Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Duda Reis acusa Nego do Borel de estupro de vulnerável em boletim de ocorrência
Foto: Reprodução/ Instagram

Em boletim de ocorrência divulgado na tarde desta quinta-feira (14), a atriz Duda Reis acusou o ex-noivo, Nego do Borel, de estupro de vulnerável. Além disso, outras quatro acusações como lesão corporal, violência doméstica, injúria e ameaça foram feitas. Todos aparecem como consumados na declaração à polícia.


"Comparece a esta Especializada, juntamente com sua advogada, Doutor Izabella, informando que manteve um relacionamento de união estável com o autor durante 9 meses e vivendo juntos há 3 anos, sem filhos. Que no mês de Fevereiro de 2018, durante o Carnaval, iniciaram as agressões. Que a vítima nesta ocasião teve seus braços apertados pelo autor, resultando em marcas de agressões. Que nesta mesma ocasião, o autor a ameaçou com uma faca, pois a vítima havia chegado mais tarde no dia anterior. Que nesta data, a vítima tinha comparecido ao sambódromo sem a aprovação do autor. Que a partir desta data, o autor a humilhava e a xingava e continuava agredindo-a fisicamente, tornando continua as rotinas de agressões, inclusive em frente as testemunhas. Que após esse episódio, o autor tentava se redimir das agressões causadas, dizendo que a vítima 'trazia o pior dele' (sic) e que a culpa era da vítima. Que após os episódios de agressões, a vítima passou a apresentar transtornos psíquicos e emocionais, desenvolvendo anorexia nervosa, bulimia, depressão, e síndrome do pânico, diagnosticado por psicólogo e psiquiatra da vítima", começou o boletim.

 

Em outro trecho do boletim, em agosto de 2018, em uma viagem a Portugal, Duda havia permanecido dopada com o incentivo de Nego, que mantinha relações sexuais com ela sem o consentimento.

 

"Em agosto de 2018, em uma viagem a Portugal com o autor, por 20 dias, a vítima permaneceu dopada de medicamentos com o incentivo de uso de medicamentos pelo autor (dose indicada pelo médico - 2 miligramas de Aprazolan, porém fez uso de 8 miligramas por dia) que retornava dos shows e saídas noturnas e que o autor mantinha relações sexuais não consentidas pela vítima, que estava dopada e a mesma dizia para que o autor não mantivesse relação sexual", diz o boletim, que ainda descreve uma das violências domésticas que Duda teria sofrido. 

 

Ainda segundo o depoimento de Duda, ela nunca fazia o uso de alcool e outras drogas. “A vítima informa que nunca fez uso de entorpecentes ou álcool. Que em 2020, se recorda que, durante o relacionamento, começou usar quantidades maiores de medicamentos e já mencionados e que durante uma discussão, o autor dizia que era para a vítima sair da visão do autor para não 'a comer na porrada'", continua o boletim.

Histórico de Conteúdo