Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 27 de Janeiro de 2022 - 10:28

Salvador não recebeu R$ 1 dos governos federal e estadual, reclama Bruno Reis

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Salvador não recebeu R$ 1 dos governos federal e estadual, reclama Bruno Reis
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O prefeito Bruno Reis questionou nesta quinta-feira (27), as exigências feitas pelo Ministério da Saúde em relação a vacinação de crianças de 05 a 11 anos contra a Covid-19. De acordo com o gestor, as burocracias impostas estão atrapalhando o ritmo da imunização desse público na capital baiana. 

 

“Nós da prefeitura temos menor poder de decisão e mais atribuições. As vacinas chegam no aeroporto e quem vai buscar é a prefeitura. Estamos desde 19 de janeiro de 2021 com 1.800 profissionais trabalhando praticamente de domingo a domingo, a prefeitura pagando essa conta sozinha sem um real de ajuda do governo do estado ou do governo federal, que ficam só tomando decisões”, disse Bruno. 

 

O gestor ainda apontou a exigência dos termos de autorização e da espera de 20 minutos após a vacinação como principais fatores para o baixo índice vacinal dos público infantil em Salvador. 

 

O público de 12 a 17 anos também precisou apresentar termo de autorização e 93% das crianças e adolescentes foram vacinados. Quanto ao público de 05 a 11 anos, atualmente 21% receberam a imunização.

 

"O maior problema é a exigência dos 20 minutos que não faz sentido, não tem justificativa técnica científica para essa exigência”, afirmou o prefeito.

 

Bruno ainda disse que o Ministério Público questionou sua declaração de que se houvesse aglomeração, iria suspender os 20 minutos de espera (veja aqui). 

 

“E se não cumprir (as exigências), o responsabilizado sou eu. Quer tirar as exigências da declaração dos pais para vacinar os filhos, dos 20 minutos de espera que não faz sentido nenhum? É só o Ministério Público me mandar um papel”, afirmou.

Quinta, 27 de Janeiro de 2022 - 10:25

Barra voltará a ter portais de controle de medidas contra a Covid-19, anuncia prefeito

por Gabriel Lopes / Nuno Krause

Barra voltará a ter portais de controle de medidas contra a Covid-19, anuncia prefeito
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O bairro da Barra voltará a ter portais de controle para o cumprimento das medidas estabelecidas para conter a disseminação da Covid-19. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (27), pelo prefeito Bruno Reis (DEM/UB), durante a entrega 3ª etapa do Farol de Itapuã. 

 

"Vamos retomar os portais, estar lá orientando, para as pessoas terem acesso do Barra Center ao Porto da Barra. Que elas tenham acesso usando máscara. Vamos estar distribuindo máscaras nos portais, fazer higienização, e estar com a Guarda Municipal neste trecho orientando as pessoas para evitar aglomerações e seguir os protocolos estabelecidos pelos decretos", afirmou o gestor. 

 

Apesar disso, Bruno ressaltou que a Guarda Municipal está atuando com efetivo reduzido, de 40%, e pediu colaboração dos soteropolitanos. "A pior coisa para um governante é adotar medidas e não conseguir exigir que elas sejam cumpridas (...) É humanamente impossível, com 40% do efetivo reduzido, a gente controlar toda a cidade. Ainda mais levando-se em consideração que tem muita gente que já tomou três doses de vacina, que já pegou Covid pela segunda vez, e que acha, e aí está achando errado, que está imune, que a pandemia acabou", criticou. 

 

Salvador vem registrando um aumento no número de casos da Covid-19, assim como é em todo o país. Nesta quinta, o prefeito informou que a cidade ampliará em 50% a oferta de leitos pediátricos (lembre aqui). 

 

Junto a isso, Bruno anunciou a contratação de 343 novos profissionais de saúde para auxiliar nas ações de combate à pandemia. De acordo com o gestor, nesta quinta, 125 técnicos de enfermagem foram convocados pelo Reda, 107 auxiliares de serviços gerais pelas empresas terceirizadas pela prefeitura e mais 111 auxiliares administrativos.

Quinta, 27 de Janeiro de 2022 - 09:54

Bruno Reis anuncia a contratação de 343 profissionais de saúde e mais 48 leitos

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Bruno Reis anuncia a contratação de 343 profissionais de saúde e mais 48 leitos
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O prefeito Bruno Reis anunciou, nesta quinta-feira (27), as medidas tomadas pela prefeitura de Salvador para ampliar o sistema de saúde da capital em relação ao aumento dos casos de Covid-19 e síndrome gripal. 

 

Bruno informou que realizou a contratação de 28 leitos com o Hospital Santa Izabel, sendo 14 leitos de UTI e 14 de enfermaria, que já estão disponíveis nesta quinta (27). 

 

Em parceria com o Hospital Martagão Gesteira, foram contratados mais 10 leitos de UTI pediátrica, que funcionarão a partir da próxima semana. 

 

“Estamos ampliando em 50% a nossa oferta de leitos pediátricos para dar uma folga e ter uma margem maior de manobra”, disse o prefeito durante entrevista coletiva na entrega da 3ª etapa de requalificação do Farol de Itapuã.

 

Junto à abertura de novos leitos, Bruno anunciou a contratação de 343 novos profissionais de saúde para auxiliar nas ações de combate à pandemia. De acordo com o gestor, nesta quinta, 125 técnicos de enfermagem foram convocados pelo Reda, 107 auxiliares de serviços gerais pelas empresas terceirizadas pela prefeitura e mais 111 auxiliares administrativos.

 

O prefeito também anunciou a abertura da USV (Unidade de suporte ventilatório) nos Barris, na próxima quarta-feira, dia 2 de fevereiro. A unidade dispõe de 10 leitos semi-intensivos.

Estudo afirma que 43% das crianças têm sintomas 3 meses após Covid
Foto: Taylor Brandon / Unsplash

Um estudo realizado pelo Hospital das Clínicas de São Paulo mostra que quatro em cada 10 crianças e adolescentes entre 8 e 18 anos que tiveram Covid-19 continuam sentindo os efeitos da doença três meses após a infecção. As informações são do portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias.

 

Os participantes foram acompanhados por cerca de quatro meses após serem diagnosticados com Covid sintomática, e 43% deles apresentaram sinais da chamada Covid longa, ou persistente. Cerca de 19% sofreu de dores de cabeça, 9%, cansaço, 8% dispneia e 4%, dificuldade de concentração. Outros sintomas foram dores musculares e nas articulações e má qualidade do sono.

 

Os participantes seguem sendo acompanhados a cada seis meses. O médico lembra que a Covid-19 não costuma ser grave em crianças, mas pode se desenvolver e há risco de sequelas. Segundo o pesquisador, o levantamento comprova a importância da vacinação para a faixa etária.

Quinta, 27 de Janeiro de 2022 - 08:06

Secretária da Saúde Tereza Paim testa positivo para Covid-19

por Erem Carla

Secretária da Saúde Tereza Paim testa positivo para Covid-19
Foto: Sesab

A secretária de saúde do estado, Tereza Paim, informou nesta quinta-feira (27), que testou positivo para a Covid-19. Nas redes sociais, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), informou que a gestora está clinicamente estável.

 

“Ela segue clinicamente estável, cumprindo o isolamento em sua residência e os compromissos de trabalho por videoconferência”, diz o anúncio. 

 

Em entrevista à TV Bahia, Tereza disse que ficará em isolamento por cinco dias e irá repetir o teste.

 

Quinta, 27 de Janeiro de 2022 - 07:20

Anvisa deve liberar uso de autoteste de Covid no Brasil na sexta

por Mateus Vargas | Folhapress

Anvisa deve liberar uso de autoteste de Covid no Brasil na sexta
Foto: Reprodução / Secom

A diretoria colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deve aprovar na próxima sexta-feira (28) o uso do autoteste de Covid-19 no Brasil. No último dia 19, a agência decidiu por 4 votos a 1 adiar a decisão e pedir mais dados para o Ministério da Saúde.
 

A pasta comandada pelo ministro Marcelo Queiroga enviou na noite desta terça-feira (25) uma nova nota técnica com proposta de política pública para utilização do exame. No documento, a pasta apontou que o produto deve servir como ferramenta de triagem da Covid-19.
 

A tendência é que o uso do autoteste seja liberado agora pela agência, segundo integrantes da Anvisa que acompanham a discussão.
 

Pela proposta da Saúde, quem receber a indicação de que está infectado deve procurar uma unidade de atendimento de saúde ou buscar o serviço de teleatendimento para que um profissional da saúde confirme o diagnóstico e faça orientações.
 

A testagem no Brasil está centrada em clínicas, farmácias e serviços públicos, que não estão conseguindo atender à demanda diante da circulação da ômicron.
 

Entidades científicas cobraram, no começo de janeiro, uma política de testagem mais ampla do governo federal e a permissão do exame em casa. A procura pelos testes disparou com o avanço da contaminação na virada do ano.
 

O uso de autotestes é vetado por uma resolução da Anvisa de 2015. Pela regra, o ministério precisa propor uma política pública para liberar a entrega dos exames ao público leigo.
 

A proposta da Saúde é que o autoteste seja vendido apenas em farmácias.
 

O ministro Queiroga disse, no último dia 14, que o autoteste pode desafogar as unidades de saúde, mas sinalizou que o produto não deve ser comprado pelo governo e distribuído no SUS.
 

"O Brasil é um país muito heterogêneo, de muitos contrastes. A alocação deste recurso para aquisição de autoteste, distribuir para a população em geral, pode não ter resultado da política pública que nós esperamos", afirmou Queiroga.
 

A Saúde afirma que o autoteste PNE (Plano Nacional de Expansão da Testagem para Covid-19).
 

"Com o próprio cidadão se testando e, se positivo, aumenta-se a identificação dos casos de Covid-19 e a realização do auto isolamento. O objetivo maior é a ampliação do acesso da população a mais um teste para identificar as pessoas contaminadas, realizar o isolamento, reduzir a disseminação do vírus SARS-Cov-2 e assim interromper a cadeia de transmissão da Covid-19 e a pandemia", afirma a Saúde na nota técnica enviada à Anvisa.
 

A Saúde afirma que este tipo de exame não deve servir para substituir os exames RT-PCR ou de antígeno em viagens internacionais ou para justificar afastamento do trabalho.
 

O produto também não é indicado ainda para definir diagnóstico e por pessoas com sintomas graves, como falta de ar, saturação abaixo de 95%, confusão mental, sinais de desidratação. Essas pessoas precisam procurar imediatamente assistência em uma unidade de saúde, afirmar a pasta.
 

Como o exame deve servir para triagem, a pasta destacou ainda que não seria obrigatório informar o resultado do autoteste ao SUS.
 

Na bula, as empresas devem apresentar orientações sobre o melhor momento para a realização do exame que, em geral, é a partir do 1º ao 7º dia do início dos sintomas. Para quem não apresenta sinais da doença, o exame deve ser feito a partir do 5º dia do contato com caso confirmado, afirma a Saúde.
 

A bula deve informar também que o Disque Saúde, pelo telefone 136, do Ministério da Saúde, estará preparado para informar sobre sinais e sintomas relacionados a Covid-19.
 

A empresa que pedir o registro do teste também deve fornecer canal de comunicação telefônico ao usuário para orientar e encaminhar as demandas do interessado sobre o produto.
 

A Saúde também recomenda que as empresas podem optar por disponibilizar ou não um sistema para registro do resultado dos exames.

Quinta, 27 de Janeiro de 2022 - 00:00

Nova onda atinge cidades baianas que não tinham casos de Covid há meses

por Vitor Castro

Nova onda atinge cidades baianas que não tinham casos de Covid há meses
Foto: Reprodução / Prefeitura de Lauro de Freitas

Há pouco mais de três semanas o Bahia Notícias fez um levantamento que apontava um fato positivo em que 13 municípios baianos completavam 100 dias sem registrar nenhum caso da Covid-19 (relembre). No entanto, com a crescente de contaminações, não apenas na Bahia, mas em todo o país, demorou pouco para este cenário mudar. 

 

Agora, de acordo com os números do boletim epidemiológico da Sesab, uma nova onda de casos volta a atingir cidades antes ‘livres’ da doença. 

 

Em 4 de janeiro as cidades de Caturama, Jaguaripe, Contendas do Sincorá, Marcionílio Souza, Boninal, Tapiramutá, Nova Ibiá, Apuarema, Ipupiara, Ibiquera, Gentio do Ouro, Muniz Ferreira e Lagoa Real tinham zero casos de Covid-19 há mais de 100 dias. Todavia, de acordo com os dados emitidos pela Sesab nesta quarta-feira (26), o cenário mudou. Desta lista, dez cidades estão com casos ativos da doença. 

 

O município que lidera a lista de casos ativos é Jaguaripe, no Baixo Sul. A cidade está com 61 casos ativos da doença e há zero dias desde a confirmação do último caso. Em seguida vem Boninal, com 29 casos ativos e Lagoa Real, com 22 casos ativos. Todas com novos registros nesta terça-feira (25). 

 

O município de Gentio do Ouro conta com 15 casos ativos. Apuarema e Contendas do Sincorá estão com quatro casos ativos, cada. Já os municípios de Nova Ibiá e Muniz Ferreira confirmaram três contaminados pela Covid-19, cada. Os municípios de Ibiquera e Tapiramutá estão com um caso ativo. 

 

De acordo com os dados do boletim epidemiológico emitido pela Sesab nesta terça-feira (25), das 13 cidades listadas pelo BN em quatro de janeiro, apenas três seguem sem registrar casos da Covid-19. São elas: Marcionílio Souza, Caturama e Ipupiara.

Prefeitura antecipa licitações e poderá reabrir gripários de Paripe e São Cristovão
Foto: Valter Pontes / SECOM PMS

Salvador antecipou o processo licitatório para a reativação de leitos de tratamento exclusivo para pacientes com Covid-19 e sintomas gripais. Com a abertura dos certames, o município ensaia colocar em funcionamento dois gripários, um em Paripe e outro no bairro de São Cristóvão.

 

Os avisos de convocação foram publicados no Diário Oficial desta quarta-feira (26). Eles preveem a contratação de organizações sociais (OS) para a gestão, planejamento, operacionalização e execução das ações e serviços de saúde nas duas unidades.

 

Divulgadas em caráter emergencial, as convocações estabelecem ainda que as OSs escolhidas deverão executar os serviços por 90 dias, podendo este prazo ser prorrogado por igual período ou até quando durar o alerta de ações de vigilância dos casos suspeitos.

 

À reportagem do Bahia Notícias, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disse que as publicações se tratam de uma estratégia de "antecipação da gestão com o objetivo de deixar todo o processo licitatório pronto em caso da necessidade de reabertura dos Gripários Paripe e São Cristóvão".

 

As duas unidades haviam sido ativadas no período mais duro da pandemia de Covid-19, em 2020. Na época, cada uma funcionou como uma expansão das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de ambas as localidades, oferecendo, cada uma, mais 12 leitos à população.

 

Caso seja concretizada, será a sexta movimentação da prefeitura para a reabertura de gripários em um mês. Na última sexta-feira (21), outro equipamento do tipo foi entregue em Pirajá/Santo Inácio. Antes dele, foram reativadas as unidades do Vale dos Barris, do 16º Centro de Saúde (Pau Miúdo) e da ilha de Bom Jesus dos Passos.

 

No dia 14 de janeiro, o subsecretário de Saúde, Décio Martins, explicou como funciona a mobilização de leitos de Covid-19 na capital. Segundo ele, a taxa de infecção não é considerada como um critério para a abertura de novas vagas exclusivas para tratamento da doença, mas sim um outro dado, o de internações causadas em decorrência de síndrome respiratória.

Covid-19: Weber dá 5 dias para secretário da Saúde explicar nota contrária à ciência
Foto: Reprodução / STF

Após a secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde emitir uma nota afirmando que as vacinas contra a Covid-19 não têm demonstração de segurança, a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) estabeleceu um prazo de cinco dias para que o secretário Helio Angotti Neto explique o posicionamento da pasta.

 

No documento emitido pelo Ministério da Saúde, também se afirma que a hidroxicloroquina demonstrou segurança como uma tecnologia de saúde para a Covid. No entanto, esta informação não é reconhecida pela ciência.  
Conforme divulgou o Portal G1, Weber determinou ainda que o secretário se manifeste sobre a ação do partido Rede que, além de contestar a nota técnica, pede para que ele saia do cargo.

 

Após o questionamento feito pelo partido Rede na última sexta-feira (21), uma  nova nota técnica foi publicada no site da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec). No novo documento, o MS excluiu a tabela que dizia que as vacinas contra o Sars-Cov-2 não eram seguras e que a hidroxicloroquina era eficaz no tratamento da Covid.

 

Ao buscar o STF, o Rede afirmou que a nota técnica "é claramente contrária ao consenso científico internacional e afronta os princípios da cautela, precaução e prevenção – que deveriam ser o norte da bússola de qualquer gestor público no âmbito do enfrentamento de uma pandemia".

Vereador de BH toma vacina para viajar a Londres e participar de ato antivax
Foto: Reprodução / Instagram

O vereador bolsonarista Nikolas Ferreira (PRTB), de Belo Horizonte, se vacinou para poder viajar para Londres, capital da Inglaterra, neste mês. Entretanto, um dos compromissos do parlamentar em solo londrino foi uma manifestação anti-vacina na segunda-feira (24), o que provocou críticas.

 

Em foto publicada nos stories do Instagram do próprio parlamentar, ele aparece ao lado de uma ativista em Londres, que segura um cartaz com os dizeres: "Please, don't jab kids" ("Por favor, não vacinem as crianças").

 

Para viajar, o vereador de BH teve que se vacinar, tomando duas doses da vacina contra a Covid. Na época, ele disse que estava se sentindo forçado a se imunizar, contra a sua vontade, mas que não iria perder a viagem por isso.

 

“Estou me sentindo imposto [a tomar a vacina contra COVID-19] porque estou indo para uma viagem importante. Eu não ia deixar de viajar. Mas foi algo contra a minha vontade”, disse ele na época.

 

Em entrevista ao jornal Estado de Minas, Nikolas disse que não é contra a vacinação de crianças, mas sim contrário ao que ele chamou de “coerção dos pais para adesão à campanha”.

 

"Existe uma coerção aos pais. Eles precisam autorizar a vacina, mas são pressionados até cederem. Tem todo um discurso de que, se eles não levarem os filhos para a vacinação, eles não têm empatia, não se importam com as crianças”, afirmou.

 

O posicionamento do vereador gerou críticas da também vereadora de BH Duda Salabert (PDT), que classificou o ato do colega, de participar de uma manifestação anti-vacina, como irresponsável.

 

"O dever da Câmara é lutar pela aceleração da vacinação de crianças para um retorno mais seguro às aulas. Então, acho bastante irresponsável que o vereador se posicione desta maneira em relação à vacinação infantil. E especialmente num contexto em que a Covid-19 mata mais do que muitas doenças infecciosas", comentou Duda ao Estado de Minas.

 

Além de Londres, Nikolas passou por outros países europeus como Bélgica, Portugal e Luxemburgo, no que ele chamou de "missão religiosa".

Mulher será indenizada em R$ 50 mil por dar à luz no corredor de hospital
Foto: Freepik

Um hospital de São Paulo foi condenado a indenizar uma mulher em R$ 50 mil por ter dado à luz a seu bebê no corredor da unidade de saúde. A recém-nascida caiu no chão após o ato expulsivo. O hospital foi condenado por violência obstétrica. A 10ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) elevou o valor da indenização de R$ 10 mil para R$ 50 mil pela gravidade do caso. 

 

Na ação, a mulher alegou negligência por parte de funcionários do hospital na prestação de serviços médico-hospitalares por desamparo à mãe e ao bebê, pois, ao chegar na maternidade, a gestante já estava em trabalho de parto. Após dez horas, e com a falta de assistência, o parto acabou ocorrendo no corredor do hospital, o que ocasionou a queda da bebê no chão decorrente da expulsão fetal e que deu ensejo à angustiante espera de quase duas horas entre o ocorrido e o primeiro contato entre mãe e filha.

 

Para o relator do caso, desembargador Márcio Boscaro,  é fato que houve  falha no atendimento à parturiente. Ele destacou que não foram observados os critérios estabelecidos pela Anvisa na RDC 36/08, a qual dispõe, entre outros pontos, que os serviços de saúde que exercem atenção obstétrica devem permitir a presença de acompanhante, promover ambiência acolhedora e ações de humanização, ambiente confortável, orientação clara sobre procedimentos a serem realizados, bem como garantir a privacidade da mulher e de seu acompanhante. O relator considerou baixo o valor fixado em primeira instância. Além da indenização, o hospital deverá arcar integralmente com os honorários de sucumbência, bem como custas e despesas processuais.

Soteropolitanos com nome na lista podem ser vacinados contra Covid-19 nesta quinta
Foto: Divulgação / SMS

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Salvador definiu que vai continuar com a estratégia do "Liberou Geral" suspensa nesta quinta-feira (26), vacinando apenas os soteropolitanos que tenham nome na lista disponibilizada ao público no site da pasta.

 

Segundo o município, a imunização com a primeira dose para pessoas entre 06 e 17 anos com deficiência permanente e com comorbidades estará suspensa, assim como a 1ª aplicação para gestantes e puérperas.

 

A vacinação acontecerá a partir das 8h e acontecerá até às 16h. A 1ª dose da vacina será aplicada nas crianças e adolescentes com idade entre 06 e 17 anos sem comorbidades, bem como será ofertada na repescagem das pessoas com 18 anos ou mais. A 2ª e 3ª doses serão aplicadas para os públicos e aprazamentos informados no texto abaixo.

 

Programação desta quinta-feira (27):

 

1ª DOSE 18 ANOS OU MAIS COM NOME NO SITE DA SMS

Atenção: Está suspensa a imunização nesta faixa etária de gestantes e puérperas

 

Documentos: Além de estar com o nome no site da SMS, no ato da vacinação deverão ser apresentados o cartão SUS de Salvador e um documento oficial de identificação com foto. 

Drive: Unijorge e Vila Militar

Pontos fixos: USF Terreiro de Jesus, USF Menino Joel, USF Cajazeiras X, USF Antônio Lazarotto, USF Santa Mônica, UBS São Cristóvão, USF Fernando Filgueiras, USF Parque de Pituaçu, USF Vista Alegre, USF Alto de Coutos II e USF Santa Luzia.

 

1ª DOSE 6 A 17 ANOS COM NOME NA SITE DA SMS

Atenção: Está suspensa a imunização nesta faixa etária de pessoas com deficiência permanente e com comorbidades; bem como de gestantes e puérperas

 

Documentos: a criança ou adolescente deverá estar acompanhada pelo pai ou mãe no ato da vacinação. Para ser imunizada deve ainda estar com o nome na lista disponível no site da SMS, além de apresentar originais e cópias do documento de identificação do pai ou da mãe que estiver acompanhando a criança, cartão de vacina e documento oficial de identificação da criança. No local deverá também ser preenchido o Formulário da Vacinação. O documento pode também ser impresso para preenchimento antecipadamente através do link: http://www.saude.salvador.ba.gov.br/wp-content/uploads/2022/01/formulario-vacinacao-criancasV6.pdf. 

 

A criança acompanhada por um responsável maior de 18 anos, que não seja o pai ou a mãe, deverá estar com o nome na lista do site da SMS e no ato da vacina apresentar o Formulário de Vacinação já preenchido por um dos genitores (pai ou mãe), além das originais e cópias do documento de identificação com foto do responsável pela assinatura no Formulário, cartão de vacina e documento de identificação da criança. Formulário da Vacinação: http://www.saude.salvador.ba.gov.br/wp-content/uploads/2022/01/formulario-vacinacao-criancasV6.pdf. 

 

OBSERVAÇÃO: Os casos excepcionais relacionados à falta de apresentação da documentação completa serão tratados individualmente no próprio ato/local da vacinação, como vem ocorrendo desde o início da estratégia.

 

Locais de vacina:

Centro de Vacinação: Arena Fonte Nova e 5º Centro de Saúde (Esses pontos não funcionarão como drive. Realizarão a aplicação convencional da vacina para pedestres)

 

Pontos fixos: USF Cambonas, USF Boa Vista de São Caetano, USF Dep. Luís Braga, USF Cajazeiras V, USF Mussurunga I, USF Nova Esperança, USF Mata Escura, USF Vale do Matatu, USF Curralinho, USF Beira Mangue, Clube dos Oficias e Clube de Periperi

 

2ª dose: OXFORD (aprazados até 22/02/2022 com nome no site da SMS)

Documentos: No ato da imunização apresentar caderneta de vacina e documento oficial de identificação com foto.

Locais de vacina:

Drive – Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (09 às 16 horas) e Vila Militar (Dendezeiros)

Pontos fixos: UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF Federação, USF Antônio Lazarotto (Plataforma), UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras), USF Jardim das Margaridas, USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF San Martin I, USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF Plataforma, USF Tubarão e USF Teontônio Vilela II.

 

2ª dose: PFIZER (aprazados até 22/02/2022 com nome no site da SMS)

Documentos: No ato da imunização apresentar caderneta de vacina e documento oficial de identificação com foto.

Locais de vacina:

Drive – Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (09 às 16 horas) e Vila Militar (Dendezeiros)

Pontos fixos: UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF Federação, USF Antônio Lazarotto (Plataforma), UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras), USF Jardim das Margaridas, USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF San Martin I, USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF Plataforma, USF Tubarão e USF Teotônio Vilela II.

 

2ª dose: CORONAVAC (aprazados até 26/01/2022 com nome no site da SMS)

Documentos: No ato da imunização apresentar caderneta de vacina e documento oficial de identificação com foto.

Locais de vacina:

Drive – Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (09 às 16 horas) e Vila Militar (Dendezeiros)

Pontos fixos: UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF Federação, USF Antônio Lazarotto (Plataforma), USF Cajazeiras X, USF Jardim das Margaridas, USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF San Martin I, USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF Plataforma, USF Tubarão e USF Teontônio Vilela II.

 

Dose de reforço JANSSEN pessoas que tomaram a 1ª dose da JANSSEN até 26/11/2021 com nome no site da SMS

Documentos: No ato da imunização apresentar caderneta de vacina e documento oficial de identificação com foto.

Locais de vacina:

Drive – Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (09 às 16 horas) e Vila Militar (Dendezeiros)

Pontos fixos: UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF Federação, USF Antônio Lazarotto (Plataforma), UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras), USF Jardim das Margaridas, USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF San Martin I, USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF Plataforma, USF Tubarão e USF Teontônio Vilela II.

 

3ª dose para indivíduos com 18 anos ou mais que tomaram a 2ª dose até o dia 27/09/2021 com nome no site da SMS

Documentos: No ato da imunização apresentar caderneta de vacina e documento oficial de identificação com foto.

Locais de vacina:

Drive – Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (09 às 16 horas) e Vila Militar (Dendezeiros)

Pontos fixos: UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF Federação, USF Antônio Lazarotto (Plataforma), UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras), USF San Martin I, USF Jardim das Margaridas, USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF Plataforma, USF Tubarão e USF Teotônio Vilela II.

 

3ª dose para os imunossuprimidos que tomaram a 2ª dose até 27/12/2021 com nome no site da SMS

Documentos: No ato da imunização apresentar caderneta de vacina e documento oficial de identificação com foto.

Locais de vacina:

Drive – Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (09 às 16 horas) e Vila Militar (Dendezeiros)

Pontos fixos: UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF Federação, USF Antônio Lazarotto (Plataforma), UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras), USF San Martin I, USF Jardim das Margaridas, USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF Plataforma, USF Tubarão e USF Teotônio Vilela II.

 

3ª dose para Gestantes e Puérperas para quem tomou a segunda dose até 26/08/2021 com nome no site da SMS

Documentos: No ato da imunização apresentar caderneta de vacina e documento oficial de identificação com foto.

Locais de vacina:

Drive – Unijorge (Paralela), Shopping Bela Vista (09 às 16 horas) e Vila Militar (Dendezeiros)

Pontos fixos: UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF Federação, USF Antônio Lazarotto (Plataforma), UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras), USF San Martin I, USF Jardim das Margaridas, USF Eduardo Mamede (Mussurunga), USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF Plataforma, USF Tubarão e USF Teotônio Vilela II.

 

3ª DOSE VOLUNTÁRIOS DE PESQUISAS E ESTUDOS: Para recebimento da 3ª dose, os voluntários de pesquisas e estudos deverão apresentar os documentos citados acima além de declaração do Instituto de pesquisa indicando que estão liberados para 3ª dose sem prejuízo do prosseguimento do estudo/pesquisa.

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 18:00

43% das crianças sofrem efeitos da Covid 3 meses após infecção

por Cláudia Collucci | Folhapress

43% das crianças sofrem efeitos da Covid 3 meses após infecção
Foto: Reprodução / Abrinq

Quatro em cada dez crianças e adolescentes avaliados em estudo do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo continuam sofrendo efeitos prolongados da Covid nas 12 semanas seguintes à infecção.
 

A conclusão reforça a necessidade da vacinação desse grupo como medida preventiva e de acompanhamento dos infectados por um período maior.
 

Ela se soma a um conjunto de evidências que tem demonstrado que, assim como os adultos, o público infantojuvenil também pode sofrer os efeitos da chamada Covid longa, entre os mais sérios miocardite (inflamação do músculo cardíaco) e diabetes.
 

No estudo do HC, foi acompanhado por quatro meses, em média, um grupo de 53 crianças e adolescentes de 8 a 18 anos que tiveram Covid sintomática. No total, 43% delas manifestaram sintomas persistentes. Entre eles, dor de cabeça (19%), cansaço (9%), dispneia (8%) e dificuldade de concentração (4%). Dores musculares e nas articulares, além de má qualidade do sono, também foram relatadas (4%).
 

Desse total, um quarto das crianças continuou tendo pelo menos um dos sintomas após 12 semanas e foi classificado como tendo Covid longa.
 

O estudo, publicado na revista científica Clinics, contou também um grupo controle de crianças sem infecção por Sars-CoV-2. Ambos foram equilibrados por idade, sexo, etnia, condição social, IMC e doenças crônicas pediátricas.
 

"Esses sintomas trazem grande impacto na qualidade de vida dessas crianças e prejuízos escolares, já que existe um déficit de concentração", afirma o pediatra Artur Delgado, coordenador da UTI do Instituto da Criança e do Adolescente do HC.
 

As crianças seguem sendo supervisionadas, a cada seis meses, por uma equipe multidisciplinar e multiprofissional em um novo ambulatório montado no instituto.
 

Outro alerta recente sobre os efeitos prolongados da Covid no público infantojuvenil veio dos CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA no início deste mês. A doença foi relacionada a um risco duas vezes e maior de desenvolvimento de diabetes em crianças.
 

Os pesquisadores examinaram bancos de dados de seguros de saúde e compararam novos diagnósticos de diabetes em crianças que tiveram e que não tiveram Covid. A suspeita é que a doença surja por danos no pâncreas provocados pelo Sars-CoV-2.
 

Segundo Sharon Saydah, pesquisadora dos CDC, ainda não está claro se os casos de diabetes pós-Covid serão permanentes ou temporários. É bom reforçar, no entanto, que a doença não é o único fator de risco para a diabetes. O sedentarismo aumentou durante a pandemia e isso levou ao aumento de peso nas crianças, o que também pode ter contribuído para a alta dos casos da doença.
 

Os efeitos agudos graves da doença, embora sejam raros, também preocupam. A taxa de mortalidade brasileira pela síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (SIM-P) está em 6%, quatro vezes superior à registrada pelos Estados Unidos.
 

Desde o início da pandemia, essa síndrome já acometeu 1.450 crianças e adolescentes no Brasil, com 86 mortes, segundo o último boletim do Ministério da Saúde.
 

A síndrome costuma aparecer de duas a seis semanas após uma infecção por Covid-19 geralmente branda e pode resultar em hospitalização para crianças, com sintomas graves que envolvem o coração e outros órgãos.
 

"A Covid não é tão frequentemente grave nas crianças quanto nos adultos, mas pode ser muito grave e deixar sequelas, como as miocardites. O risco é muito maior de sequela devido à doença do que qualquer efeito da vacina", afirma Delgado.
 

Uma revisão de dados de 5 milhões de crianças vacinadas nos EUA mostrou uma taxa de 0,05% de efeitos adversos, a maioria brandos, como dor no local da aplicação, febre e cefaleia.
 

O Hospital Infantil Sabará, de São Paulo, também está avaliando a persistência de sintomas da Covid em crianças internadas na instituição durante a pandemia, mas o trabalho ainda está em andamento.
 

No Hospital Pequeno Príncipe, de Curitiba (PR), a maior instituição pediátrica do país que atende SUS, foi criado um ambulatório cardiológico para acompanhar os casos de miocardite após a fase aguda da Covid.
 

Os efeitos não param por aí. "Estamos vendo muitas crianças tendo crises de enxaqueca, desenvolvendo diabetes tipo 1, neuropatia periférica, quada de cabeça e com quadros de depressão e ansiedade", conta Victor Horácio de Souza Costa, infectologista pediátrico do Pequeno Príncipe.
 

Segundo ele, a doença também traz muitas manifestações clínicas na fase aguda, como insuficiência respiratória, meningite e síndrome nefrótica (perda de proteína pela urina), e é fundamental que a criança continue sendo acompanhada por um período após a infecção.
 

Ainda não se sabe, por exemplo, se os efeitos que ainda persistem serão permanentes ou vão desaparecer com o tempo.
 

"Tivemos crianças com miocardites que evoluíram muito bem e outras que estão sendo acompanhadas há quase um ano, com muita dificuldade da normalização do músculo cardíaco", explica Costa.
 

O menino David, 8, faz parte do primeiro grupo. Ele desenvolveu miocardite após a infecção por Covid, ficou um ano sendo acompanhado no ambulatório cardiológico do Pequeno Príncipe e agora já está recuperado.
 

A mãe, Sara de Souza, 37, conta que a inflamação do músculo cardíaco foi diagnosticada durante a internação. "O coração dele estava bem fraquinho." David ficou 13 dias internado, oito deles na UTI, intubado.
 

Sara diz que não vê a hora de o filho ser vacinado contra a Covid. "Se eu pudesse sair gritando: vacinem, vacinem suas crianças para não passar o que eu passei, eu faria isso. As pessoas ainda acham que com as crianças não acontece nada."

Acusado de assediar paciente, ginecologista é afastado do Cican; polícia investiga
Foto: Reprodução / CRN-5

 

Um ginecologista, que não teve a identidade revelada, foi afastado das atividades no Centro Estadual de Oncologia (Cican) após uma denúncia de estupro. Procurada pelo Bahia Notícias, a secretaria de saúde da Bahia (Sesab), há uma sindicância aberta e, “durante o procedimento de investigação, não se comenta sobre o caso”. 

 

Segundo a Polícia Civil, a vítima foi ouvida na Deam, mas o procedimento ainda não está finalizado, portanto não dispomos de mais detalhes no momento. A secretaria também revelou que existe uma investigação policial em curso. "O profissional encontra-se afastado até a conclusão da sindicância", explicou.

Salvador segue aplicando doses da vacina contra a gripe em crianças
Foto: Betto Jr. / Secom

A vacinação contra a gripe (H1N1)  segue nesta quinta-feira (27) em Salvador das 8h às 16h. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), as doses serão destinadas exclusivamente para crianças de seis meses a quatro anos e pessoas de 12 anos ou mais que não se vacinaram contra Influenza em 2021. Confira os pontos onde o imunizante será aplicado:

 

Pontos fixos:

Multicentro Carlos Gomes

UBS Pires da Veiga (Pau da Lima)

USF Vila Canária

USF Dom Avelar

Multicentro Adriano Pondé (Amaralina)

UBS Frei Benjamin (Valéria)

UBS Péricles Laranjeiras

USF Cajazeiras IV

USF Jardim das Mangabeiras

Multicentro Liberdade

UBS São Judas Tadeu (Pau Miúdo)

16º Centro de Saúde Maria Conceição Imbassahy (Pau Miúdo)

UBS José Marianne (Itapuã)

UBS Orlando Imbassahy (Bairro da Paz)

USF São Gonçalo

USF Arenoso

UBS Manoel Vitorino (Brotas)

USF Zulmira Barros (Costa Azul)

USF Estrada da Cocisa

USF Alto do Congo

USF Alto da Terezinha

USF São João do Cabrito.
 

Argentina não exigirá teste de Covid para turistas brasileiros vacinados
Foto: Angelica Reyes / Unsplash

Os brasileiros que estiverem vacinados contra a Covid-19 não precisarão apresentar um teste (PCR ou rápido de antígeno) negativo para entrar na Argentina a partir do próximo sábado (29). As informações são da CNN Brasil

 

A nova medida vale para pessoas que estejam em qualquer um dos países vizinhos: Chile, Bolívia, Paraguai, Brasil e Uruguai, há no mínimo 14 dias.

 

O viajante pode apresentar às autoridades argentinas um comprovante de vacinação demonstrando esquema vacinal completo (duas doses ou dose única) há ao menos duas semanas.

 

A pessoa não precisará cumprir quarentena ou apresentar teste negativo para o coronavírus, mas precisa comprovar que possui seguro de saúde que cubra serviços de internação, isolamento e transporte médico em casos de Covid-19.

 

Menores de idade que não tenham a vacinação completa não precisarão cumprir a quarentena, mas as autoridades da Argentina recomendam que a pessoa evite atividades em grupos nos primeiros sete dias após a chegada do país e realizem, até 72 horas antes da viagem, o teste para comprovar que não estão infectadas.

 

Os menores de seis anos de idade estão isentos tanto de apresentar o teste negativo quanto de cumprir a quarentena.

 

Os não vacinados contra a Covid-19 deverão apresentar teste negativo, quarentena e seguro de saúde, além de apresentar um certificado médico que demonstre a isenção da necessidade de se vacinar contra a Covid-19, com o aval da autoridade sanitária do país de origem e certificação consular da Argentina pelo órgão competente.

 

A exigência de teste é feita pelo governo argentino desde novembro do ano passado, quando começou a ser flexibilizada o trânsito de pessoas entre os países.

Pediatras e gestores públicos discutem impactos da Covid-19 na assistência à saúde
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

“O Cenário da Covid-19 na Pediatria da Bahia: Onde estamos e para onde vamos!" é o tema da roda de conversa on-line que será promovida pela Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape), com apoio do Instituto de Ensino da Saúde e Gestão (IESG) da Liga Álvaro Bahia, nesta quinta-feira, às 17h, com transmissão ao vivo e aberta pelo canal da Sobape no Youtube.

 

De acordo com a Sobape, o objetivo da atividade é discutir os impactos da Covid-19 na assistência à saúde de crianças e adolescentes no estado da Bahia, ouvindo pediatras, gestores públicos e responsáveis por instituições que atuam na atenção à saúde e na garantia do bem-estar do público infantojuvenil.

 

“Estamos vivendo um momento crítico, com a superlotação das unidades em todo o estado, e observando casos graves entre crianças e adolescentes. Precisamos discutir com os gestores públicos quais as condições da assistência à saúde, qual a oferta de leitos, de que recursos dispomos, tanto na parte de estrutura física e equipamentos quanto da mão de obra qualificada, e, principalmente, que estratégias podemos adotar para contribuir com essa assistência”, diz a presidente da Sobape, a pediatra Dolores Fernandez.

 

A pediatra reforçou a importância da realização de uma discussão com resultados práticos, uma vez que “as emergências pediátricas e as unidades de internamento, incluindo as UTIs, têm recebido crianças já com quadros graves não só de Covid, mas com gripe severa, casos de síndrome respiratória aguda grave, infecções bacterianas e outras patologias da infância”.   

 

Além dos presidentes da Sobape e da Liga Álvaro Bahia, o cirurgião pediátrico Carlos Emanuel Melo, foram convidados como debatedores os secretários de saúde, Tereza Paim (estadual) e Leo Prates (Municipal); a diretora-geral do Instituto Couto Maia, a infectologista Ceuci Nunes; representantes do Cremeb; o promotor Carlos Martheo (Ministério Público do Estado da Bahia); e o deputado federal e médico Jorge Solla. 

Governo discute possibilidade de 4ª dose da vacina para idosos e profissionais de saúde
Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

A aplicação da quarta dose da vacina contra a Covid-19, começa a ser debatida no Brasil esta semana, de acordo com o jornal O Globo. Membros da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (Ctai), criada para avaliar medidas de combate à pandemia no âmbito do Ministério da Saúde, vão discutir sobre uma possível nova etapa de imunização, de acordo com a publicação.

 

A medida já é adotada por Chile e Israel, onde a quarta dose é aplicada em maiores de 60 anos e outros grupos de risco. Um painel consultivo do Ministério da Saúde israelense recomendou incluir nesse novo esforço todos os adultos, cinco meses após a terceira dose. 

 

Desde o final de dezembro de 2021, uma nota técnica do ministério recomenda a quarta dose no Brasil apenas para pessoas imunossuprimidas, quatro meses após o reforço. 

 

De acordo com O Globo, o infectologista Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), um dos integrantes da câmara técnica, diz que o grupo vai avaliar a necessidade e o intervalo dessa dose adicional para idosos e profissionais de saúde no país.

 

Outros países, como Alemanha e Estados Unidos, atualmente discutem a possibilidade dessa aplicação diante do aumento de casos da Ômicron.

 

Até o momento, não há estudos conclusivos sobre o assunto, que indiquem queda na proteção após o reforço ou em que momento isso aconteceria. 

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 14:00

Bruno afirma que controle de Covid nas escolas é maior e descarta adiar aulas

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Bruno afirma que controle de Covid nas escolas é maior e descarta adiar aulas
Foto: Valter Pontes / Secom

O prefeito Bruno Reis afirmou nesta quarta-feira (26), que o aumento de casos da Covid-19 em Salvador não é razão para adiar o retorno das aulas na capital. No início desta semana, a Bahia registrou a maior taxa de transmissão desde o início da pandemia.

 

O gestor disse que vários estados do país já retornam com o ano letivo, mesmo com alta de casos e que tem convicção do que está fazendo. Bruno ressaltou que profissionais da educação, tal qual as crianças, estão se vacinando contra a Covid-19. 

 

“Não há razões. Já tivemos dois anos sem aula, praticamente. O prejuízo é enorme para a educação. O que eu faço é um apelo, nas escolas o ambiente está com todos os protocolos e a gente tem como controlar mais do que com as crianças na rua”, afirmou. 

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 13:34

Bruno Reis diz que maior taxa de transmissão não está impactando o sistema de saúde 

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Bruno Reis diz que maior taxa de transmissão não está impactando o sistema de saúde 
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O fator de transmissão, chamado fator RT, atingiu o maior registro desde o início da pandemia na Bahia. O indicador chegou à marca de 2,2, o que significa que 100 pessoas infectadas podem transmitir o vírus para 222 pessoas. 

 

Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (26), o prefeito Bruno Reis disse que mesmo com a taxa de transmissão alta, o principal fator é a ocupação de leitos. 

 

“Quais são os três problemas que estamos enfrentando com essa variante Ômicron? Primeiro é a testagem, a procura muito grande por testagem tendo em vista que é preciso saber se é Ômicron ou gripe para ser tratado e muita gente que precisa se afastar do trabalho e realizar o teste para ter o atestado”, disse.

 

O prefeito completou que leitos de UTI pediátrica e de clínica médica são os outros problemas enfrentados pela Prefeitura.

 

 “Isso mostra que os pacientes estão com sintomas menos graves. Por mais que o fator RT esteja em 2,2, e quando passa de 1 já indica descontrole, por mais que o número de casos ativos e 5 mil novos casos por dia, não está tendo impacto no sistema de saúde”, afirmou. 

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 12:40

Ministério da Saúde quer autoteste como triagem para Covid

por Raquel Lopes | Folhapress

Ministério da Saúde quer autoteste como triagem para Covid
Foto: Reprodução / Secom

Em resposta à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o Ministério da Saúde apontou que o autoteste passaria a ser uma nova ferramenta de triagem do Programa Diagnosticar para Cuidar.
 

Dessa forma, a pessoa a partir do resultado positivo deve procurar uma unidade de atendimento de saúde ou teleatendimento para que um profissional da saúde, mediante as estratégias já postas pela pasta, realize a confirmação do diagnóstico, notificação e orientações pertinentes de vigilância e assistência em saúde.
 

O Programa Diagnosticar para Cuidar foi criado pelo Ministério da Saúde em 2020 para ampliar a testagem no Brasil.
 

A Anvisa não aprovou o uso de autoteste de Covid-19 no Brasil em 19 de janeiro. A leitura foi de que a nota técnica do Ministério da Saúde apresentava lacunas, por exemplo, sobre como notificar a confirmação da infecção e de que forma orientar os pacientes.
 

A Anvisa informa, em nota, que recebeu na terça-feira (25) informações referentes a política pública com autotestes. A agência reguladora disse que irá analisar e ajustar a proposta ao texto de resolução já previamente feito, submeter a procuradoria da Anvisa e deliberar. Ainda não há prazo.
 

O Ministério da Saúde disse ainda que com a regulamentação do autoteste pela Anvisa, este poderá ser comercializado apenas em farmácias com e sem manipulação, servindo como uma nova ferramenta para ampliar a testagem de Covid-19.
 

"Com o próprio cidadão se testando e, se positivo, aumenta-se a identificação dos casos de Covid-19 e a realização do auto isolamento. O objetivo maior é a ampliação do acesso da população a mais um teste para identificar as pessoas contaminadas, realizar o isolamento, reduzir a disseminação do vírus SARS-Cov-2 e assim interromper a cadeia de transmissão da Covid-19 e a pandemia", disse na nota técnica.
 

A pasta justificou que o autoteste é uma nova ferramenta que, juntamente com a vacinação, o uso de máscaras e o distanciamento físico tem papel importante na resposta à pandemia em outros países. Os autotestes podem ser usados caso os indivíduos apresentem sintomas de Covid-19 ou tenham sido expostos ao vírus.
 

A pasta indica o autoteste para ampliar a testagem de indivíduos sintomáticos, assintomáticos e seus possíveis contatos. Dessa forma, poderia ocorrer o isolamento precoce e a quebra de cadeia de transmissão. Além de direcionar o encaminhamento oportuno à rede assistencial.
 

Ele também serviria para que a pessoa saísse do isolamento após resultado de teste negativo, desde que assintomático e no período recomendado.
 

O autoteste não deve ser realizado para apresentação de teste de Covid-19 negativo em viagens internacionais; para fins de licença médica laboral; para realização em terceiros.
 

Ele não é indicado ainda para definir diagnóstico e por pessoas com sintomas graves, como falta de ar, saturação abaixo de 95%, confusão mental, sinais de desidratação. Esses indivíduos precisam procurar imediatamente assistência em uma unidade de saúde.

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 12:36

Cerca de 2 mil pessoas em situação de rua já tomaram a 2ª dose, diz Kiki

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Cerca de 2 mil pessoas em situação de rua já tomaram a 2ª dose, diz Kiki
Kiki Bispo | Foto: Anderson Ramos / Bahia Notícias

O titular da Secretaria de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esporte e Lazer de Salvador (Sempre), Kiki Bispo, disse nesta quarta-feira (26) que cerca de 2 mil pessoas em situação de rua já estão vacinadas com a segunda dose da Janssen contra a Covid-19.

 

De acordo com o secretário, foi montada uma força tarefa com a Saúde e o objetivo é atingir a marca de 3.500 mil pessoas que se vacinaram com a dose desse imunizante, que inicialmente previa a aplicação em dose única. 

 

“Adotamos a estratégia inicial com a Janssen como primeira dose, porque acreditamos que seria a mais eficaz, no entanto como manda a programação do Ministério da Saúde tivemos que fazer a segunda dose. Montamos uma força-tarefa junto com a Saúde, nós temos dois pontos fixos e alguns móveis que tem percorrido a cidade”, disse. 

 

A Secretaria Municipal da Saúde informou que a vacinação da população em situação de rua acontece sempre às quartas-feiras, nos pontos fixos Centro Pop Itapagipe e no NUAR (Núcleo de Ações Articuladas para População em Situação de Rua), no bairro do Comércio.

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 12:06

Pessoas que não podem ler ou escrever contarão com técnicos em pontos de vacinação

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Pessoas que não podem ler ou escrever contarão com técnicos em pontos de vacinação
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

A vacinação contra a Covid-19 de crianças de 05 a 11 anos já é uma realidade na capital baiana. Mas junto a estratégia da Prefeitura, algumas exigências são feitas no ato da imunização como, por exemplo, a entrega da cópia de documentos e de um termo de autorização preenchido e assinado pelos responsáveis.

 

O desafio começa quando nem toda população está apta para realizar esses procedimentos. 

 

Um estudo divulgado em 2020 pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que a Bahia tem o maior número de analfabetos do país. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), em 2019, mais de 1,5 milhão de pessoas de 15 anos ou mais não sabiam ler ou escrever um bilhete simples.

 

Em entrevista ao Bahia Notícias nesta quarta-feira (26), o subsecretário municipal de Saúde, Decio Martins, disse que os pontos de vacinação dispõe de técnicos para realizar a leitura do termo e auxiliar pais e responsáveis que não conseguem preencher o formulário, além de procedimentos para quem não consegue levar uma cópia da documentação. 

 

“Nós sabemos que muitas pessoas humildes não tem condições de tirar cópias, estamos disponibilizando celular e tabletes para tirar cópias e reter esses documentos e em caso das pessoas que não sabem ler e escrever, o ideal é que nossos técnicos leiam todo o documento e a pessoa se responsabilize”, afirmou Decio. 

 

O subsecretário ainda ressaltou que até a manhã desta quarta (26), 31 mil crianças já foram vacinadas contra a Covid-19 em Salvador, e que considera o ritmo de vacinação positivo. Cerca de 160 mil crianças de 5 a 11 estão aptas para serem imunizadas na capital. 

Sem vacinar contra Covid, homem tem transplante de coração negado
Foto: Piron Guillaume / Unsplash

Com problema cardíaco hereditário, DJ Ferguson, um norte-americano de 31 anos, foi retirado do topo da lista de receptores para um transplante de coração. A doença cardíaca que compromete sua saúde faz com que os pulmões e o coração se encham de sangue e fluido. As informações são do portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias.

 

A decisão foi tomada pelo Boston Brigham and Women’s Hospital, um hospital universitário da Harvard Medical School, após constatarem que Ferguson não se vacinou contra a Covid-19. 

 

O pai dele, David, lamentou em entrevista à CBS Boston e disse que o filho está internado à beira da morte e explicou o motivo pelo qual ele não se imunizou. “É meio que contra seus princípios básicos. Ele não acredita nisso”, contou o pai.

 

Em comunicado, a unidade de saúde explicou que a vacina é de extrema importância para que o paciente tenha sucesso na operação e mais chances de sobrevida após o transplante.

 

“E como muitos outros programas de transplante nos Estados Unidos, a vacina Covid-19 é uma das várias vacinas e comportamentos de estilo de vida necessários para candidatos a transplante no sistema Mass General Brigham, a fim de criar o melhor chance de sucesso da operação e também a sobrevida do paciente após o transplante”, informou o Hospital.

 

O hospital também explicou que segue todas as diretrizes de transplante de acordo com as recomendações da Sociedade Americana de Transplantes, da Sociedade Americana de Cirurgiões de Transplantes e da Sociedade Internacional de Transplante de Coração e Pulmão.

SRAG permanece com sinal forte de crescimento, alerta Fiocruz
Foto: Brian Asare / Unsplash

A nova edição do Boletim InfoGripe Fiocruz, divulgada na noite de ontem (25), indica que os casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), independentemente da presença de febre, apresentam sinal forte de crescimento na tendência de longo prazo (últimas seis semanas) e de curto prazo (últimas três semanas). 

 

De acordo com o boletim, percebe-se que a tendência se mantém desde a Semana Epidemiológica (SE) 48, que remete ao início de dezembro de 2021, 25 Unidades da Federação apresentam ao menos uma macrorregião de saúde com nível de casos semanais de SRAG considerado muito ou extremamente alto, somando um total de 79 das 118 macrorregiões de saúde do país. 

 

Com relação ao ano epidemiológico 2022, já foram notificados 22.465 casos de SRAG, sendo 8.749 com resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 5.848 negativos, e ao menos 5.997 aguardando resultado laboratorial. 

 

Dentre os casos positivos do ano corrente, 15,1% são Influenza A, 0,1% Influenza B, 3,1% vírus sincicial respiratório (VSR), e 73,3% Covid-19. Nas quatro últimas semanas epidemiológicas, a prevalência entre os casos positivos foi de 23,4% Influenza A, 0,2% Influenza B, 3,9% vírus sincicial respiratório, e 65,2% Covid-19.

 

Observa-se crescimento em todas as faixas etárias da população adulta, desde o final de novembro e início de dezembro, até o presente momento. Tal cenário só não é observado na faixa de 0 a 9 anos, que se mantinha desde o mês de outubro de 2021, e ao final de dezembro apresenta reversão do crescimento, e entre os adolescentes de 10 a 19 anos, que apresentaram leve queda ao final de dezembro, porém com sinal de possível retomada do crescimento em janeiro. 

 

“Esta reversão na tendência de novos casos em crianças pode estar associada à redução na transmissão de casos de vírus sincicial respiratório (VSR) e de Influenza (gripe), que eram as principais causas de SRAG nessa faixa etária, enquanto os casos associados à Covid-19 aparentam manter crescimento. Na faixa etária entre 10 e 19 anos, a leve queda ao final de janeiro está associada à diminuição nos casos de Influenza, porém a queda foi interrompida em função do aumento nos casos de Covid-19”, explica Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe.

 

Em 26 dos 27 estados, observa-se ao menos uma macrorregião de saúde com sinal de crescimento nas tendências de longo ou curto prazo: Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia, Roraima e Tocantins, no Norte; Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, no Nordeste; Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, no Sudeste; Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste; Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, no Sul. 

 

Pará é o único estado em que observa-se tendência de longo e curto prazo com sinal de queda ou estabilização. Em relação às estimativas de nível de casos de SRAG para as macrorregiões de saúde, não se observa nenhuma em nível pré-epidêmico, enquanto temos uma em nível epidêmico, 38 em nível alto, 61 em nível muito alto, e 18 em nível extremamente alto.

Jaguaquara: Decreto limita público de 200 pessoas em eventos no município
Prefeita Edione Agostinone / Foto: Reprodução / Blog do Marcos Frahm

A prefeitura de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, reduziu para 200 pessoas o público máximo em eventos. A decisão saiu do Diário Oficial do Município nesta terça-feira (25). Segundo o Blog do Marcos Frahm, um evento marcado para ocorrer no próximo sábado, com Adelmário Coelho entre as atrações, foi cancelado, como nova data prevista para 8 de maio.

 

O decreto da prefeita Edione Agostinone visa conter o avanço da proliferação da Covid-19. Em Jaguaquara há 354 casos ativos de novo coronavírus. De acordo com a prefeitura, 37.914 pessoas já tomaram a primeira dose de imunizante contra a Covid-19 e 30.193 tomaram duas aplicações.

 

A dose de reforço já foi administrada em 6.577 moradores. No dia 21 de janeiro, o governador Rui Costa determinou a redução de 3 mil para 1,5 mil pessoas o público em eventos públicos e privados no estado. A medida vale até o dia 4 de fevereiro.

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 10:00

Obesidade triplica complicações por Covid, mostram estudos

por Samuel Fernandes | Folhapress

Obesidade triplica complicações por Covid, mostram estudos
Foto: NeONBRAND / Unsplash

A obesidade já é reconhecida como um fator de risco para a Covid-19 e também para outras infecções virais. Novos estudos, no entanto, procuram entender melhor os impactos que o acúmulo excessivo de gordura e doenças associadas causam para diferentes faixas etárias -e também os benefícios que intervenções médicas para redução de peso trariam na diminuição de complicações.
 

No Brasil, o excesso de peso já atinge grande parcela da população e vem crescendo com o passar do tempo. Dados da PNS (Pesquisa Nacional de Saúde), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostram que, em 2019, a obesidade foi registrada em cerca de 26% dos brasileiros com mais de 20 anos. Em comparação, em 2003, esse percentual era de 12%.
 

Uma dessas pesquisas foi publicada recentemente na revista científica Jama Surgery. Assinado por pesquisadores da Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, o estudo foi composto por 2.958 pessoas que tinham passado por cirurgia para redução de peso e foram acompanhadas durante a pandemia.
 

Além desses, havia o grupo controle, composto por mais de 8.000 indivíduos que eram obesos e não tinham passado por cirurgia.
 

A intenção da pesquisa era comparar os dois grupos para entender se a intervenção cirúrgica para redução de peso poderia diminuir os riscos do coronavírus.
 

Os pesquisadores centraram suas análises em quatro pontos: resultado positivo para Covid-19, hospitalizações, necessidade de oxigenação suplementar e situações graves com a doença (internação em UTI, ventilação mecânica ou morte).
 

Nos resultados, foi observado que o índice de testes positivos para Covid foi semelhante nos dois grupos, mas o agravamento pela doença foi consideravelmente maior naqueles que não tiveram redução de peso.
 

Os desfechos mais graves, como internação em UTI, necessidade de uso de ventilação mecânica ou morte, atingiram três vezes mais o grupo controle. A necessidade de oxigenação suplementar teve uma taxa semelhante, enquanto a hospitalização registrou quase o dobro de registros nesse grupo.
 

Feito por pesquisadores brasileiros e publicado na revista The Lancet Regional Health Americas, um segundo estudo recente aprofundou as descobertas sobre a obesidade e a Covid se concentrando na divisão por faixas etárias e também na análise de doenças associadas ao acúmulo excessivo de peso.
 

O trabalho comparou obesidade, doenças cardiovasculares e diabetes em três grupos etários. Dessa forma, foi possível entender os riscos que uma pessoa com essas comorbidades tem de desenvolver quadros mais críticos de Covid, em contraste com aqueles que, na mesma faixa de idade, não as têm.
 

Nas análises, os pesquisadores identificaram que jovens com diabetes, complicações cardiovasculares e obesidade tinham sete vezes mais riscos de morrer ao contraírem Covid-19 ao comparar com pessoas da mesma faixa etária que não tinham essas doenças prévias.
 

Para os idosos, esses riscos aumentavam bem menos as chances de morrer com o coronavírus, indicando que a obesidade e doenças associadas a ela têm maior impacto nos mais jovens.
 

"Ao olhar jovens com comorbidades contra jovens sem comorbidades, [aqueles] estão muito associados com risco enorme de morrer. Idosos com comorbidades e sem comorbidade quase não têm diferença porque o fato de eles serem idosos já aumenta [a chance de óbito]", explica Helder Nakaya, pesquisador sênior do Einstein e um dos autores da pesquisa.
 

Ao identificarem tal aspecto, os autores defendem a necessidade de priorizar pessoas jovens que tenham essas comorbidades durante campanhas de vacinação, a fim de reduzir a mortalidade causada por doenças como a Covid-19.
 

"Esse trabalho talvez ajude a guiar políticas públicas no sentido de que mostra cientificamente que esse é um grupo de risco relevante, que merece ser priorizado em futuras campanhas de vacinação", diz Nakaya.
 

O entendimento de que a obesidade agrava quadros de infecções já é algo bem consolidado. Segundo Ricardo Cohen, coordenador do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, essa percepção provavelmente data da pandemia de gripe espanhola, que ocorreu no início do século 20.
 

"Morria quem tinha mais peso", diz Cohen.
 

No entanto, ainda faltam estudos que consolidem por que o acúmulo de gordura colabora para essas complicações. Segundo Nakaya, uma possível forma de entender esse padrão é por causa do processo inflamatório.
 

O pesquisador explica que "a obesidade é considerada uma doença inflamatória, então, se você pega um obeso, você vai ver níveis basais de inflamação aumentados". Ao juntar esse organismo já inflamado com outra doença que eleva ainda mais o processo inflamatório, como é a Covid, "isso pode causar morte, porque a pessoa inflama muito rápido".
 

Outra explicação possível parte de um estudo, também assinado por Nakaya, que consistiu na análise da autópsia de 14 pulmões de pacientes que haviam falecido por Covid-19 e tinham obesidade, diabetes ou hipertensão. Além desses, também houve outros quatro pulmões para um grupo controle.
 

"As pessoas com obesidade tinham alterações de genes no pulmão que provavelmente explicavam por que elas morriam", afirma, sobre uma possível explicação genética de por que a obesidade piora a Covid.
 

Mesmo assim, ele ressalta, essa descoberta não é necessariamente um indicativo que possa ser replicado para outros indivíduos, pois o estudo "foi feito com um número muito menor de pessoas".
 

Para Cohen, é importante entender que o tratamento para obesidade -principalmente quando ela é associada a outras doenças, como diabetes e hipertensão- é essencial para a pandemia que vivemos e para outras que poderemos enfrentar.
 

"Se tivesse controle da diabesidade [junção da diabetes e obesidade], a gente certamente teria passado pela pandemia de Covid-19 e pelas próximas pandemias com muito mais tranquilidade", afirma.
 

Ele afirma que, em 2019, aconteceram 70 mil cirurgias bariátricas, mas isso só representa 2% da população que deveria ser operada. O médico também cita o surgimento de medicamentos que tratam a obesidade, mas ainda com pouca adesão no país.

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 09:20

Fábio Vilas-Boas testa positivo para Covid pela segunda vez

por Erem Carla

Fábio Vilas-Boas testa positivo para Covid pela segunda vez
Foto: Reprodução / Twitter

O ex-titular da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), Fábio Vilas-Boas, anunciou nesta quarta-feira (26), que testou positivo pela segunda vez para a Covid-19. Nas redes sociais, Fábio informou retornou de uma viagem ao Sul e Sudoeste da Bahia, onde visitou cerca de 10 municípios e em seu retorno, apresentou sintomas leves da doença.

 

“Testei positivo para COVID pela 2ª vez. Mas estou bem, em casa, apenas com nariz entupido. Aproveito para advertir a todos que essa “gripe” que está por aí pode ser COVID. Importante não menosprezar! Procurem testar e se isolar. Saúde para todos”, escreveu Vilas-Boas e informou que permanecerá em isolamento por sete dias. 

 

Em um vídeo publicado junto ao anúncio, Vilas-Boas relembrou a primeira vez que teve a doença e precisou ser transferido para um leito de UTI por causa do agravamento do quadro. 

 

“Ou seja, esse vídeo serve, na verdade, como uma recomendação de quem já falou tantas vezes sobre a pandemia: VACINE-SE! E, se tiver sintomas, ainda que leves, se possível, faça um teste diagnóstico”, disse.

 

Perda de audição, tontura e zumbido em ouvidos são sintomas da Ômicron
Foto: Usman Yousaf / Unsplash

A presidente do Departamento de Otorrinolaringologia-Cirurgia de Cabeça e Pescoço da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, Konstantina Stankovic, alertou que a dor de ouvido e problemas de audição estão se tornando um sinal comum da infecção pela Ômicron. As informações são do portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias.

 

“Se você notar perda de audição, tontura ou zumbido nos ouvidos, não os ignore. Faça o teste. Em alguns de nossos pacientes, vimos que a perda auditiva é o único sinal de infecção por Covid”, disse a médica à rede 7News.

 

A equipe de Stankovic recriou um modelo de ouvido e o expôs a um teste de Covid-19. Eles concluíram que o prejuízo no ouvido tenha sido causado pela infecção através do nariz.

 

A médica ainda reforçou a necessidade do uso correto das máscaras para evitar novas infecções e os sintomas causados pela Covid-19.

Quarta, 26 de Janeiro de 2022 - 06:40

Vacinação contra gripe prossegue em Salvador nesta quarta

Vacinação contra gripe prossegue em Salvador nesta quarta
Foto: Bruno Concha / Secom - PMS

A vacinação contra a gripe prossegue em Salvador nesta quarta-feira (26). A aplicação será exclusivamente para crianças de seis meses a 4 anos e pessoas de 12 anos ou mais que não se vacinaram contra Influenza em 2021. Os postos funcionam das 8h às 16h.

 

Pontos fixos: Multicentro Carlos Gomes, UBS Pires da Veiga (Pau da Lima), USF Vila Canária, USF Dom Avelar, Multicentro Adriano Pondé (Amaralina), UBS Frei Benjamin (Valéria), USF Dep. Luís Braga (Pirajá), USF Cajazeiras IV, USF Jardim das Mangabeiras, Multicentro Liberdade, UBS São Judas Tadeu (Pau Miúdo), 16º Centro de Saúde Maria Conceição Imbassahy (Pau Miúdo), UBS José Marianne (Itapuã), UBS Orlando Imbassahy (Bairro da Paz), USF São Gonçalo, USF Mata Escura, USF Arenoso, UBS Manoel Vitorino (Brotas), USF Zulmira Barros (Costa Azul), USF Estrada da Cocisa, USF Alto do Congo, USF Alto da Terezinha e USF São João do Cabrito.

Histórico de Conteúdo