Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 03 de Setembro de 2021 - 00:00

Conversa entre Rui e Otto vai definir critérios para substituto de Pelegrino na Sedur

por Matheus Caldas / Mauricio Leiro

Conversa entre Rui e Otto vai definir critérios para substituto de Pelegrino na Sedur
Foto: Reprodução / Instagram / @ottoalencar

Com a iminente saída de Nelgon Pelegrino para a vaga de conselheiro no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) terá que ter um novo comandante. E, para definir os critérios para a escolha, haverá um diálogo entre o governador da Bahia, Rui Costa (PT), e o senador Otto Alencar (PSD).

 

Apesar de estar sob comando de Pelegrino, deputado federal licenciado pelo PT, a Sedur é um espaço comandado pelo PSD, presidida no estado por Otto - a titularidade da pasta, anteriormente, era de responsabilidade da deputada estadual Jusmari Oliveira (PSD), mas por rearrumações partidárias.

 

Ao Bahia Notícias, o senador garante que não há nome definido. “Ainda vou me reunir com o governador para definir os critérios. Até porque não gosto de me antecipar sobre isso. É ele quem define e nomeia”, afirmou, em entrevista ao Bahia Notícias.

 

A conversa, contudo, ainda não tem data marcada. 

 

“Essa é uma secretaria que, apesar de Nelson ter sido indicado, realmente é um espaço do PSD, como disse o Coronel. Mas ainda não temos nome”, acrescentou.

 

Otto se refere à entrevista concedida pelo senador Angelo Coronel (PSD), nesta quinta, ao BN. O parlamentar indicou que, se houver indicação, vai “torcer” para que um deputado federal seja escolhido. “Se o governador franquear, o partido pode até indicar um dos seus quadros. Ainda não foi conversado, mas podemos indicar um deputado federal para a assunção de Manassés à Câmara Federal”, afirmou. Candidato em 2018, Manassés teve 66.255 votos, mas não conseguiu se eleger, ficando como suplente (leia mais aqui).

 

Fontes ligadas ao partido apontam que a proposta não foi bem aceita pelos seis nomes na Câmara. O motivo seria a maior facilidade de emendas com o governo federal e, assim, a pessoa escolhida pela sigla não deve ter mandato eletivo. Apesar disso, na lista, um dos citados por interlocutores procuradas pelo Bahia Notícias é o deputado federal Zé Nunes.

 

Na última terça-feira (31), a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) indicou, de forma oficial, o nome de Pelegrino para o TCM (leia mais aqui). 

 

Cabe a Assembleia Legislativa indicar o substituto do conselheiro Paolo Marconi, que se aposentou no último dia 20, do Tribunal de Contas dos Municípios. Rui confirmou a prerrogativa do Legislativo de preenchê-la, conforme determina a Constituição Estadual e a Lei Complementar 06/91.

 

As sugestões podem ser feitas à Assembleia por bancadas, parlamentares ou mesmo entidades, cabendo à Mesa Diretora colocar o nome do indicado para ser sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça.

 

Depois de passar pelo colegiado, o decreto legislativo com o nome do indicado segue para a votação definitiva e secreta em plenário, sendo necessário a obtenção de um mínimo de 32 votos favoráveis, quórum de maioria absoluta, também exigência constitucional (leia mais aqui).

Histórico de Conteúdo