Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
/
Tag

Artigos

Josinaldo Leal
O golpe do pix
Foto: Divulgação

O golpe do pix

A Agência Brasil informa que os brasileiros realizaram, em 2023, quase 42 bilhões de transações por Pix, o que representa um crescimento de 75% em relação ao ano anterior. Os dados sobre meios de pagamento são da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), baseados em levantamentos divulgados pelo Banco Central (BC) e pela Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços (Abecs).

Multimídia

Ivana Bastos diz que já passou da hora de uma mulher presidir a AL-BA e coloca nome à disposição

Ivana Bastos diz que já passou da hora de uma mulher presidir a AL-BA e coloca nome à disposição
A deputada estadual Ivana Bastos (PSD) não desistiu do sonho de se tornar a primeira mulher presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). A primeira tentativa não deu certo, quando em 2023 viu seu colega de partido Adolfo Menezes ser reconduzido ao comando da Casa, mesmo ela sendo a parlamentar mais votada nas urnas nas eleições de 2022.  

Entrevistas

Kleber Rosa chama gestão Bruno Reis de “fracasso” e alfineta Geraldo Jr: “Sem identidade com a esquerda”

Kleber Rosa chama gestão Bruno Reis de “fracasso” e alfineta Geraldo Jr: “Sem identidade com a esquerda”
Foto: Divulgação / PSOL
“Eu acho que a gestão do prefeito é fracassada à medida em que ela não atinge o elemento central da vida das pessoas”. Essas foram as palavras que o candidato à prefeitura de Salvador, Kleber Rosa (PSOL), usou para definir a gestão do prefeito Bruno Reis (União). Na visão de Kleber, existem inúmeros problemas na capital baiana que passam pela gestão.

geraldo jr

Kléber Rosa chama gestão Bruno Reis de “fracasso” e alfineta Geraldo Jr: “Sem identidade com a esquerda”
Foto: Divulgação / PSOL

“Eu acho que a gestão do prefeito é fracassada à medida em que ela não atinge o elemento central da vida das pessoas”. Essas foram as palavras que o candidato à prefeitura de Salvador, Kleber Rosa (PSOL), usou para definir a gestão do prefeito Bruno Reis (União). Na visão de Kleber, existem inúmeros problemas na capital baiana que passam pela gestão.

 

LEIA TAMBÉM:

 

Durante a entrevista ao Bahia Notícias, o candidato fez duras críticas ao prefeito e citou problemas como mobilidade urbana e segurança pública como os principais “calcanhares de Aquiles” de Bruno, chegando a dizer que o problema da violência passa pelo fato do prefeito não entender o tema de maneira mais profunda.

 

“O papel da prefeitura é fundamental no enfrentamento à violência e que o prefeito foge desse debate. Entende o problema da violência como mera questão policial. Ele não compreende que o município e gestores municipais são fundamentais nesse enfrentamento. [...] Eu acho que a gestão do prefeito é fracassada à medida em que ela não atinge o elemento central da vida das pessoas [...] Salvador é a capital com maior violência, maior desemprego, maior índice de desnutrição infantil e maior defasagem habitacional”, afirmou o candidato pelo PSOL.

 

Kleber também afirmou não entender como o prefeito consegue comemorar seus índices de aprovação - fazendo referência às recentes pesquisas que apontam Bruno como favorito à reeleição - uma vez que a cidade “vive na miséria”. Na visão do candidato, parte da população o aprova mais “por questões culturais” do que devido à avaliação do trabalho em si.

 

“O que quer um gestor? Qual é o objetivo de gerir uma cidade se não for para tirar as pessoas da condição de miséria? Se não for para garantir qualidade de vida e dignidade para todo mundo, então, para mim é uma gestão fracassada, uma gestão que não consegue enfrentar desemprego, enfrentar fome, enfrentar violência. É uma gestão fracassada. Nenhum gestor deveria comemorar índices de aprovação popular tendo as estatísticas tão cruéis como essa. Então, para mim, ele está reprovado. Por outro aspecto, as pessoas aprovam também por questões culturais, mas a gente que tem condições de analisar, que se ocupa de analisar o aspecto mais geral, não pode aprovar uma gestão dessa. A gente percebe isso como resultado de escolhas gerenciais administrativas feitas pelo prefeito”, disparou Kleber.

 

GERALDO JR.

Durante a entrevista o psolista também teceu críticas a outro candidato que irá enfrentar nas urnas: o vice-governador, Geraldo Jr. (MDB). Ela voltou a afirmar que o político, apesar de ter o apoio do PT - ao qual classificou como perigosíssimo- , não possui identificação com a esquerda e relembrou os tempos em que Geraldo Jr. foi presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, época em que era bastante alinhado com o grupo político de ACM Neto e União Brasil.

 

“O PT se dispõe a disputar a cidade pela direita, apresentando um candidato identificado com a matriz ideológica de centro direita e liberal, que entende aí esse modelo de cidade e que atende a interesses de setores econômicos. Inclusive o Geraldo é muito identificado com o próprio grupo do ACM e do Bruno Reis. Então, eu acho perigosíssimo esse movimento que o governo faz e acho que a resistência que existe hoje no campo deles dialoga com isso que eu estou falando. Pela primeira vez o campo do governo topa abrir mão da cabeça [de chapa], né? Abrir mão de uma matriz de esquerda para disputar a cidade por um outro viés ideológico. Então, eu acho isso perigosíssimo. Nesse sentido, a tarefa do PSOL ganha importância”, afirmou Kléber Rosa.

 

Disputa interna com Tâmara Azevedo, nominata do PSOL na Câmara de Vereadores, problemas na capital baiana, Geraldo Jr. e Bruno Reis. Tudo isso e muito mais foi tema da nossa entrevista da semana com o pré-candidato à prefeitura de Salvador pelo PSOL, Kleber Rosa. Confira a entrevista completa.

Ala interna do PT critica candidatura de Geraldo Jr e acusa descumprimentos de critérios da sigla
Foto: Max Haack

A Articulação de Esquerda, uma das alas internas do PT na Bahia, emitiu um novo posicionamento questionando a candidatura de Geraldo Júnior (MDB), vice-governador da Bahia, a prefeito de Salvador. Publicado no último dia 8 de fevereiro, o documento acusa, em 21 pontos, uma suposta ilegalidade no processo que escolheu o emedebista como candidato ao Palácio Thomé de Souza. Esse não é primeiro posicionamento do grupo contra Geraldo Jr.

 

De acordo com a nota, a convocatória aos membros do diretório municipal, que ocorreu no dia 30 de janeiro, desrespeitou o Estatuto do PT, que trata em seu artigo 155 que: “Quando 1/3 (um terço), no mínimo, dos membros do Diretório correspondente ou de sua comissão executiva municipal municipal apresentar proposta de apoio a candidato majoritário, ou candidata, fora do Partido, o Encontro deverá anteceder a realização da Prévia Eleitoral, para que sejam definidas a política de alianças e a tática eleitoral”. 

 

Além disso, também foi pontuado que, durante o encontro, apenas o quórum mínimo se fez presente na reunião e que 15 membros do diretório municipal não compareceram à convocatória da direção, “não por omissão, mas, sim, por discordarem do método e do conteúdo imposto para a aprovação da 'nota pública/resolução'”.

 

De acordo com os petistas, o documento aprovado reconhece o governador Jerônimo Rodrigues, o senador Jaques Wagner e o ministro Rui Costa como condutores nesta frente. O questionamento da Articulação de Esquerda ainda cita “subserviência” do diretório municipal, “rebaixando e subestimando, mais uma vez, a força do capital político e simbólico do PT” e que essa postura evidencia a que “falta de um projeto político combativo do PT, para Salvador, conduzirá o Partido à asfixia política na capital baiana e acumulará mais uma derrota eleitoral e política”.

 

TRANSPARÊNCIA E QUEBRA DE CRITÉRIOS

A ala defende que faltou transparência por parte da comissão executiva municipal da direção municipal do PT de Salvador, que elaborou uma convocatória aos membros do diretório, “porém não a tornou pública, nem por meio do WhatsApp e nem através do Instagram 'PT Salvador – Oficial', como normalmente o faz”.

 

Outro ponto levantado pelos petistas trata da Resolução determinada pelo Diretório Nacional (DN) do PT, documento que elenca os critérios para indicação de candidaturas do PT para a Federação Brasil da Esperança (formada pelo PT, PV e PCdoB). De acordo com a Resolução do DN: “Quando não for possível alcançar 2/3 dos membros do Diretório, a Instância Municipal decidirá pela realização de prévias ou Encontro Municipal”.

 

Ainda de acordo com a Articulação de Esquerda, “mesmo se o método fosse respeitado pela comissão executiva municipal, que não foi o caso, ainda assim, com base na Resolução do DN, a votação para a aprovação em apoio à pré-candidatura de Geraldo Júnior, não alcançou o apoio de 2/3 (30) dos membros do diretório municipal. Ao contrário disso, numericamente, o diretório municipal, mesmo fora dos prazos e das regras estabelecidas, aprovou a “nota pública/resolução” representada por apenas 27 membros”.

Em primeiro ano de gestão, vice-governador Geraldo Jr. gasta R$ 5,5 mi a mais do que antecessor
Foto: Feijão Almeida / GOVBA

Somente no primeiro ano de gestão, o vice-governador Geraldo Júnior (MDB) aumentou em mais de 100% as despesas da Vice-Governadoria em relação a 2019, ano da reeleição do antigo vice-governador, João Leão (PP). De acordo com dados do Portal da Transparência do governo da Bahia, via Jornal Correio, Geraldo gastou R$ 8,65 milhões durante o ano passado. 

 

O número é bastante superior aos R$ 3,15 milhões gastos por Leão no primeiro ano da segunda gestão dele. Só na comparação com a média dos quatro anos da gestão anterior, que aconteceu entre 2019 a 2022, Geraldo Jr. aumentou em 165% as despesas do Governo da Bahia. Foi registrado um crescimento de R$ 5,5 milhões nos gastos.

 

Segundo a publicação do jornal, as quantias utilizadas pelo o atual vice-governador ocorreram principalmente com vencimentos e vantagens fixas para militares que fazem sua segurança. Nesta área foram R$ 3,43 milhões só no último ano. O valor corresponde a um aumento de 390% na comparação aos gastos com pessoal militar em 2019, onde foram destinados R$ 790 mil. Na gestão de João Leão, esses recursos foram aplicados em maior parte para o pessoal civil. 

 

Ainda de acordo com os dados da Transparência, via jornal Correio, Geraldo ainda usou R$ 1,14 milhão em "despesas variáveis" para o pessoal militar. O governo não informou o que seriam as “despesas variáveis”. 

 

Ao jornal, o emedebista apontou que as despesas foram estabelecidas pelo antigo vice-governador e que os valores seriam correspondidos a uma “manutenção do que lá está”. 

 

“Os gastos estão lá estabelecidos, de 2022, 2023, que era o ex-vice-governador, e você vê que há uma estabilidade, uma manutenção do que lá está. São as forças ocultas que continuam trabalhando dentro do processo”, disse ao Correio. 

Bruno Reis afirma que conhecimento de Geraldo Jr. sobre sua gestão “não preocupa” para eleições
Foto: Fernando Duarte / Bahia Notícias

"Ele me conhece, como eu também o conheço". Essa é a visão que o prefeito de Salvador e provável candidato à reeleição, Bruno Reis (União), possui acerca do provável adversário nas urnas, o vice-governador, Geraldo Jr. (MDB). O ex-presidente da Câmara de Vereadores já foi próximo ao grupo político de Bruno Reis até lançar sua candidatura como vice na chapa encabeçada por Jerônimo Rodrigues (PT) à disputa ao governo do Estado em 2022.

 

LEIA TAMBÉM:

 

Durante entrevista ao Podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta quarta-feira (17), o prefeito afirmou que o conhecimento de Geraldo Jr. sobre o funcionamento do seu grupo político e de sua gestão à frente da prefeitura não é algo que o faz perder o sono.

 

 

"Não preocupa, com toda humildade. [...] Ele me conhece, como eu o conheço. Ele tem os atributos dele e eu tenho os meus. E eu acho que a população vai julgar. A campanha é o momento de você ver a história de vida da pessoa. Tudo que ela fez, de bom e de ruim durante a vida”, comentou o prefeito, destacando que é a população que vai avaliar e decidir quem terá condições de dar seguimento ao trabalho que vem sendo realizado na capital baiana.

 

CHAPA ADVERSÁRIA

Enquanto Bruno Reis ainda não oficializou a sua candidatura à reeleição, o outro lado já tem estudado o vice, ou melhor, a vice. Mulher, negra e conhecedora da cidade. Este foi o perfil traçado da pessoa que vai ocupar a vice na chapa encabeçada por Geraldo Jr. para disputar as eleições de Salvador, segundo o que disse, nessa terça-feira (16), o vereador Arnando Lessa (PT). 

 

Um dos nomes cotados para compor a chapa é a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social da Bahia (Saedes), Fabya Reis. Durante a participação dela na Lavagem do Bonfim, na última quinta-feira (11), Fabya disse que a escolha da vice deve ser anunciada em breve (reveja aqui).

PSB apresenta propostas de governo para o candidato a prefeito Geraldo Jr
Foto: Divulgação/AscomPSB

O PSB da Bahia recebeu, nesta quinta-feira (04), o vice-governador e pré-candidato a prefeito de Salvador, Geraldo Júnior (MDB), para apresentar a proposta de governo do partido para a capital baiana.

 

“O PSB é o primeiro partido do grupo do governador que se reúne com o pré-candidato a prefeito de Salvador, Geraldo Júnior. Temos uma história de luta e de trabalho por Salvador. Apresentamos a ele a nossa visão de cidade para o nosso povo. Salvador é a capital-mãe do Brasil e precisa de um governo que cuide do seu povo como uma mãe cuida de um filho. Temos uma das populações mais pobres do país numa cidade que produz tanta riqueza e é isso que precisamos mudar”, disse a presidente estadual da legenda socialista, deputada federal Lídice da Mata.

 

Geraldo Jr recebeu da Executiva Municipal do PSB o livro da autorreforma do partido e um documento que contém parte das diretrizes que baseiam o Plano de Governo do PSB para a cidade de Salvador.

 

“Eu disse que seria pré-candidato com duas condições. A primeira, que eu fosse o nome do grupo do governador Jerônimo, e segundo que se buscasse unidade e essa unidade foi construída. Eu quero dizer que este manifesto e o programa do PSB serão meus livros de cabeceira e para toda nossa equipe”, afirmou Geraldo.

 

O novo líder da oposição na Câmara Municipal de Salvador, vereador Silvio Humberto, defendeu a inclusão de políticas mais efetivas de assistência com a participação da população negra da cidade.

 

“Você está diante de um partido onde a construção coletiva é uma marca, é um princípio. Você também tem essa capacidade de construir pontes. E nós vamos precisar fazer essas pontes. Essa cidade tem uma dívida com a maioria dessa população negra que está aqui e que a cada dia se coloca para ser autorrepresentada. Somos os pés, as mãos e precisamos ser a cabeça da nossa cidade”, definiu o vereador Silvio Humberto.  

 Em nota, ala radical do PT critica escolha de Geraldo Jr. para prefeitura de Salvador e diz que o partido precisa rever seus métodos
Foto: Divulgação/PáginaPT13

O anúncio do vice-governador Geraldo Jr. (MDB), na última quinta-feira (21), como o candidato único da base do PT que terá a missão de tentar derrotar o prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), nas eleições de 2024 segue dando o que falar internamente e com a própria militância. 

 

Uma ala radical do partido divulgou, nesta quarta-feira (27), uma nota intitulada “Em defesa do PT contra o autoritarismo, a burocratização e a capitulação programática” em que faz duras críticas ao emedebista e ao próprio governador Jerônimo Rodrigues. 

 

Em trecho da nota, publicada no site Página PT 13 e assinada pela Tendência Petista – Articulação de Esquerda (Salvador), o grupo afirma que o  “anúncio representa uma gravíssima questão de método e de conteúdo para o PT e sua militância”. No texto é feita uma contextualização em que é citado que a pré-candidatura do candidato da base, o deputado estadual Robinson Almeida, foi apresentada à presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffmann, indicando que o PT teria candidato próprio no pleito de 2024. Ela, inclusive, esteve na capital baiana no mês de agosto onde participou do lançamento oficial da candidatura de Robinson

Indiferente ao anúncio da pré-candidatura de Geraldo Jr, Bruno Reis reforça abril como mês chave para tomada de decisão
Foto: Vagner Souza / Salvador FM

O anúncio que confirmou a pré-candidatura do vice-governador da Bahia, Geraldo Júnior (MDB), a prefeito de Salvador não mudou o discurso do atual gestor municipal Bruno Reis (União). Natural candidato à reeleição, o prefeito repetiu na tarde desta terça-feira (26), em entrevista ao Bahia Notícias no Ar, na rádio Salvador FM 92,3, que abril é o mês chave para sua tomada de decisão. Bruno ainda não colocou de forma oficial sua pré-candidatura e afirma que vai aguardar o final do prazo de filiação.

 

"Vou manter minha estratégia, nosso cronograma. Janeiro e fevereiro vamos estar nas ruas trabalhando, tem um conjunto de obras para iniciar e outras para inaugurar. Vocês vão ver um ritmo mais acelerado a partir de agora. A gente sabe que tem o prazo até 6 de abril das filiações partidárias, então o mês de março é mais dedicado à organização dos partidos, a gente vai ajudar nessa estruturação. Eu acho que terei oito partidos ao nosso lado podendo ter um novo para ajudar nas candidaturas a vereador. Passado o prazo de filiação vou fazer pesquisa, conversar com meus aliados e sendo da vontade da maioria, da cidade, vou colocar meu nome à disposição para a cidade nos próximos quatro anos", disse durante entrevista com os apresentadores Mauricio Leiro e Rebeca Menezes.

 

"Inclusive já apresentando um conjunto de novas ideias e ações que não foram possíveis tirar do papel nesses primeiros quatro anos. A partir daí vou iniciar a discussão no meu grupo [político] para definir quem será a pessoa que estará ao meu lado na chapa e ao meu lado para governar a cidade. Essa é a minha estratégia, é indiferente. Aproveito a oportundidade para parabenizar Geraldo Jr por ter sido escolhido, mas o fato do outro grupo já tem um nome e iniciado o processo político... meu foco é gestão e entrega", acrescentou.

 

Bruno também aproveitou para rebater as declarações do governador Jerônimo Rodrigues (PT), que criticou na manhã desta terça o tempo levado pela prefeitura de Salvador na construção de uma Maternidade Municipal. Para o petista, há um engarrafamento no que é ofertado pelo estado.

 

"Hoje mais uma vez andou falando um bocado de impropriedades, culpar regulação por falta de maternidade. Infelizmente ele não se apropriou dos problemas do estado, um ano já era suficiente para conhecer a realidade, em especial da saúde, e em Salvador. Não tem hoje na UPA ninguém aguardando para fazer parto, nosso problema não é esse. A gente vai ter uma maternidade municipal para ampliar e oferecer ainda mais um serviço humanizado e qualidade melhor", rebateu Bruno Reis.

 

 Geraldo Jr. diz que a unidade dos 11 partidos da base é a demonstração da força do grupo político
Foto: Mauricio Leiro / Bahia Notícias

Durante a coletiva que sacramentou o seu nome como candidato da base do governo na disputa pelo comando da Prefeitura de Salvador nas eleições de 2024, o vice-governador Geraldo Jr. (MDB) agradeceu os dirigentes dos 11 partidos que atuaram pela unidade do grupo. 

 

Citando nominalmente alguns destes partidos, entre eles o PSB, PSD, PT, Rede de Sustentabilidade, PV, Podemos, Solidariedade, MDB e PCdoB, o agora pré-candidato a prefeito ressaltou que sabe do peso da responsabilidade que a missão de derrotar o prefeito Bruno Reis (União), favorito à reeleição, carrega. “Eu devo isso à confiança do governador, sei do peso da responsabilidade que recai sobre as minhas costas [...]. Salvador precisa de um prefeito que não precise pedir licença para entrar na sala do governador, nem do presidente da República. Salvador tem uma representação, uma unidade para disputar as eleições e assim vamos fazer”, acrescentou. 

 

Durante a coletiva, Geraldo Jr. também adiantou que, na próxima semana,  será realizada uma reunião com representantes dos partidos da base com o objetivo de construir propostas para a cidade. “O governador já deixou bem claro que ele buscou a unidade. Nosso grupo político, diferentemente do outro grupo, que é apenas um dissídio, aqui tem um conselho político. Aqui tem representação, tem liderança, tem comando. O governador disse que tempo a tempo, toque a toque, irá cortar qualquer tipo de aresta contrária ou positiva”, frisou. 

Deputados se reúnem com governo da Bahia pedindo ações contra a seca no interior
Foto: ilustrativa/Pexels

O grupo de deputados formado por Hassan (PP), Rogério Andrade (MDB), Fabíola Mansur (PSB), Niltinho (PP), Mateus Ferreira (MDB), Eduardo Salles (PP), Soane Galvão (PSB) e Antonio Henrique Jr (PP), intitulado G+, se reuniu nesta terça-feira com o governador em exercício, Geraldo Jr. (MDB). O tema da conversa foi a seca que atinge municípios do interior do estado.

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, Eduardo Salles contou sobre a conversa. “Relatamos para o governador [em exercício] a situação de calamidade que se encontra por todo o estado. Solicitamos ajuda a esses municípios, que estão nessa situação grave. A agropecuária baiana passa por um dos seus momentos mais difíceis”, explicou.

 

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb) também já manifestou preocupação em relação ao clima do estado. Eles indicam, por exemplo, que safras serão perdidas ou reduzidas, aumentando o preço dos alimentos e retirando empregos.

 

Deputado Eduardo Salles | Foto: Carine Andrade/Bahia Notícias
 

Após a conversa com o G+, o vice-governador se comprometeu a repassar as informações diretamente a Jerônimo Rodrigues (PT) assim que ele voltar de viagem. Os deputados preparam uma lista das ações que acreditam que devem ser tomadas.

 

“A primeira questão é a comida. Nós precisamos imediatamente de comida para os animais”, enumera. Para isso, pedem que o governo ofereça subsídio para a compra de milho mais barato pelos agricultores. Essa seria a medida principal, aliada a outras relativas a alimentação, como feno mais barato, uso de resto de cultura, “e tudo que for possível”, conforme Salles.

 

O ponto seguinte diz respeito a água. O grupo pede ajuda desde caminhões-pipa visitando as regiões como também caixas d’água para a população poder armazenar água e pequenos canos e bombas que levem essa água aos animais.

 

A bancada pede apoio financeiro na forma de crédito especial para produtores. “Os municípios querem celeridade do governo estadual e federal para decretar situação de emergência, para poder fazer esses benefícios chegarem lá”, argumenta o deputado. Com a declaração de emergência, a cidade fica mais livre para comprar de forma mais rápida sem licitação, por exemplo.

Adolfo diz que falta de clareza sobre possibilidade de ‘terceiro mandato’ só existe por “falha do Congresso”
Foto: Camila São José / Bahia Notícias

A possibilidade da apresentação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que abre caminho para a reeleição do atual presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Adolfo Menezes (PSD), não está descartada.

 

 

Ao Bahia Notícias, o presidente da Casa disse, nesta quarta-feira (8), que essa possibilidade só existe porque não há clareza na lei sobre o tema e atribuiu a responsabilidade ao Congresso Nacional.

 

A declaração foi dada durante o XXV Congresso Nacional do Ministério Público que reúne até sexta-feira (10), no Centro de Convenções de Salvador, promotores e procuradores de Justiça dos Ministérios Públicos de todo o Brasil.

 

“Essa é a minha opinião pessoal. É mais uma falha do Congresso Nacional. Porque se os deputados e senadores quisessem, até porque é obrigação deles legislar, faziam uma lei que dizia: “Olha, o deputado ou um presidente de assembleia só pode ser eleito uma vez ou não pode nenhuma”, como é presidente da República. Algum presidente da República cogita disputar um terceiro mandato seguido? Não, porque está claro na lei que ele só pode ser reeleito uma vez. Governador, a mesma coisa. Mas o que que acontece? Falha também do Congresso, que não legisla e do Supremo”, disparou Adolfo.

 

Vale lembrar que o presidente da AL-BA já havia subido o tom e feito duras críticas à postura ‘inerte’ do Congresso afirmando que o legislativo, que tem a obrigação constitucional de fazer as leis, “acaba deixando uma brecha para o Supremo ocupar o espaço” (reveja aqui).

 

Na oportunidade, Adolfo também criticou a movimentação na Câmara de Salvador, que reelegeu o então presidente da Casa, Geraldo Jr. (MDB), atual vice-governador, para um terceiro mandato à frente dos vereadores, no ano passado.

 

“Já aconteceu aqui em Salvador [terceiro mandato]. Foi feito pela Câmara. Outros estados fazem e ficam por isso mesmo. Por isso que fica essa possibilidade de ter ou não uma coisa que o próprio Supremo disse que não pode. Você vê a Câmara de São Paulo, que é o maior estado do Brasil, fez agora esses dias. Quer dizer, tomou a decisão de reeleição indefinida. O que é que significa? Não está acreditando no que o Supremo decidiu? Isso aí e dá margem para outras casas quererem fazer. É isso que está acontecendo”, afirmou Adolfo Menezes.

 

Vale lembrar que a escolha do novo presidente da AL-BA acontece apenas em fevereiro de 2025 e, até então, Adolfo vem dizendo que só tratará sobre o tema em 2024

Fabya Reis despista possibilidade de ser vice e afirma que nome à prefeitura de Salvador “ainda não foi definido” pela base
Foto: Carine Andrade / Bahia Notícias

Especulada como possível vice numa eventual formação de chapa com o vice-governador Geraldo Jr. (MDB) como candidatos da base do governo para a disputa da prefeitura de Salvador em 2024, a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social (Seades), Fabya Reis, despistou essa possibilidade e destacou estar focada na pasta.

 

 

A declaração foi dada ao Bahia Notícias, durante o lançamento do novo portal do Governo do Estado, na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, em Salvador, na noite desta quarta-feira (1º). Na oportunidade, a secretária da Seades ainda destacou que a Comissão criada pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT), no último dia 14 de outubro, e liderada por ela, tem o objetivo de assessorar o Conselho Político. A nomeação de Fabya para o colegiado foi interpretada, nos bastidores, como um aceno à formação de uma chapa majoritária da qual ela seria vice.

 

“Eu tenho ficado realmente focada na condição de Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social. Acompanhei essa reunião política ao lado do nosso governador que coordenou pessoalmente os trabalhos. O que foi tirado não foi para coordenar Salvador. A gente precisa calibrar essa informação do que é este grupo de assessoramento do Conselho Político, que é a Instância estabelecida pelos partidos da base, pelo nosso governador, para as pactuações decisivas e para a construção da estratégia. Nós estamos assessorando o Conselho Político na organização dessas informações nos desdobramentos desses encaminhamentos que serão levados pelo Governador para as pactuações seguintes”, afirmou a secretária.

 

Em setembro, o líder do governo Lula no Senado, Jaques Wagner (PT) havia cobrado celeridade na definição de um nome na disputa eleitoral na capital baiana, e afirmou que a tendência é que a formação da chapa em Salvador “mescle duas características diferentes de candidato a prefeito e a vice”, o que reforçou a possibilidade de uma mulher ser escolhida como vice. No entanto, o senador não citou nomes.

 

LEIA TAMBÉM

 

Quanto a isso, Fabya Reis destacou que nada foi definido ainda. “Cada coisa no seu tempo. Não foi definido ainda. Não definimos ainda o nome que representará esse campo político. Isso também será objeto de discussão do Conselho Político”, afirmou a secretária.

 

Ainda falando sobre a composição da chapa majoritária para a prefeitura de Salvador, Fabya Reis afirmou que a disputa entre diversos nomes faz parte do processo político e é algo “legítimo”.

 

“É legítimo que todos os nossos partidos da base façam as suas movimentações, suas pré-candidaturas. Mas o fundamental é que todos nós deste campo estamos unificados em termos da compreensão de unificação de um nome e todos muito focados na estruturação de uma estratégia de um projeto político e respeitando esse tempo dessas movimentações”, destacou Fabya Reis.

 Matheus de Geraldo Júnior afirma que o vice-governador "é um homem de missão e está à espera da coordenada"
Foto: Carine Andrade / Bahia Notícias

O deputado estadual Matheus de Geraldo Júnior (MDB) comentou, nesta terça-feira (31), o vazamento da suposta definição do nome do vice-governador Geraldo Jr. como candidato único da base para eleição a prefeito de Salvador. A notícia, amplamente repercutida na imprensa, na última semana, foi tratada no meio político como “Fake News” e pelo filho do vice-líder como “especulação”.  

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, na Assembleia Legislativa, o deputado também confirmou que não houve nenhuma definição do grupo político liderado pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) quanto ao nome de Geraldo Jr. e que o mais importante, neste momento, é buscar a união dos partidos. “O vice-governador tem reafirmado na mídia e tem dito, por onde ele passa, que ele é um homem de missão. Ele é um homem que está à espera da coordenada”, frisou. 

 

Sobre a possibilidade do pai não ser escolhido para missão de derrotar o prefeito Bruno Reis (União) no pleito de 2024, Matheus de Geraldo Júnior ponderou que partidos da base têm seus interesses e seus candidatos, mas que “acima de tudo, temos que respeitar suas histórias e pensar, lá na frente, em como nós vamos vencer [as eleições]”.

 

Segundo ele, independente do candidato ou candidata que será escolhido, “estaremos lá para apoiar quem quer que seja”. O deputado prevê que o governador Jerônimo Rodrigues anuncie o nome da base no final do mês de novembro ou de dezembro.  

Jerônimo estaria aguardando Geraldo Jr. "se mancar" e retirar a candidatura, sugerem aliados
Foto: Jamile Amine / Bahia Notícias

A notícia da suposta definição do pré-candidato Geraldo Jr. (MDB) como candidato do governo nas eleições para prefeito de Salvador, em 2024, caiu como uma bomba no colo dos caciques da ala petista e dos partidos que compõem a Federação Brasil da Esperança (PT, PCdoB, PV). 

 

Informações chegadas ao Bahia Notícias dão conta que o governador Jerônimo Rodrigues (PT) ainda não tomou nenhuma decisão, ao contrário do que foi ventilado na imprensa nesta segunda-feira (23). Internamente, a notícia é tratada como "fake news" e parte da estratégia do próprio Geraldo Jr. para "forçar a barra e se supervalorizar". Uma fonte da alta cúpula da base aliada revelou, com exclusividade, ao Bahia Notícias, que "Geraldinho vem de uma linhagem onde ele está acostumado a trabalhar com o modelo de chefe, onde ele acha que as decisões são tomadas de cima para baixo", afirmou a fonte, referindo-se aos caciques do MDB, Lúcio e Geddel Vieira Lima que, supostamente, estariam avalizando a tática do vice-líder.

 

LEIA TAMBÉM:

 

Ainda de acordo com o interlocutor, os irmãos Vieira Lima estariam tentando pressionar o governador Jerônimo Rodrigues para que Geraldo Jr. seja escolhido, mas o governador "não é homem de se deixar ser pressionado”, completou. 

 

Outro emissário da base aliada confidenciou ao BN que "Jerônimo não quer colocar o 'não' a Geraldinho na sua conta pessoal". Perguntado se em algum momento ouviu o governador confirmar que a tendência é que Geraldo Jr. não seja escolhido, o interlocutor foi categórico: "Ele nunca disse, claramente, isso. Mas nós já entendemos que ele está esperando Geraldinho se mancar e retirar a candidatura", cravou.

 

Uma informação pitoresca descoberta pela reportagem é que nas rodas do PT, Geraldo Jr. é chamado de “pastel de vento”. “Sabe aquele pastel que você vê na vitrine e acha que está cheio de recheio? É Geraldinho. Só que quando você espreme, não sai nada”, criticou o aliado, amenizando que “Geraldinho é uma figura muito simpática, mas que não está alinhado com as ideologias de esquerda e, por isso, não representaria uma candidatura do grupo”. 

 

Uma liderança que dá expediente no Congresso Nacional afirmou ter aprendido com o senador Jaques Wagner requisitos que, na opinião dele, estão faltando ao vice-governador. “Quem ganha eleição é quem junta e não quem afasta. Quem quer liderar tem que conquistar e, no momento, no PT, a revolta é generalizada, as pessoas estão se sentindo desrespeitadas com esse movimento”, revelou.     

 

OPOSIÇÃO COMENTOU

No campo da oposição a notícia de uma possível definição na ala governista não surpreendeu, mas foi bastante comentada. De acordo com previsões de uma liderança de alta patente, “Geddel está chateado [com o PT] e Geraldinho vai de qualquer jeito. Ele está no ostracismo e essa candidatura vai dar um ‘up’ a ele porque, hoje, ele está sozinho”, opinou. 

 

A mesma fonte revelou ao BN ter conversado com figurões da base e questionado até que ponto as especulações têm veracidade. “Eles disseram que Geraldinho foi apenas Geraldinho”, citou, confirmando ter ouvido de pessoas do governo que a informação teria sido "plantada pelo vice-governador na imprensa”. Outro político do campo da oposição ouvido pelo BN confidenciou estar torcendo para que a informação seja verdadeira porque a vantagem do prefeito Bruno Reis, candidato à reeleição, irá aumentar. “Bruno vai nadar de braçada”, projetou.  

Robinson diz que definição de Geraldo Jr é "Fake News" e partido recebeu notícia com "surpresa e indignação"
Foto: Carine Andrade / Bahia Notícias

A informação de que o nome do vice-governador Geraldo Jr. (MDB) teria sido definido pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) como candidato único da base à prefeitura de Salvador em 2024, causou surpresa e indignação aos aliados da base.

 

Pelo menos foi essa declaração que o pré-candidato pelo PT à prefeitura da capital baiana, o deputado estadual Robinson Almeida, afirmou ao Bahia Notícias nesta terça-feira (24). Na oportunidade, o petista seguiu a mesma linha que o correligionário e líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Rosemberg Pinto, afirmando que soube da informação “pela imprensa”

 

LEIA TAMBÉM

 

“Eu tive como surpresa o anúncio de uma candidatura em Salvador por um site. Eu nunca tinha visto esse expediente. Confesso que a criatividade tem me surpreendido nesse momento. Não foram confirmadas as pessoas citadas como fonte, no caso, o senador Jaques Wagner e o governador Jerônimo”, declarou o parlamentar.

 

Robinson ainda pontuou que a “indignação” se deu porque já houve uma reunião com o governador Jerônimo e a criação de uma comissão para tratar sobre a escolha para a chapa que irá disputar a prefeitura de Salvador em 2024 (reveja aqui). Na opinião dele, essa informação não passa de “fake news”. 

 

LEIA TAMBÉM

 

“No PT há uma surpresa, uma indignação, porque o partido fez uma reunião com o governador, fez uma um debate amplo com os partidos, com vereadores e com deputados. Jerônimo criou uma comissão para receber sugestões e todo mundo entende que é esse processo que vai seguir. Espera-se que tenha novas rodadas, debates, devolutivas e amadurecimento. Então, para todo mundo, aquela notícia parecia uma especulação, uma fake news. A verdade, ao que parece, que foi confirmado que é uma fake news porque o governador foi instado sobre o assunto e a assessoria do governador disse que ele não tem decisão nenhuma”, afirmou Robinson Almeida, se esquivando quando perguntado sobre o fato de Jaques Wagner e Jerônimo Rodrigues tangenciarem o tema.

Avião de vice-governador da Bahia não consegue pousar em Ilhéus após mau tempo
Foto: Reprodução

O avião do vice-governador Geraldo Jr. (MDB) não conseguiu pousar no aeroporto de Ilhéus nesta quinta-feira (27).

 

Segundo o Políticos do Sul da Bahia, parceiro do Bahia Notícias, Geraldo estava viajando para cumprir agenda em Itabuna. No entanto, com o mau tempo o avião teve que arremeter e não conseguiu pousar.


A expectativa é que ele chegue a Itabuna nesta sexta (28), junto com o governador Jerônimo Rodrigues (PT).

Colbert Martins diz que ninguém tem condição de expulsá-lo do MDB na Bahia
Foto: Gabriel Lopes/ Bahia Notícias

O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho, garantiu que "ninguém na Bahia" tem condições de expulsá-lo do MDB. A declaração foi feita durante sua entrevista ao podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (22). Colbert vive uma turbulência dentro da sigla por, sobretudo, ter apoiado ACM Neto (UB) e não Jerônimo Rodrigues (PT) nas eleições de 2022.

 

O gestor da segunda maior cidade da Bahia também não apoiou a candidatura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, declarando voto para a sua correligionária, Simone Tebet. Geraldo Júnior, eleito vice-governador pelo partido, e o presidente da sigla na Bahia, Lúcio Vieira Lima, defenderam publicamente a expulsão de Colbert.

 

“É um desrespeito político e pessoal também. Veja, o MDB teve muitas posições diversas nessa eleição. Aqui na Bahia, por exemplo, quem apoiou Simone Tebet foram nós de Feira de Santana e as pessoas do verdadeiro MDB na Bahia. O grupo atual do partido não apoiou Simone Tebet, apoiou Lula. Quer dizer, nessas circunstâncias, nós entendemos que o partido, como em outras cidades e outros estados, também tivesse uma posição. A minha posição foi, no meu entendimento, absolutamente coerente com o partido no ponto de vista nacional”, disse o gestor.

 

“Do ponto de vista da Bahia, nós temos uma ação diversa do partido, a exemplo do que aconteceu em várias áreas do país. Em nenhum momento nós levantamos quaisquer questões de discussão, até porque não tem condição ninguém aqui na Bahia de me expulsar, ninguém, ninguém tem condição disso”, completou.

Geraldo Jr. enaltece trabalho das forças policiais no Carnaval da Bahia 
Foto: Erem Carla/Bahia Notícias

 

O coordenador do carnaval da Bahia e vice-governador do Estado, Geraldo Jr. (MDB), no último dia da festa momesca, nesta terça-feira (21), enalteceu o trabalho das forças policiais. De acordo com ele, graças à atuação integrada das polícias, houve redução no número de ocorrências relacionadas à crimes de lesão corporal e contra o patrimônio.

 

“A gente fala muito de trio elétrico, de camarote, da pipoca, mas a gente esquece de reconhecer o valor desses homens e mulheres que saem de casa. Durante a festa, bravos homens e mulheres estão trabalhando para dar segurança ao folião. São 30 mil homens e mulheres", disse.

 

"A doutora Heloisa Brito, da Polícia Civil, Coronel Adson Marchesini, do Corpo de Bombeiros, Edson Reis, do DPT, Coronel Paulo Coutinho, da PM-BA, estão aqui ao meu lado e não pararam esses dias para curtir como foliões. Ao lado do secretário Marcelo Werner, conseguimos a redução nos índices de criminalidade, dos delitos. Esse é o carnaval da Bahia. Com certeza,vai ser o melhor carnaval de todos os tempos”, acrescentou Geraldo Jr.

 

O vice-governador ainda disse que para a música do cantor Leo Santana “Zona de Perigo”, que caiu no gosto dos foliões. Geraldo pretende aproveitar o último dia de festa. 

 

“Temos agenda no Camarote da Câmara de Vereadores de Salvador, para prestigiar os colegas independente de questão partidária. Mais tarde, eu tenho que me divertir um pouco, meter dança, e ver qual vai ser a música do carnaval aí. Eu não tenho preferência. Eu acho que vai dar a musica de Leo Santana”, completou. 

Legislativo municipal vai apreciar auxílio para profissionais do entretenimento
Foto: Reprodução / CMS

A Câmara de Salvador vai votar nos próximos dias o Projeto de Lei do Executivo para o auxílio-emergencial municipal contemplar os trabalhadores do setor de eventos. Com valor a ser definido, a expectativa do presidente do Legislativo municipal, Geraldo Júnior (MDB), é de que num prazo de cerca de 48 horas o Executivo municipal de Salvador encaminhe mensagem para o Legislativo com esse teor.

 

Ao ser aprovada pela Câmara Municipal, a medida deve beneficiar profissionais do setor de eventos, em especial instrumentistas, técnicos de sonorização, contrarregras, produtores e outras funções do setor.

 

“Agradeço a sensibilidade do prefeito Bruno Reis em acolher essa solicitação da área de eventos. Ele tem se empenhando nesta pandemia da Covid-19 em prol das vidas de Salvador e também está preocupado com o impacto que esta situação causa na economia da cidade e os danos para os trabalhadores”, afirmou Geraldo Júnior.

 

Procurada pelo Bahia Notícias, a Secretaria de Comunicação do município disse não ter maiores informações sobre o assunto.

Curtas do Poder

Ilustração de uma cobra verde vestindo um elegante terno azul, gravata escura e língua para fora
Quem diria que um intervenções no Buracão e no Corretor da Vitória causariam tanto barulho, hein? Faz lembrar a época que a antiga Odebrecht fez uma operação Tabajara em Pituaçu e ficou quase que por isso mesmo. A política da boa vizinhança está abalada na Mansão Wildberger, mas não tem nada a ver com negócios, viu? Afinal, é como diz o ditado: amigos, amigos, negócios à parte. Não é mesmo, Rolando Lero? Quem eu sempre acho que sofre com fogo amigo é o Ferragamo. Enquanto isso, o Cacique criou uma nova categoria profissional, inspirado pela BYD. Saiba mais!
Marca Metropoles

Pérolas do Dia

Bruno Reis

Bruno Reis
Foto: Thiago Teixeira / Bahia Notícias

"Temos muitas ideias que nos unem, que unem o nosso pensamento ao pensamento do Novo, desde a forma de fazer gestão, passando pela forma de fazer política. E foi isso que permitiu a gente estar aqui hoje desta tarde". 

 

Disse o prefeito de Salvador Bruno Reis (União) ao conseguir mais um aliado para as eleições de 2024: Partido Novo. 
 

Podcast

Projeto Prisma entrevista Paulo Azi, deputado federal e presidente do União Brasil na Bahia

Projeto Prisma entrevista Paulo Azi, deputado federal e presidente do União Brasil na Bahia
O deputado federal Paulo Azi (União) é o entrevistado do Projeto Prisma na próxima segunda-feira (22). O programa é exibido ao vivo no YouTube do Bahia Notícias a partir das 16h.

Mais Lidas