Paz), USF São João do Cabrito, USF Alto da Terezinha, USF Alto do Congo, USF Estrada da Cocisa, Multicentro Amaralina e USF Alto das Pombas.

Quarta, 19 de Janeiro de 2022 - 16:40

Testes positivos de Covid sobem de 33% para 41% em uma semana, dizem farmácias

por Mônica Bergamo | Folhapress

Testes positivos de Covid sobem de 33% para 41% em uma semana, dizem farmácias
Foto: Reprodução / ICTQ

Uma nova pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) identificou que os diagnósticos de Covid-19 seguem em alta no país: o índice de exames positivos saltou de 33,42%, entre os dias 3 e 9 de janeiro, para 41,8%, entre os dias 10 e 16 deste mês.
 

O número de testes com resultado positivo nos 15 primeiros dias de janeiro já representa quase o triplo de todos os diagnósticos registrados em dezembro de 2021.
 

Das 558.647 pessoas que realizaram testes em farmácias na semana passada, 233.537 estavam infectadas com o vírus —contra 162.394 entre os dias 3 e 9 de janeiro.
 

De acordo com o levantamento feito pela Abrafarma por meio a plataforma Clinicarx, todos os estados registraram índices de resultado positivo acima de 30%. E dez deles tiveram mais da metade dos pacientes testados infectados, como Roraima (70%), que lidera o ranking, Acre (66%), Ceará (63%) e Mato Grosso (61%).
 

"Diante da explosão da demanda, atípica para um início de ano, a Abrafarma recomenda que apenas pacientes com sintomas da Covid-19 procurem uma farmácia para a realização do teste rápido, mediante agendamento", afirma a entidade em nota.
 

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, a escalada de novos casos da Covid-19 neste início de ano ampliou a pressão sobre os hospitais e fez com que quatro estados atingissem o patamar de 80% ou mais na ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).
 

O cenário é parecido ao registrado em julho de 2021, quando a segunda onda de Covid-19 começava a refluir no país.
 

Ceará e Goiás são os estados com maior pressão no sistema de saúde pública e registraram uma ocupação de 87% dos leitos para pacientes graves. Na sequência, aparecem Pernambuco com 86% e Espírito Santo com 80%.
 

Em Pernambuco, o governo tem anunciado a abertura de novos leitos para pacientes com síndrome respiratória aguda grave para atenuar o novo pico de influenza e de Covid-19. Com 952 leitos, o estado registrava uma fila de espera de sete pacientes nesta segunda (17).
 

A nova alta levou o governo do estado a implantar medidas restritivas para o setor de eventos, limitando a capacidade a 3.000 pessoas, e a determinar a exigência do passaporte vacinal para a entrada em bares, restaurantes, cinemas, teatros e museus, até 31 de janeiro.

Saiba quais são as 20 doenças que causam as piores dores que o corpo pode sentir
Foto: Road Trip with Raj / Unsplash

O Serviço Nacional de Saúde (NHS) do Reino Unido listou as condições mais dolorosas que o organismo humano pode sofrer.  De acordo com o NHS, as dores da listagem dificultam tarefas diárias e impactam a qualidade de vida dos pacientes. O levantamento não está ordenado em grau de intensidade e as informações são do portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias. 

 

Endometriose

A endometriose acontece quando o tecido que normalmente reveste o útero cresce fora do órgão. É uma condição de longo prazo, pode afetar mulheres de qualquer idade, e não existe cura, apenas controle da situação.
Os sintomas podem variar, mas os mais comuns são dor pélvica, cólicas irregulares durante a menstruação, dor após o sexo, sensação de enjoo e dificuldade em engravidar.

 

Hérnia de disco
Esse problema ocorre quando o núcleo gelatinoso de um disco vertebral se desloca, pressionando os nervos que percorrem a medula espinhal e causando uma dor muito forte.

Os principais sintomas são dor lombar; dormência ou formigamento nos ombros, braços, costas, pernas ou pés; dor no pescoço; problemas para dobrar ou endireitar as costas; e fraqueza muscular. Também pode causar dor na nádega e na perna se pressionar o nervo ciático.

 

Apendicite
Apendicite é a inflamação do apêndice, um pequeno órgão parecido com o dedo de uma luva, localizado na primeira porção do intestino grosso. A dor geralmente começa no meio da barriga ou abdômen, e pode ir e vir. Em poucas horas, a dor viaja para o lado inferior direito, onde o apêndice está localizado, e se torna constante e grave. Pressionar essa área, tossir ou caminhar pode piorar a dor.

 

Capsulite adesiva (ombros congelados)
Condição caracterizada por dor e rigidez na articulação do ombro. Os portadores de diabetes normalmente são alvo da doença e as dores podem durar meses ou até anos. Elas acontecem quando o tecido ao redor da articulação do ombro fica inflamado.
Os sintomas podem começar de forma gradual e desaparecer em um ou dois anos. Os médicos geralmente tratam com exercícios para os ombros e analgésicos.

 

Ataque cardíaco
Um ataque cardíaco, conhecido clinicamente como infarto, é uma emergência médica grave na qual o suprimento de sangue para o coração é subitamente bloqueado, geralmente por um coágulo sanguíneo. Os sintomas incluem sensação de aperto ou dor no peito, no pescoço, nas costas ou nos braços; fadiga; tontura; batimento cardíaco anormal e ansiedade.

 

Enxaqueca
É uma dor de cabeça de intensidade variável, muitas vezes acompanhada de náuseas e sensibilidade à luz e ao som. A enxaqueca pode causar latejamento em uma área específica da cabeça, que pode variar em intensidade. Essa é uma condição de saúde comum que afeta cerca de 1 em cada 5 mulheres e 1 em cada 15 homens.

 

Dor de cabeça em salvas
A cefaleia em salvas é uma dor intensa de um lado da cabeça, localizada na têmpora ou em volta do olho, que dura pouco tempo (geralmente, de 30 minutos até uma hora). Ela é acompanhada por congestão nasal ou coriza e, às vezes, uma pálpebra caída, lacrimejamento e face avermelhada.

 

Artrite
Inflamação de uma ou mais articulações, causando dor e rigidez que podem piorar com a idade. Existem diferentes tipos de artrite, cada um com diferentes causas, incluindo desgaste das articulações, infecções e doenças adjacentes. Os sintomas incluem dor, inchaço, diminuição da amplitude de movimento e rigidez.

 

Gota
A gota é uma doença caracterizada pelo aumento do ácido úrico no sangue e seu acúmulo e cristalização em monourato de sódio, depositado nas articulações. O excesso destes cristais causa surtos de artrite aguda, com grande desconforto e dor.

Pode ser difícil diagnosticar, pois os sintomas são semelhantes a outras condições. Os ataques de gota geralmente são tratados com medicamentos anti-inflamatórios.

 

Pedra nos rins
O principal sintoma de pedra no rim é a dor intensa no fundo das costas e que pode limitar os movimentos, além de dor pra urinar, urina turva e febre acima dos 38ºC. Na presença de sinais e sintomas indicativos de pedra nos rins, é importante consultar o urologista para que sejam feitos exames e iniciado o melhor tratamento.

 

Síndrome da dor regional complexa (SDRC)
É a dor crônica no braço ou na perna que se desenvolve após lesão, cirurgia, acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco. A causa exata da síndrome complexa de dor regional é desconhecida, mas pode envolver inflamação anormal ou disfunção dos nervos.
A condição é caracterizada por dores mais intensas do que o esperado, considerando a lesão que a causou.

 

Ossos quebrados
Ossos quebrados, conhecidos como fratura, podem acontecer após um acidente, por exemplo. Os três sinais mais comuns de um osso quebrado são dor, inchaço e deformidade. No entanto, às vezes pode ser difícil dizer se um osso está quebrado se o mesmo não estiver deslocado.

 

Herpes Zóster
A condição provoca uma irritação dolorosa na pele que pode aparecer como uma faixa de bolhas no tronco. A dor pode persistir mesmo após o desaparecimento da irritação, chamada de neuralgia pós-herpética.


Dor Ciática
Ciática é a dor ao longo dos nervos ciáticos. Esses nervos se estendem da região lombar, passam pelas nádegas e descem pelas pernas, terminando logo abaixo do joelho. Uma hérnia de disco, complicações da osteoartrite, lesões ou o estreitamento do canal medular podem causar compressão, inflamação ou irritação do nervo, causando a dor.

 

Neuralgia do trigêmeo
A neuralgia do trigêmeo é uma dor facial súbita e intensa. Muitas vezes é descrita como uma dor aguda, ou como ter um choque elétrico na mandíbula, dentes ou gengivas. Geralmente acontece em ataques curtos e imprevisíveis que podem durar de alguns segundos a cerca de dois minutos e param tão repentinamente quanto começam. 

 

Pancreatite aguda
A pancreatite aguda é a inflamação do pâncreas que acontece principalmente devido ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas ou à presença de pedras na vesícula, provocando forte dor abdominal que surge de repente e é extremamente incapacitante.

 

Fibromialgia
A condição de longo prazo causa dor em todo o corpo. Além da dor generalizada, os pacientes também podem ter aumento da sensibilidade à dor, cansaço extremo, rigidez muscular, dificuldade para dormir, problemas com processos mentais, dores de cabeça e síndrome do intestino irritável (SII).


Úlcera estomacal
É uma ferida que se desenvolve na mucosa do esôfago, estômago ou intestino delgado. As úlceras ocorrem quando o ácido estomacal danifica o revestimento do trato digestivo. As principais dores ocorrem na região superior do abdômen.

 

Dor após cirurgia
É comum sentir alguma dor após a cirurgia, embora a intensidade varie de acordo com o tipo de operação — em alguns casos, ela pode ser considerada insuportável.

Quarta, 19 de Janeiro de 2022 - 15:00

Pacientes do interior ocupavam 78% dos leitos de UTI em dezembro, afirma Bruno Reis

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Pacientes do interior ocupavam 78% dos leitos de UTI em dezembro, afirma Bruno Reis
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O prefeito Bruno Reis disse em entrevista coletiva nesta quarta-feira (19), que no mês de dezembro, 78% dos pacientes que estavam em leitos de UTI eram do interior da Bahia. 

 

O gestor também afirmou que em 2021, a capital atingiu a marca de 87% dos leitos de UTI ocupados por pacientes do interior e 13% da capital. Segundo Bruno, os números de janeiro serão atualizados no final do mês.

 

“Nunca fizemos essa distinção, nem no momento mais crítico quando chegamos a 94% da ocupação dos leitos de UTI, onde havia um risco de colapso, nunca foi feita essa distinção. No final das contas, acaba que Salvador, por ser a metrópole, as pessoas vêm atrás do serviço. Tanto que agora não fazia sentido, por exemplo, no campeonato baiano impedir a presença dos torcedores visitantes”, disse.

 

Ontem (18), a prefeitura de Salvador autorizou a presença de torcida visitante na capital durante os jogos do Campeonato Baiano (saiba aqui). 

Empresa é condenada a indenizar família por morte de gestante com Covid-19
Foto: Divulgação

Uma empresa foi condenada pela Justiça do Trabalho pela morte de uma trabalhadora gestante por Covid-19. A gestante era funcionária terceirizada e trabalhava como agente de limpeza durante a pandemia. Ela foi infectada aos oito meses de gestação. A condenação foi proferida pela 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Amazonas e Roraima (TRT-AM/RR).

 

O viúvo e três filhos deverão ser indenizados por danos morais e materiais. O julgamento foi unânime. Segundo os autos, a empregada não foi afastada do serviço, começou a apresentar os sintomas da doença em dezembro de 2020 e faleceu em fevereiro de 2021. A filha caçula nasceu no dia 7 de janeiro de 2021 em cesariana de emergência, quando a mãe estava intubada.

 

A condenação, além de ter sido proferida contra a empresa terceirizada, também alcança o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), tomador do serviço. O litisconsorte vai responder pela satisfação dos direitos trabalhistas, nos termos da Súmula nº 331 do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

 

O colegiado, entretanto, reduziu o valor da indenização para R$ 44 mil (equivalente a 40 salários contratuais). Em 1º grau, a condenação alcançava o montante de R$ 365 mil. Com base nas provas (fotos em redes sociais e depoimentos de testemunhas, que relataram ter visto a trabalhadora sem máscara em várias situações), os desembargadores entenderam que houve culpa recíproca.

 

Mesmo considerando não ser possível afirmar que o contágio ocorreu no ambiente de trabalho, a desembargadora Francisca Rita Alencar Albuquerque, relatora do acórdão, explicou que a dúvida se resolve em favor da parte reclamante. Em seu voto, reconheceu a concausa (quando o trabalho não foi a causa da moléstia, mas contribuiu para o adoecimento). “Entendo que o contexto autoriza o reconhecimento do nexo concausal. Até porque já era de conhecimento público que o índice de mortalidade de Covid-19 em pessoas do grupo de risco é maior, dentre elas, as gestantes”, salientou.

 

E concluiu: “Se, por um lado, não há prova inequívoca de que o vírus foi adquirido no trabalho, mesmo porque a empregada frequentava ambientes e eventos sem as cautelas de segurança, por outro, trabalhou de forma presencial, quando as normas estaduais proibiam, portanto, com a possibilidade de contaminação, o que veio a ocorrer, ceifando-lhe a vida”. Além da relatora, participaram do julgamento a desembargadora Solange Maria Santiago Morais e o desembargador David Alves de Mello Junior. Ainda cabe recurso ao Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Falência Ovariana Precoce está associada a ausência da menstruação e causa infertilidade 
Foto: Jonathan Borba / Unsplash

A falência ovariana precoce (FOP), também conhecida como insuficiência ovariana primária (IOP) é definida por amenorreia por um período de 4 a 6 meses. Ou seja, ela está diretamente associada à ausência de menstruação. Pode ocorrer como um caminho natural da vida das mulheres, que normalmente a partir dos 50 anos deixam de menstruar, mas pode vir mais cedo... e é aí que está o problema. 

 

"Se a FOP for identificada em mulheres na faixa dos 50, é relativamente esperado. O grande problema é que ela tem sido mais diagnosticada em jovens e a preocupação, nesses casos, é enorme", explica o médico do IVI Salvador, Fábio Vilela.

 

A incidência da falência ovariana precoce (FOP) é de cerca de 1 de 1.000 antes dos 30 anos, 1 de 250 em torno dos 35 anos, e de 1 de 100 aos 40 anos. Representa entre 10% e 28% dos casos de amenorreia primária, entre 4% e 18% dos quadros de amenorreia secundária e de 2 a 3% das situações de infertilidade feminina. 

 

A falência esporádica é a forma mais comum, porém em cerca de 5% dos casos, observa-se um histórico familiar positivo, o que sugere uma predisposição genética para essa patologia.

 

O quadro clínico é caracterizado pela ausência de menstruação. Neste caso, geralmente é precedida por um período de irregularidade menstrual e flutuações das gonadotrofinas, tendo uma apresentação muito complexa. 

 

Muitas vezes o primeiro sinal é uma resposta inadequada à estimulação ovariana ou exames que mostram uma reserva ovariana baixa. Para essas pacientes, a chance de FOP é cerca de quatro vezes maior e, portanto, elas devem ser alertadas sobre os riscos futuros de sua vida reprodutiva. 

 

Os sintomas costumam ser intensos, tanto vasomotores (sudorese e ondas de calor), como atrofia vaginal e cutânea, consequentes do hipoestrogenismo. Podem ainda apresentar insônia, irritabilidade, cefaléia, instabilidade emocional e depressão, levando a grande comprometimento da qualidade de vida.

 

"O impacto emocional que as mulheres sofrem com o diagnóstico de FOP é imenso, com uma grande sensação de frustração e de perda da sua fertilidade e feminilidade, portanto, o ginecologista deve ter muito cuidado ao dar essa notícia e sempre oferecer todo o apoio necessário, inclusive psicológico", explica o especialista.

 

Do ponto de vista reprodutivo, alguns estudos demonstraram que 16 a 50% das mulheres que foram diagnosticadas com Falência Ovariana Precoce em amenorreia por 3 a 6 meses ovularam, mas somente cerca de 5 a 10% delas engravidaram espontaneamente ou com ajuda de tratamento. A maioria das vezes, a única opção para uma gestação é utilizando óvulos doados.

 

Entre 80/90% das vezes não é encontrada uma causa, sendo considerada idiopática. Em cerca de 5% dos casos, ocorre a forma hereditária, em que a FOP pode ser prevista pelo histórico familiar. O restante ocorre de forma esporádica.

 

O tratamento da infertilidade vai depender do estágio em que foi feito o diagnóstico e pode ser dividido em algumas fases, que vão desde a prevenção, passando pela tentativa de restauração da função ovariana, para chegar à ovodoação.

 

No caso da prevenção, pacientes que irão ser submetidas a cirurgia, quimioterapia ou radioterapia podem utilizar de técnicas de preservação da fertilidade, e assim manter chance de gravidez após os tratamentos. Isso vale também para aquelas com diminuição da reserva ovariana precocemente ou história familiar de FOP.

 

A restauração da função ovariana é limitada, pois 5% a 10% das pacientes ainda apresentam alguma função ovariana e podem engravidar até mesmo espontaneamente, no caso de amenorreia secundária com cariótipo normal. Se a amenorreia for primária, esta chance é praticamente nula. 

 

Nos casos em que se percebe uma diminuição precoce da reserva ovariana em pacientes que desejam engravidar, pode-se realizar a estimulação ovariana para fazer a fertilização in vitro.

 

A ovodoação é a fase utilizada para aquelas mulheres em que o ovário realmente já entrou em falência completa, já não responde mais a estimulação. Neste caso, a única opção terapêutica viável é o uso de óvulos doados para alcançar a gestação.

Quarta, 19 de Janeiro de 2022 - 12:00

Temos 69 pacientes aguardando leitos de enfermaria e 2 de UTI, afirma Bruno Reis

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Temos 69 pacientes aguardando leitos de enfermaria e 2 de UTI, afirma Bruno Reis
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O prefeito Bruno Reis fez um balanço da vacinação contra Covid-19 em Salvador, que, nesta quarta-feira (19), completa um ano desde seu início. Bruno ressaltou os esquemas de vacinação adotados pela prefeitura durante este período e a importância da colaboração da população em tomar a vacina.

 

“Se nós considerarmos as crianças acima de 5 anos, que já são público-alvo da vacinação, Salvador tem 96% da população-alvo vacinada com a primeira dose. Se considerarmos acima de 12, chega a 99%. Temos, acima de 5 anos, 88% com a segunda dose e com a terceira dose, 33%. São poucas cidades no mundo que têm esse percentual de vacinação”, afirmou. 

 

Durante o lançamento regional da escola de Economia Criativa co.liga, no Palácio Thomé de Souza, no Centro, o gestor também comentou sobre o número de não vacinados que estão habilitados na cidade. 

 

“A vacinação em Salvador é um sucesso, podemos melhorar, temos ainda 206 mil pessoas que não tomaram a segunda dose e temos 450 mil pessoas que já poderiam tomar a terceira dose”, disse.

 

Bruno informou que 69 pacientes entre adultos e crianças aguardam leitos de enfermaria e um adulto e uma criança esperam uma vaga na UTI. Em relação às ações da prefeitura, o prefeito anunciou que quatro unidades de saúde serão reformuladas para “mini-UPAS” como forma de diminuir a pressão das Unidades de Pronto Atendimento. 

 

“Temos demandas reprimidas de doenças vasculares, AVC, infartos, câncer, gripe e da covid por conta da Ômicron. Nossa estratégia é ampliar o número de upas e na sexta-feira (21), nós vamos inaugurar o gripário de Pirajá/Santo Inácio”, afirmou. 

Cientistas desenvolvem luva que detecta pesticidas em alimentos
Foto: Nathalia Gomes / USP

 

Cientistas da Universidade de São Paulo (USP) desenvolveram uma luva de borracha sintética capaz de detectar resíduos de pesticidas em alimentos. O dispositivo, embutido na luva, foi idealizado e liderado pelo químico Paulo Augusto Raymundo-Pereira, pesquisador do Instituto de Física de São Carlos (IFSC-USP). A reportagem é de Karina Ninni, da Agência FAPESP. 

 

O dispositivo tem três eletrodos, localizados nos dedos indicador, médio e anelar. Eles foram impressos na luva por meio de serigrafia, com uma tinta condutora de carbono, e permitem a detecção das substâncias carbendazim (fungicida da classe dos carbamatos), diuron (herbicida da classe das fenilamidas), paraquate (herbicida incluído no rol dos compostos de bipiridínio) e fenitrotiona (inseticida do grupo dos organofosforados).

 

No Brasil, carbendazim, diuron e fenitrotiona são empregados em cultivos de cereais (trigo, arroz, milho, soja e feijão), frutas cítricas, café, algodão, cacau, banana, abacaxi, maçã e cana-de-açúcar. Já o uso de paraquate foi banido no país pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

De acordo com a FAPESP, a análise pode ser feita diretamente em líquidos, apenas mergulhando a ponta do dedo contendo o sensor na amostra, e também em frutas, verduras e legumes, bastando tocar na superfície da amostra.

 

Sergio Antonio Spinola Machado, professor do Instituto de Química de São Carlos (IQSC-USP) e coautor da pesquisa, diz que não há nada semelhante no mercado.

 

“No entanto, essas metodologias têm custo alto, demandam mão de obra especializada e um tempo longo entre as análises e a obtenção dos resultados”, explica.

 

Na luva criada pelo grupo, cada dedo é responsável pela detecção eletroquímica de uma classe de pesticida. A identificação é feita na superfície do alimento, mas em meio aquoso.

 

“Precisamos da água, pois é necessário um eletrólito [substância capaz de formar íons positivos e negativos em solução aquosa]. Basta pingar uma gotinha no alimento e a solução estabelece o contato entre este e o sensor. A detecção é feita na interface entre o sensor e a solução”, detalha a química Nathalia Gomes, pesquisadora do IQSC-USP e integrante da equipe.

 

Raymundo-Pereira conta que o custo do dispositivo é basicamente o custo da luva, sem o sensor. “Os sensores custam menos de US$ 0,1. O custo principal é a luva. Usamos uma luva nitrílica porque é menos porosa que a de látex. Com a pandemia, o preço dela disparou. E o custo individual subiu. Mas, ainda assim, o dispositivo que criamos é um produto muito barato. Mais acessível que os testes feitos atualmente.”

Cantora tcheca morre de Covid-19 após pegar doença de propósito
Foto: Reprodução / Facebook

A cantora Hana Horka, de uma das bandas de folk mais antigas da República Tcheca, o Asonance, faleceu no último domingo aos 57 anos por complicações relacionadas ao Covid-19. A artista resolveu se contaminar propositalmente com o vírus para ter direito ao comprovante de imunização e faleceu no último domingo (16).

 

Na República Tcheca, as pessoas com esquema vacinal completo e também as que se recuperam da Covid-19 têm direito ao comprovante. 

 

Jan Rek, filho da cantora, disse em entrevista que a mãe era antivacina e que ele e o pai estavam imunizados contra Covid-19, mas contraíram a doença no final do ano passado. Rek afirmou que ela voltou de uma caminhada sentindo muitas dores nas costas e morreu por sufocamento.

 

"Ela preferiu viver normalmente conosco e pegar a doença para não ter que se vacinar. É triste que ela tenha preferido acreditar em estranhos do que em sua própria família", afirmou o filho.

 

Nas redes sociais, a cantora comemorou a contaminação. "Estou muito feliz porque, desta forma, poderei ter uma 'vida livre' como os outros, ir ao cinema, tirar férias, ir à sauna, ao teatro", escreveu.

Mais de 8 mil crianças já receberam a vacina contra Covid-19 em Salvador
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

No terceiro dia de estratégia de vacinação infantil contra a Covid-19, Salvador ultrapassou o número de 8 mil crianças que receberam a primeira dose do imunizante contra o coronavírus, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. 

 

Iniciada no último sábado (15), a estratégia engloba crianças de 5 a 11 anos com deficiência permanente, crianças de 8 a 11 anos com comorbidades e crianças de 10 e 11 anos do público geral.

 

Adenilson Araújo, vacinador da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) que atua no ponto fixo da Arena Fonte Nova, comentou que esperava um número maior de pais e filhos nestes primeiros dias, mas pondera que as férias escolares explicam a procura relativamente baixa e que, com o retorno das aulas, o ritmo da vacinação infantil deve aumentar.    

 

A técnica de farmácia Jamile da Silva levou o filho de 11 anos para se vacinar e comentou a importância deste cuidado para crianças. “Sou a favor (da vacinação infantil) porque crianças também correm o risco de serem infectadas pelo coronavírus. Nós, mães e pais, saímos para trabalhar e voltamos para casa, expondo nossos filhos à doença. Logo, logo, eles estão voltando para a escola, onde convivem com os coleguinhas e professores. Então, temos que protegê-las”, disse.

 

William da Silva, de 11 anos, filho de Jamile e estudante do 6° ano do Ensino Fundamental 2, disse que a vacina não foi um problema para ele. “Eu não estava com medo porque já tomei outras vacinas antes. E até que essa não doeu muito. Quando estou em casa, fico assistindo Netflix e jogando no celular. Sinto saudade dos amigos”, contou. 

 

Nesta quarta-feira (19), das 8h às 16h, as crianças de 10 e 11 anos serão vacinadas na UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), Clube de Periperi, USF Cajazeiras V, 5º Centro de Saúde (Barris), Parque da Cidade (Itaigara), CSU Pernambués, USF Cambonas, UBS Marechal Rondon, USF Vale do Matatu e USF Parque de Pituaçu.

 

Já as crianças de 7 a 11 anos com comorbidades serão imunizadas nas USFs Beira Mangue e Zulmira Barros (Costa Azul). Por fim, as crianças de 5 a 11 anos com deficiência permanente poderão ser vacinadas na Apae - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – Pituba (13 às 17h), ION - Instituto de Organização Neurológica da Bahia – Ondina e NACPC - Núcleo de Assistência à Criança com Paralisia Cerebral.

Quarta, 19 de Janeiro de 2022 - 07:20

Anvisa vai decidir sobre autotestes nesta quarta e Coronavac para crianças na quinta

por Mateus Vargas | Folhapress

Anvisa vai decidir sobre autotestes nesta quarta e Coronavac para crianças na quinta
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A diretoria colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) vai decidir na quarta-feira (19) sobre a permissão de uso de autotestes da Covid no Brasil. No dia seguinte (20), o órgão vai avaliar pedido do Instituto Butantan sobre a aplicação de doses da Coronavac no público de 3 a 17 anos.
 

A tendência é a agência aprovar os dois processos, mas a decisão depende da maioria dos votos dos cinco diretores.
 

A discussão sobre o autoteste será feita a partir das 15h. O Ministério da Saúde pediu na última quinta-feira (13) para a agência liberar este tipo de exame que pode ser feito em casa.
 

Já a votação sobre a Coronavac está marcada para as 10h. O imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac e distribuído no Brasil pelo instituto ligado ao governo de São Paulo tem autorização de uso emergencial para adultos.
 

Utilizado há meses em outros países, os autotestes são proibidos no país por causa de uma resolução da Anvisa de 2015.
 

Pela regra, o ministério precisa propor uma política pública para liberar a entrega dos exames ao público leigo. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, já sinalizou que os produtos não devem ser comprados pelo governo federal.
 

A testagem no Brasil está centrada em clínicas, farmácias e serviços públicos, que não estão conseguindo atender à demanda diante da circulação da variante ômicron.
 

Técnicos da agência consideram que a proposta apresentada pela Saúde tem lacunas, por exemplo, sobre a notificação de casos confirmados da Covid. Ainda assim, a ideia é aprovar uma resolução que libere a entrada destes exames no mercado.
 

Entidades científicas cobraram, na semana passada, uma política de testagem mais ampla do governo federal e a permissão do exame em casa. A procura pelos testes disparou com o avanço da contaminação na virada do ano.
 

O ministro Queiroga disse que o autoteste pode desafogar as unidades de saúde, mas afirmou que a compra do produto para o SUS pode não ter o efeito desejado.
 

"O Brasil é um país muito heterogêneo, de muitos contrastes. A alocação deste recurso para aquisição de autoteste, distribuir para a população em geral, pode não ter resultado da política pública que nós esperamos", disse o ministro no último dia 14.
 

Presidente-executivo da CBDL (Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial), Carlos Gouvêa disse à reportagem que os autotestes devem ser mais baratos que exames de antígeno vendidos em farmácia. "Hoje a gente vê valores de R$ 70 a R$ 150 (de testes de antígeno) nas farmácias. O autoteste deve ficar de R$ 45 a R$ 70", afirma Gouvêa.
 

Na proposta envidada à Anvisa, o ministério orienta que pacientes que detectaram a infecção pelo autoteste procurem atendimento em unidade de saúde ou teleatendimento para confirmar o diagnóstico e receber orientações.
 

Segundo a mesma nota, a autotestagem é uma estratégia adicional para prevenir e interromper a cadeia de transmissão da Covid-19, juntamente com a vacinação, o uso de máscaras e o distanciamento social.
 

VACINA
 

A campanha de vacinação das crianças foi aberta na última sexta-feira (14), com o imunizante da Pfizer destinado ao grupo de 5 a 11 anos. O primeiro imunizado foi Davi Seremramiwe Xavante, um menino indígena de 8 anos.
 

Integrantes da Anvisa afirmam que algumas condições podem ser definidas para aprovar a Coronavac para o grupo de 3 a 17 anos. Entre elas, que o Instituto Butantan se comprometa a gerar dados sobre o uso das doses no Brasil, além de apresentar o desfecho de estudo global que está sendo conduzido na China, África do Sul, Chile, Malásia e Filipinas.
 

Os pareceres das áreas técnicas devem apontar que a vacina demonstra dados sólidos de segurança. Além disso, destacar que o imunizante é largamente aplicado nos mais jovens em outros países, como o Chile. O país andino já imunizou 1,4 milhão de pessoas entre 3 e 17 anos.
 

O Ministério da Saúde avalia usar a Coronavac em crianças, caso haja aprovação da Anvisa. Como a vacina é do mesmo modelo aplicado em adultos, estados já se planejam para destinar doses estocadas ao público mais jovem.
 

?A vantagem da Coronavac é a disponibilidade de doses, devido ao fato de que o imunizante parou de ser usado pelo governo federal.
 

A vacinação de crianças e adolescentes é tema sensível no governo Jair Bolsonaro (PL), pois o mandatário distorce dados e desestimula a imunização dos mais jovens. Ele chegou a ameaçar expor nomes de servidores da Anvisa que aprovaram o uso de vacinas da Pfizer em crianças.
 

Em nota divulgada no último dia 8, o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, rebateu insinuações de supostos interesses escusos da Anvisa na vacinação de crianças e cobrou retratação do presidente.

Crianças de 7 anos com comorbidades começam a ser vacinadas contra Covid-19
Foto: Bruno Concha / Secom-PMS

A Prefeitura de Salvador inclui na vacinação infantil contra a Covid-19, desta quarta-feira (19), as crianças de 7 anos com comorbidades. Dois pontos fixos serão montados exclusivamente para acolhimento desse público, das 8h às 16h.

 

Outros dez pontos fixos continuarão contemplando as crianças com 10 e 11 anos de idade. Os menores de 5 a 11 anos com deficiência permanente (motora, auditiva, visual e intelectual) também seguem incluídos na estratégia, com três pontos funcionando exclusivamente para atendimento desses pequeninos. Todos devem ter o nome no site da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), no endereço www. saude. salvador. ba. gov. br .

 

Documentação – No ato da vacinação deverão ser apresentadas original e cópia do documento de identificação da criança e cartão de vacina, e documento oficial de identificação com foto do pai ou mãe presente na vacinação. Para as crianças com comorbidades ou com deficiência permanente, é necessário levar também relatório médico atestando a condição de saúde.

No ponto de imunização deverá ser preenchido o Formulário de Vacinação. O documento também está disponível no site da SMS, podendo ser impresso, preenchido antecipadamente e apresentado no ponto de vacina, otimizando a imunização.

 

Caso a criança esteja acompanhada por representante maior de 18 anos, além dos documentos citados, o Formulário de Vacinação deverá ser impresso antecipadamente para preenchimento e coleta da assinatura do pai ou mãe do menor. No ato da vacina deverá ser apresentada também cópia do documento de identificação com foto do pai ou mãe que assinou o Formulário de Vacinação.

 

Confira os pontos de vacinação infantil:

 

Crianças com 10 e 11 anos

 

Pontos fixos: UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), Clube de Periperi, USF Cajazeiras V, 5º Centro de Saúde (Barris), Parque da Cidade (Itaigara), CSU Pernambués, USF Cambonas, UBS Marechal Rondon, USF Vale do Matatu e USF Parque de Pituaçu.

 

Crianças com comorbidades de 7 a 11 anos

 

Pontos fixos: USF Beira Mangue e USF Zulmira Barros (Costa Azul).

 

Crianças com deficiência de 5 a 11 anos

Pontos fixos: Apae - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – Pituba (13 às 17h), ION - Instituto de Organização Neurológica da Bahia – Ondina e NACPC - Núcleo de Assistência à Criança com Paralisia Cerebral.

 

VACINAÇÃO GERAL

A 1ª dose estará suspensa para o público com idade igual ou superior a 12 anos nesta quarta-feira (19). Prossegue a aplicação da 2ª dose para os indivíduos enquadrados nos seguintes aprazamentos: Pfizer e Oxford até o dia 14/2/2022, e CoronaVac até 18/1/2022.

 

A 2ª dose da Janssen (dose de reforço) será apenas para aquelas pessoas que tomaram a primeira dose/dose única da Janssen até o dia 18/11/2021. Os postos funcionam das 8h às 16h e todos os cidadãos devem estar com o nome na lista do site da SMS para receber o imunizante.

 

A 3ª dose estará disponível para os imunossuprimidos que tomaram a 2ª dose até 19/12/2021; para indivíduos com 18 anos ou mais que tomaram a 2ª dose até o dia 19/9/2021; e para gestantes e puérperas que tomaram a segunda dose até 18/8/2021, ou seja, a partir de cinco meses do recebimento da segunda dose.

 

Documentos – Os cidadãos devem levar o cartão de vacinação, cartão SUS e documento de identidade com foto. Para recebimento da 3ª dose, os voluntários de pesquisas e estudos deverão apresentar os documentos citados acima, além de declaração do instituto de pesquisa indicando que estão liberados para a dose de reforço, sem prejuízo do prosseguimento do estudo/pesquisa.

 

Os menores de 18 anos deverão ser acompanhados pelos pais ou outro responsável de maior de idade durante o ato da vacinação. Para comprovação da responsabilidade, o pai ou a mãe devem apresentar documento de identificação original com foto no momento da imunização. No caso de outro responsável maior de idade, além do documento de identificação com foto, será necessário apresentar ainda uma declaração de responsabilidade que pode ser feita manualmente.

 

As gestantes devem apresentar obrigatoriamente cópia impressa da prescrição médica. As puérperas, além da prescrição médica, deverão levar ainda uma cópia da certidão de nascimento do bebê ou Declaração de Nascidos Vivos.

 

O serviço Vacina Express estará funcionando normalmente, com agendamento através do site vacinaexpress. saude. salvador. ba. gov. br .

 

Confira os pontos de vacinação geral:

 

*2ª dose: Oxford (aprazados até 14/2/2022);

 

*2ª dose Coronavac (aprazados até 18/1/2022);

 

*Dose de reforço Janssen (pessoas que tomaram a 1ª dose da Janssen até 18/11/2021)

 

 

 

Drive-thrus: Shopping Bela Vista (9h às 16h), Vila Militar (Dendezeiros) e Unijorge Paralela.

 

Pontos fixos: USF Jardim das Margaridas, Estação Mussurunga, USF João Roma (Jardim Nova Esperança) e USF Santa Mônica.

 

*2ª dose Pfizer (aprazados até 14/2/2022)

 

*3ª dose: imunossuprimidos (que receberam a 2ª dose até 19/12/2021)

 

* 3ª dose: gestantes e puérperas (que receberam a 2ª dose até 18/8/2021);

 

*3ª dose: 18 anos ou mais (que receberam a 2ª dose até o dia 19/9/2021);

 

*3ª dose: pacientes imunossuprimidos (que receberam a 2ª dose até 19/12/2021);

 

Drive-thrus: Atakadão Atakarejo (Fazenda Coutos), Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (9h às 16h) e Vila Militar (Dendezeiros)

 

Pontos fixos: USF Antônio Ribeiro Neiva (Arraial do Retiro), USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF Jardim das Margaridas, Estação Mussurunga, UBS São Cristóvão, USF Cajazeiras X, UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras), USF Joanes Leste, USF Tubarão, USF Vista Alegre, USF Plataforma, Teotônio Vilela II, USF Sabino Silva, USF Santa Luzia, USF João Roma (Jardim Nova Esperança), Estação da Lapa, USF Terreiro de Jesus, USF San Martim I, USF San Martim III, USF Boa Vista de São Caetano e USF Curralinho.

Funcionários teriam sido orientados a trabalhar com surto de Covid em plataforma da Petrobras
Foto: Reprodução / O Petróleo

Funcionários de empresas terceirizadas da Petrobras teriam sido orientados a trabalhar em meio a um surto de Covid-19 em um Flotel na Bacia de Santos, que estende-se de Cabo Frio, estado do Rio de Janeiro até Florianópolis, estado de Santa Catarina.

 

De acordo com relatos, uma equipe de testagem esteve na plataforma, mas os empregados não puderam esperar os resultados dos testes antes de retornar ao serviço. Os denunciantes optaram por não divulgar os próprios nomes por medo de represálias, mas citam que a situação acontece com colaboradores de empresas como Actemium, LC Restaurante, Ideal e Posh.

 

O depoimento conta ainda que toda a testagem foi posta em risco, pois os profissionais testados tiveram que retornar ao trabalho e não ficaram em isolamento até o resultado do teste. As pessoas que positivaram, tiveram contato com os trabalhadores sem saber que estavam infectadas.  

 

Também foi informado que com a chegada das confirmações, as atividades pararam e os funcionários com resultado positivo para o vírus foram isolados. 
 

Em nota ao Bahia Notícias, a Petrobras informou que as atividades da empresa nunca foram interrompidas e estão sendo desempenhadas de forma contínua. 

 

De acordo com a empresa, são adotados os mais rigorosos padrões de segurança como testagem; distanciamento físico; uso obrigatório e adequado de máscaras; procedimentos de higienização de mãos e equipamentos; e adequação de efetivo.

 

A Petrobras também informou que é feita a identificação e isolamento precoce de colaboradores com sinais, sintomas e contatos com casos suspeitos da doença.

 

Sobre o aumento dos casos de Covid, a estatal informou que os novos casos confirmados na companhia são assintomáticos ou com sintomas leves e não há impacto significativo nas operações, em razão de afastamentos de colaboradores contaminados. O número de casos confirmados não foi informado.

 

“Buscando mitigar a exposição aos riscos de contaminação pela nova variante Ômicron, na quarta-feira (12/01), a Petrobras ajustou a regra de retorno ao trabalho presencial dos colaboradores do setor administrativo para 40%, similar à condição de Dezembro/21. O retorno ao presencial dos colaboradores terceirizados em atividades administrativas, previsto anteriormente para fevereiro, foi postergado para março”, informa a nota.

 

Com relação ao cenário pandêmico, a Petrobras informou que monitora continuamente tanto indicadores internos como externos e ajusta as suas medidas quando necessário, “mantendo sempre, tanto os rigorosos padrões em prol da segurança dos colaboradores, quanto o atendimento de bens e serviços de primeira necessidade, demandados pela população.”

Terça, 18 de Janeiro de 2022 - 19:20

Há 1 ano, primeiro lote de vacina chegava na Bahia; veja o que mudou

por Erem Carla

Há 1 ano, primeiro lote de vacina chegava na Bahia; veja o que mudou
Foto: Instituto Butantan

 

No dia 18 de janeiro de 2021 a Bahia recebeu o primeiro lote de vacinas contra a Covid-19 com 380 mil doses do imunizante Coronavac. 

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, neste mesmo dia do ano passado, foram registrados 2.548 casos de Covid-19, 10.993 encontravam-se ativos e 2 óbitos confirmados nas 24h de divulgação do boletim epidemiológico. 

 

Segundo a Sesab, a distribuição das doses foi feita para os 417 municípios baianos em até 24 horas após o desembarque na capital. Salvador foi a cidade com maior número de casos proporcionais, com 22,37% do total. 

 

Dentre os municípios com maior incidência por 100 mil habitantes, as cidades que registraram o maior coeficiente foram Ibirataia (10.743,21), Muniz Ferreira (8.811,64), Itororó (8.698,85), Conceição do Coité (8.624,57) e Itabuna (8.462,50).

 

Nesta terça-feira (18), quando esses dados completam um ano, a realidade do estado é totalmente diferente. Nesta madrugada, a Bahia recebeu um lote com 88.200 doses de vacinas pediátricas contra a Covid-19.

 

As doses destinadas às crianças de 5 a 11 anos de idade foram aprovadas em dezembro do ano passado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a aplicação foi liberada pelo Ministério da Saúde no dia 05 de janeiro deste ano.

 

O primeiro lote de vacinas contra a Covid-19 recebido pelo Brasil neste ano desembarcou em São Paulo no dia 2 de janeiro com  1,1 milhão de doses do imunizante da Pfizer. 

 

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado na noite de ontem (17), na Bahia, os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Maracás (18.491,64), Itororó (16.941,34), Itabuna (16.836,46), São Felipe (16.290,32), Ibirataia (16.153,74).

 

Em nota ao Bahia Notícias, a Sesab informou que a distribuição das vacinas para todas as regiões do Estado é feita em conjunto com o Grupamento Aéreo e a Casa Militar do Estado e que, durante este primeiro ano de distribuição, não houve mudanças na logística. 

 

O boletim da Sesab também registrou nas últimas 24h, 9.479 casos ativos de Covid-19 e 10 óbitos pela doença.  Dos 1.290.351 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.253.200 já são considerados recuperados e 27.672 tiveram óbito confirmado.

Terça, 18 de Janeiro de 2022 - 17:20

Governo indicou aos estados que deixaria vacinas de crianças na metade do caminho

por Vinicius Sassine e Renato Machado | Folhapress

Governo indicou aos estados que deixaria vacinas de crianças na metade do caminho
Foto: Arquivo Pessoal

O Ministério da Saúde tentou mudar de última hora o padrão no processo de entrega de vacinas contra Covid-19 aos estados e indicou que a pasta deixaria doses pediátricas na metade do caminho. O comando provocou confusão em algumas cidades.
 

Em nota, a pasta admitiu à reportagem que, na confusão, superintendências do ministério foram mobilizadas para o transporte e isso "acarretou um desencontro".
 

As vacinas para crianças estão sendo entregues por uma empresa recém-contratada e com pouca experiência na logística de imunizantes. Houve relatos de doses que chegaram com atraso ou em condições inadequadas de armazenamento e transporte.
 

Gestores do ministério avisaram estados que caberia às secretarias de Saúde prosseguir com a logística das doses até as redes de frios locais. A reportagem confirmou a informação com representantes de três estados.
 

O aviso dado pela pasta contraria a prática adotada até então: a empresa que habitualmente transporta as vacinas tem a atribuição de concluir o deslocamento das doses dos aeroportos aos centros de armazenamento nas capitais, até pela necessidade de tratamento especial dos imunizantes.
 

Questionado pela reportagem, o Ministério da Saúde afirmou, em nota, porém, que algumas superintendências da pasta nos estados e secretarias estaduais de Saúde acabaram se mobilizando para fazer o transporte das doses dos aeroportos aos depósitos.
 

"A pasta ressalta que a orientação para as entregas dos imunizantes é a de praxe: a empresa contratada faz o transporte", disse o ministério.
 

Diante do aviso repassado por representante do ministério, logo no começo da distribuição das doses, autoridades locais de saúde, no entanto, fizeram contato imediato com a nova empresa contratada, a IBL (Intermodal Brasil Logística).
 

O temor dessas autoridades era que as vacinas pudessem se perder em razão da interrupção da cadeia de transporte.
 

O apelo surtiu efeito em pelo menos dois casos e os imunizantes foram transportados até as redes de frios de centrais de armazenamento.
 

"As vacinas chegam em Viracopos [aeroporto em Campinas] e são encaminhadas até o centro de distribuição em Guarulhos [aeroporto em São Paulo]. Lá são armazenadas e inicia-se o processo de preparação da carga para que a IBL envie às secretarias, até cada secretaria de Saúde", afirmou a IBL, em nota.
 

A empresa que até o momento entrega as demais vacinas contra a Covid-19, a VTCLog, é obrigada pelo Ministério da Saúde a entregar as doses dos imunizantes diretamente nos locais apontados pelas secretarias de Saúde de cada estado.
 

Reportagem publicada pela Folha de S.Paulo no domingo (16) mostrou que a nova empresa contratada pela gestão do ministro Marcelo Queiroga (Saúde), com dispensa de licitação, não teve experiências de transporte de vacinas no serviço público.
 

A IBL ganhou dois contratos no fim de dezembro, no valor de R$ 62,2 milhões, para armazenar e distribuir a vacina da Pfizer destinada à imunização de crianças e adolescentes. Os contratos foram assinados pelo general Ridauto Lúcio Fernandes, diretor do DLOG (Departamento de Logística em Saúde) da pasta.
 

Além da dispensa de licitação, condições especiais foram estabelecidas na contratação: o prazo dos contratos poderá ser estendido de um para cinco anos, apesar do caráter de urgência, e a IBL ganhou 60 dias para que fizesse ajustes necessários à execução dos serviços, prazo que a empresa disse não ter sido necessário.
 

O início da distribuição das doses pediátricas foi marcado por problemas em várias regiões do país durante o fim de semana, quando foi iniciada a imunização de crianças.
 

Doses foram recebidas nos estados em condições inadequadas de armazenagem. Voos atrasaram, o que retardou o início da imunização. Em alguns aeroportos, não havia equipes da IBL para recepcionar e direcionar as vacinas aos destinos finais.
 

Um dos problemas de ausência de equipes da empresa no aeroporto, como a Folha de S.Paulo mostrou, ocorreu em João Pessoa.
 

O secretário estadual de Saúde da Paraíba, Geraldo Antônio de Medeiros, relatou que a própria companhia aérea não estava ciente da mudança de diretriz na operação e por isso não queria liberar as doses para os agentes estaduais. Exigia a presença de representantes da empresa.
 

Apenas depois de vários telefonemas do secretário, que alertou para o risco de as vacinas serem perdidas, a empresa enviou veículos e transportou a carga até a unidade do governo local.
 

Nesta segunda-feira (17), Medeiros voltou a confirmar que as demais vacinas para a Covid-19 --que seguem sendo distribuídas, por outra empresa-- adotam um sistema operacional diferente. A VTCLog, responsável pelo transporte e acondicionamento, entrega diretamente no local indicado pela secretaria.
 

Em Goiás, as autoridades locais foram avisadas que o transporte dos primeiros lotes da vacina para crianças só seria feito até o aeroporto.
 

A rede de frios do governo local fica a alguns quilômetros do aeroporto. Um pedido de transporte foi feito à empresa, o que surtiu efeito: a logística foi efetivada até a central de armazenamento.
 

O transporte das primeiras doses à capital goiana sofreu atrasos sucessivos, com quatro remarcações de horários. O avião acabou pousando em Brasília, e foi necessário transportar as doses por terra, uma distância de 220 quilômetros.
 

Antes de fazer o transporte de vacinas para crianças, a IBL prestou um único serviço relacionado à pandemia, conforme o Painel de Compras Covid-19 da União: coleta, separação e entrega de 100 mil máscaras para os hospitais universitários federais, dentro de um contrato de R$ 16 mil com a EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares).
 

Os contratos para as vacinas envolvem 16,6 milhões de frascos, que devem ser armazenados e transportados numa temperatura entre -90ºC e -60ºC.
 

A empresa relatou uma única experiência de transporte de vacina, com um laboratório privado, entre 2015 e 2018.
 

Sobre os imunizantes, a IBL afirmou que a carga recebida em Guarulhos é armazenada em ultrafreezers, dispostos em câmaras frias, quando começa a preparação para a distribuição até os estados.
 

"As vacinas são acomodadas em caixas isotérmicas, certificadas e validadas para até 72 horas com gelo seco", disse, em nota. "A IBL Logística atende rigorosamente o que está determinado em contrato. As demais prerrogativas são exclusivas do Ministério da saúde", afirmou.
 

A empresa disse ainda que é uma das maiores do ramo de logística do país e que foi qualificada por técnicos do ministério no processo de dispensa de licitação. As entregas das vacinas são feitas "em prazo recorde, antes até do limite exigido na maioria das praças".
 

O ministério disse que não houve prejuízo a nenhuma vacina pediátrica entregue aos estados e ao Distrito Federal. "A pasta prestou toda assistência aos entes federados no processo de envio das doses, realizado em tempo recorde para que a imunização infantil tivesse início. A empresa IBL compareceu em todas as capitais para o recebimento da carga."
 

A pasta afirmou ainda que houve um "processo seletivo" para a escolha da IBL, com "concorrência" entre diversas empresas do mercado.
 

 

Terça, 18 de Janeiro de 2022 - 17:00

Salvador segue aplicando vacina contra gripe nesta quarta

Salvador segue aplicando vacina contra gripe nesta quarta
Foto: Divulgação

A vacinação contra a gripe deve continua em Salvador nesta quarta-feira (19). De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) as doses serão aplicadas das 8h às 16h, exclusivamente para pessoas com idade igual ou superior a 12 anos que não tomaram o imunizante em 2021. 

 

Ainda de acordo com a pasta, no ato da vacinação será obrigatória a apresentação do cartão SUS de Salvador e de um documento de identidade. Confira abaixo os pontos fixos em que os imunizantes serão aplicados. 

 

USF Dom Avelar
USF Nova Brasília
USF São Marcos
UBS Pires da Veiga (Pau da Lima)
USF Vila Canária, Multicentro Liberdade
16º Centro de Saúde – Maria Conceição Imbassahy (Pau Miúdo)
UBS São Judas
USF Cajazeiras IV
USF Jardim das Mangabeiras
USF Yolanda Pires
UBS Manoel Vitorino (Brotas)
USF Cabula VI
USF Mata Escura
USF Arenoso
USF São Gonçalo
USF Antônio Lazarotto (Plataforma)
UBS Frei Benjamin (Valéria)
USF Recanto da Lagoa I
Multicentro Carlos Gomes
USF Mussurunga I
USF Nova Esperança
UBS Professor José Mariane (Itapuã)
UBS Dr. Orlando Imbassahy (Bairro da Paz)
USF São João do Cabrito
USF Alto da Terezinha
USF Alto do Congo
USF Estrada da Cocisa
UBS Santa Cruz (8h às 15h)
USF Alto das Pombas

Hospital Irmã Dulce suspende visitas até fevereiro após casos de Covid na Bahia
Foto: Divulgação / OSID

As Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) anunciaram a suspensão de visitas aos pacientes da instituição até o dia 31 deste mês. Nas redes sociais, a instituição informou que a ação foi motivada pensando em preservar os pacientes internados em decorrência ao grande número de casos de Covid-19 que o estado vem apresentando. 

 

De acordo com a instituição, a medida visa reduzir a circulação de pessoas na área hospitalar, de modo a garantir a segurança na assistência prestada. 

 

A OSID ainda ressaltou que os familiares seguirão recebendo, regularmente, informações sobre o estado de saúde dos pacientes, através de boletins médicos via telefone, ou por meio de vídeochamadas.

 

Terça, 18 de Janeiro de 2022 - 15:22

Santa Casa de Jequié conquista Acreditação Plena nível 2

Santa Casa de Jequié conquista Acreditação Plena  nível 2
Foto: Divulgação / Santa Casa

A Santa Casa de Jequié, na região do Médio Rio de Contas,  recebeu da Organização Nacional de Acreditação (ONA) o selo de Acreditado Pleno nível 2. Com a conquista, a unidade atingiu a classificação de primeira maternidade filantrópica 100% SUS da Bahia com Acreditação Plena.

 

De acordo com a Fundação José Silveira, a certificação garante o alto padrão de qualidade e a segurança da assistência prestada à macrorregião de Jequié, que é similar ao padrão de atendimento nos grandes hospitais da capital baiana e de outros estados brasileiros.

 

O processo de certificação visa reforçar a relevância da cultura de segurança dedicada aos pacientes e colaboradores, como uma premissa corporativa em todas as unidades da Fundação José Silveira (FJS). 

 

"Dediquei o ano à mobilização e apoio às equipes envolvidas no processo de Acreditação Hospitalar para reforçar a qualidade comprovada na assistência materno-infantil, em Salvador e Jequié e região", afirmou Leila Brito, gestora do Núcleo de Desenvolvimento Estratégico, Assistencial e Inovação da FJS. 

Novo lote de vacinas pediátricas da Pfizer serão entregues no dia 24
Foto: Myke Sena / Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (18), a antecipação de um lote de vacinas pediátricas produzidas pela Pfizer que estavam com a entrega prevista para o dia 27 de janeiro. De acordo com a pasta, o lote de 1,8 milhão do imunizante será entregue em 24 de janeiro.

 

De acordo com o Ministério, o país já recebeu 2,5 milhões de doses das vacinas destinadas a crianças de 5 a 11 anos de idade, e o último lote, entregue no domingo (16), já está sendo distribuído. 

 

“Para a imunização das crianças entre 5 e 11 anos será necessária a autorização dos pais. No caso da presença dos responsáveis no ato da vacinação, haverá dispensa do termo por escrito. A orientação da pasta é que os pais ou responsáveis por suas crianças procurem a recomendação prévia de um médico antes da imunização”, informou o Ministério da Saúde em nota. 

 

Um novo lote, com mais de 1,8 milhão de doses, tem previsão de chegada na primeira semana de fevereiro.

Estudo mostra que 4ª dose da vacina não é suficiente contra a ômicron
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

Um estudo realizado em Israel mostrou que a quarta dose da vacina contra a Covid-19 aumenta os anticorpos mas não é suficiente para prevenir infecções por Ômicron, nova variante do coronavírus. 

 

De acordo com informações do O Globo, o Sheba Medical Center de Israel realizou um teste aplicando a segunda dose de reforço entre sua equipe e está estudando o efeito do reforço da Pfizer em 154 pessoas após duas semanas e do reforço Moderna em 120 pessoas após uma semana, segundo Gili Regev-Yochay, diretor do Unidade de Doenças Infecciosas.

 

Os voluntários foram comparados a um grupo que não recebeu a quarta injeção. No grupo da Moderna, os participantes tinham tomado três doses da vacina da Pfizer, disse o hospital.

 

Regev-Yochay afirmou que as vacinas levaram a um aumento no número de anticorpos "até um pouco maior do que o que tínhamos após a terceira dose", no entanto, isso provavelmente não é suficiente para a Ômicron.

 

“Sabemos agora que o nível de anticorpos necessários para proteger e não ser infectado pela Ômicron provavelmente é muito alto para a vacina, mesmo que seja uma boa vacina.”

 

Israel foi o país mais rápido a lançar vacinas iniciais contra o Covid-19 e no mês passado começou a oferecer uma quarta dose, ou um segundo reforço, aos grupos mais vulneráveis e de alto risco, conta a publicação.

Histórico de Conteúdo