Sexta, 11 de Janeiro de 2019 - 17:00

Vereadores articulam nova bancada e podem dividir oposição na Câmara de Salvador

por Guilherme Ferreira

Vereadores articulam nova bancada e podem dividir oposição na Câmara de Salvador
Foto: Guilherme Ferreira / Bahia Notícias

Um grupo de cinco vereadores da oposição articula a criação de uma nova bancada parlamentar na Câmara de Salvador. A medida vem sendo discutida nos últimos dias e tem como motivação o processo que culminou com a escolha de Sidninho (Pode) para liderar o bloco de opositores em 2019 (veja mais aqui e aqui).

 

Aladilce Souza (PCdoB), Hélio Ferreira (PCdoB), José Trindade (Pode), Silvio Humberto (PSB) e Marcos Mendes (PSOL) - suplente de Hilton Coelho (PSOL), que assume o cargo de deputado estadual em fevereiro - vão continuar fazendo oposição ao prefeito ACM Neto, mas de forma independente ao grupo liderado por Sidninho. A decisão divide uma bancada que já tinha grande desvantagem numérica em relação ao grupo de aliados da prefeitura de Salvador.

 

Hilton já atuava de forma independente na Câmara. Os outros quatro vereadores que articulam o novo bloco parlamentar alegam que foram excluídos do processo de escolha dos dois últimos líderes da oposição. No fim de 2017, PT e Podemos fizeram um acordo que deu a Marta Rodrigues a liderança ao longo do último ano e a Sidninho (Pode) neste.

 

Trindade já anunciou que não vai mais integrar o grupo liderado por Sidninho (veja mais). Ao Bahia Notícias, Aladilce e Silvio evitaram anunciar que estão tomando o mesmo caminho, mas confirmaram as conversas para formar o novo bloco parlamentar. "Na medida em que fomos excluídos desta reunião que escolheu a liderança, nós fomos deixados, nos excluíram", ponderou a vereadora do PCdoB. 

 

"O processo não foi o mais coerente com a nossa tradição. Não tinha a urgência-urgentissíma de se decidir o líder naquela sexta-feira", afirmou o vereador do PSB, que assim como Trindade e Aladilce, não participou da votação que colocou Sidninho na liderança da oposição. No entanto, os três destacam que não questionam o nome do vereador, mas sim a forma como aconteceu a definição. "Eu não discuto o nome. Não tenho problema com Sidninho", disse Silvio.

Histórico de Conteúdo