Sexta, 22 de Novembro de 2019 - 00:00

Para cumprir TAC, CSN deve fechar operação de financiamento para adquirir 50 ônibus

por Matheus Caldas

Para cumprir TAC, CSN deve fechar operação de financiamento para adquirir 50 ônibus
Foto: Divulgação

Apontada como empresa do consórcio Integra que não conseguiria cumprir o prazo estipulado para a entrega de todos os ônibus previstos no Termo de Ajuste de Conduta (TAC), a Concessionária Salvador Norte (CSN) está próxima de fechar uma operação de financiamento para adquirir os 51 veículos que restavam no acordo (leia mais aqui).

A informação foi divulgada ao Bahia Notícias por um dos membros do conselho diretor da empresa, Marcelo Santana. “Nós estamos em tratativas com o mercado. Já conseguimos parte da frota. Elas já estão na fábrica. Os outros que faltam para cumprir a nossa meta já estamos encaminhados. Nossa expectativa é de que a formalização do negócio aconteça na semana que vem. Mas as tratativas já estão muito bem encaminhadas”, garantiu, em entrevista ao BN. O banco que deve fazer a operação, no entanto, foi mantido em sigilo pelo dirigente. 

Os outros 30 ônibus já comprados seguem em Caxias do Sul, onde estão sendo preparados para serem transportados para a capital baiana. De acordo com Santana, o diretor de manutenção da CSN, Rodolfo Colutti, embarcou para a cidade gaúcha para vistoriar os veículos que estão na linha de montagem.

A empresa, conforme o acordado entre todas as partes, deveria disponibilizar 81 ônibus até o fim do ano. Santana, inclusive, afirmou que o grupo já disponibiliza 18 veículos com ar condicionado.

ENTENDA O TAC
O TAC foi firmado com as empresas de ônibus durante o processo de discussão do projeto de lei que concede a isenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) às concessionárias. O texto, que foi cercado de polêmicas, foi aprovado pela Câmara de Vereadores em agosto deste ano. 

O documento foi firmado entre prefeitura, Ministério Público da Bahia (MP-BA) e empresas de ônibus. À época, a oposição sinalizou que votaria contrária à proposta. Contudo, os opositores aceitaram aprovar o texto desde que emendas propostas por eles fossem aprovadas.

Para fortalecer a articulação no dia da votação, secretários municipais foram chamados pela Câmara e ficaram reunidos durante cerca de 2h com alguns dos vereadores, como o relator da matéria, vereador Duda Sanches (DEM), e o presidente da Casa, Geraldo Jr. (SD) (leia mais aqui).

Histórico de Conteúdo