Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

TCA reabre bilheteria presencial e deve arcar com prejuízos após calote da Ingresso Rápido
Foto: Divulgação

Depois de cerca de dois anos fechada, a bilheteria do Teatro Castro Alves (TCA) reiniciou a venda presencial de ingressos nesta sexta-feira (12). 

 

Além dos entraves da pandemia, o serviço ficou comprometido por um problema com a Ingresso Rápido, tiqueteira que operava no local. A empresa rescindiu contrato e deu “calote” nas produtoras de evento, ao não repassar valores arrecadados na bilheteria (saiba mais aqui e aqui). 

 

Segundo Moacyr Vilas Boas, presidente da Associação Baiana das Produtoras de Eventos (Abape) e proprietário da Allcance Produções, após os protestos da classe, o TCA se comprometeu a arcar com este prejuízo e ressarcir os produtores. O empresário diz que apesar de não ter recebido qualquer documento formal, "conversas e negociações sinalizam isso, o que já nos tranquiliza".

 

Ao Bahia Notícias, a assessoria de comunicação do teatro informou que a Sympla está operando a venda de ingressos de forma provisória, mas garantiu que “os trâmites de licitação” para a contratação de uma empresa responsável pelo serviço a longo prazo ainda estão em andamento. 

 

Enquanto não é finalizada a licitação, o público poderá adquirir os ingressos diretamente no próprio teatro, todos os dias, das 12 às 20h, e também online, pelo site da Sympla.

Histórico de Conteúdo