Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Manno Góes deseja morte de Bolsonaro e dos filhos em acidente de avião: 'Queimando'
Montagem: Bahia Notícias

Crítico ferrenho ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o músico Manno Góes expressou, através de um texto em seu Facebook, o desejo da morte do político e dos seus filhos, Eduardo, Carlos, Flávio e Renan Bolsonaro. "Eu quero que Bolsonaro morra. Lamento sentir isso. Mas é real. Nunca senti isso por ninguém. Mas é real. É verdadeiro", iniciou.

 

"Lamento, Deus. Mas é verdade. Sim. É verdade. Imagina-lo morto me faz crer num alívio para esse país. Até me sinto mais cristão. Mais otimista em um mundo melhor. Imaginar ele e seus filhos morrendo todos em um acidente de avião me faz lamentar pelo avião", assumiu. Em outro trecho diz ainda: "Desejo a ele uma morte lenta. Queimando, aos poucos, gritando".

Já no seu perfil do Instagram, o baiano compartiu um post do filme "Bastardos Inglórios" com a legenda "ah, quem me dera". A história do produto audiovisual de 2009 conta dois planos para  assassinar os líderes políticos da Alemanha nazista, um planejado por uma jovem francesa judia proprietária de cinema - vivida por Mélanie Laurent - e o outro por um grupo de soldados judeus aliados liderados pelo tenente Aldo Raine (Brad Pitt). Veja:

Nascido em 1970, Manno Góes é compositor, escritor, cantor e baixista brasileiro. Obteve sucesso e projeção nacional ao fundar a banda baiana Jammil e Uma Noites em 1997. Entre seus sucessos estão "Milla", "Praieiro", "Celebrar", "Mil Poemas" e"Tchau, I Have to Go Now". Além disso, ele fez faculdade de jornalismo e publicidade. Nos últimos anos, tem travado uma luta pela valorização dos direitos autorais e vem declarando publicamente o arrependimento de ter dado "Milla" para Netinho gravar, já que o cantor é um dos maiores entusiastas do presidente Jair Bolsonaro. 

Histórico de Conteúdo