Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

'Blocos não foram consultados', diz fundador do Cheiro sobre mudanças no Carnaval
Foto: Reprodução/Youtube

As mudanças no circuito Barra-Ondina para a Boca do Rio durante o Carnaval de Salvador continuam dividindo opiniões entre os foliões e empresários da maior festa de rua do mundo (entenda aqui). 

 

Os empresários Ângelo David, Windson Silva e Bruno Melo, convidados do Bargunça Podcast desta quarta-feira (15) comentaram sobre o tema e Windson chegou a falar que os blocos não foram consultados nessa discussão. 

 

“Você vai deixar de ter o carnaval de Salvador para ter um carnaval de qualquer cidade. Carnaval precisa ter vida, a população tem que curtir o que tá fazendo. Estão fazendo um carnaval e não perguntaram a população se ela vai gostar de fazer um carnaval na Boca do Rio", iniciou Windson. 

 

O fundador do bloco Cheiro de Amor, um dos mais tradicionais da capital baiana, ainda disse que desaprova a mudança e que a maioria dos blocos não foram consultados sobre a ideia. 

 

“Não perguntaram ao povo, como não perguntaram aos blocos, eu fiquei sabendo na semana passada com tudo decidido. Então não tem assinatura do Cheiro de Amor essa ideia e a maioria dos blocos ninguém sabe disso. Não é uma ideia dos blocos. Os blocos não pediram isso”, afirmou. 

 

“O Campo Grande já foi, enterraram. As mudanças que foram feitas enterram o circuito”, opinou Bruno Melo, empresário da banda Babado Novo. 

 

Ângelo David acredita que mudanças são naturais com o passar do tempo. "Tivemos o auge do Campo Grande, passou. tivemos o auge da Barra, passou. As pessoas estão esquecendo das coisas", opinou. "Carnaval como qualquer produto é uma evolução. Simplesmente passou o tempo da Barra como passou o tempo do Campo Grande".

Histórico de Conteúdo