Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 28 de Junho de 2022 - 14:30

Davidson pelo Mundo: Quero viajar ao exterior, mas não falo outro idioma. O que fazer?

por Davidson Botelho - @davidsonpelomundo

Davidson pelo Mundo: Quero viajar ao exterior, mas não falo outro idioma. O que fazer?

Morro de vontade de fazer uma viagem ao exterior, tenho condições financeiras, tempo, mas morro de medo por não ter nenhuma experiência e não falar nenhum outro idioma. O que fazer?

 

Certamente todos nós conhecemos muitas pessoas assim, até temos em nossa família alguns casos similares. Como resolver? Bem, existem algumas possibilidades pra se jogar nesse fantástico mundo do turismo, quebrar paradigmas e viajar bastante.

 

A princípio eu sugiro que as primeiras viagens sejam realizadas em grupos organizados por uma agência de credibilidade, com guia, as chamadas EXCURSÕES. Apesar de muita gente ser resistente a esta forma de viajar, essa é a forma ideal para que tem dificuldades com idiomas, não tem companhia, quer facilidade de pagamento e outras vantagens, ou até mesmo quem tem bloqueios de insegurança.

 

Mas também tem aquelas pessoas que desejam roteiros mais livres, sem tantas obrigações e programações e, assim, preferem viagens individuais, mas não conseguem vencer o medo de não falar um idioma.

 

A minha sugestão é que neste caso comece realizando uma viagem para PORTUGAL, país que fala nossa língua, tem inúmeros atrativos e uma mecânica de viagem que te ajudará a entender processos internacionais. É um país que serve como um grande laboratório para conhecimento para as próximas viagens. Os processos de embarque, desembarque, imigração, alfândegas, alugueis de veículos, check-in em hotéis, visitas aos pontos turísticos… seguem o mesmo padrão internacional, só que em PORTUGUÊS. Assim, se o viajante entender que essa viagem é um estágio para as próximas, mesmo sem falar outro idioma, vai se familiarizando com os processos e ganhando confiança para novas jornadas.

Fotos: Arquivo pessoal

 

Conheço muita gente que seguiu esta sugestão e hoje sem falar uma palavra em outro idioma já percorreu inúmeros países. Hoje existe também a facilidade de muitos locais terem pessoas poliglotas e não será surpresa encontrar pessoas falando um português que te ajudará. 

 

Mas caso isso não aconteça, vença a barreira da timidez e use o velho e bom GOOGLE, o maior companheiro de viagens e um instrumento fantástico que auxilia bastante. Além de ferramentas de mapas e busca de perguntas, o google oferece tradução simultânea para todos os idiomas através da captação de áudio, leitura de placas, faixas, fotos e escrita. Ninguém se aperta mais em lugar nenhum, a não ser que ainda não tenha vencido a barreira da timidez.

 

Mas esse mundo das facilidades não se resume apenas ao Google. Hoje existem uma série de aplicativos (Babbel, Busuu, Utalk, Duolingo) que o turista pode baixar em seu celular e já tomar um curso básico para viajantes no idioma que desejar. Assim ele já treina as frases de maior necessidade, constrói textos e breves diálogos, além, é claro, das traduções simultâneas.

 

Falar mais um idioma, e principalmente o inglês, é de fato uma vantagem e uma facilidade bastante considerável para quem gosta de viajar, mas isso não é e nem será empecilho pra ninguém deixar de conhecer o mundo.

Placa diz 'Eu não fico bêbado, eu fico maravilhoso' | Foto: Arquivo pessoal

 

Eu tenho o domínio sobre a língua espanhola e hoje um nível médio de inglês. Quando comecei a viajar, o meu Google era a mímica. Hoje conheço 78 países e o idioma nunca foi e nunca será um fator proibitivo para eu ganhar o mundo.

Histórico de Conteúdo