Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Neto confirma diálogo com PSL e aponta que 'próximos 15 dias serão decisivos' para fusão
Foto: Reprodução / Instagram

O presidente nacional do Democratas, ex-prefeito de Salvador ACM Neto confirmou o diálogo para a fusão do partido com o PSL. Neto destacou, durante evento em Feira de Santana que "as conversas estão acontecendo" e "os próximos 15 dias serão decisivos para saber se este projeto vai adiante ou não". 

 

"Existe uma conversa em curso do Democratas com o PSL sobre a hipótese de fusão entre os dois partidos. A ideia que está sendo discutida é a criação de um novo partido, como maior partido do Brasil, mas ainda existem questões que são complementares do ponto de vista nacional. O objetivo desse novo partido inclusive, seria do candidato a presidente da República já ser desse novo partido nas eleições do próximo ano, mas um processo de fusão não é um processo simples, e não posso antecipar aqui nem mesmo dar uma confirmação", afirmou ao site Acorda Cidade. 

 

Com os ajustes para a união, Neto apontou que a nota legenda deve pensar em criar alianças pensando nas eleições de 2022. A presidencia deve ficar com o presidente nacional do PSL Luciano Bivar (reveja aqui). 

 

"Em 2012, eu venci a eleição para prefeito de Salvador e naquela época eu tinha apenas cinco partidos do meu lado, vencemos a eleição, quando o PT tinha todos os partidos da Bahia. A partir daí, começamos a criar alianças no que resultou por exemplo a candidatura do atual prefeito Bruno Reis, com o apoio de 15 partidos. E com relação ao PSL, são dois partidos grandes e existem as questões estaduais e nós temos aí 26 estados mais o Distrito Federal, onde há questões de discussão de governo, temos as regras políticas internas e não é um processo que acontece da noite para o dia, e eu que já tenho bastante experiência, possa ser que o resultado de todas as conversas não seja com a fusão, e não sendo, será o momento da gente construir uma parceria sólida de partidos democratas, e o que desejamos é que essas questões sejam superadas e que a gente possa quem sabe construir esse novo partido",disse.

Histórico de Conteúdo