Fim de um era: Band não renova transmissão e licenciamento do Miss Brasil Universo
Foto: Montagem / Instagram

Por meio de um comunicado enviado às coordenações estaduais, na tarde desta terça-feira (10), a Rede Bandeirantes de Televisão informou que não realizará mais o concurso Miss Brasil, válido para o Miss Universo. Anteriormente, vale lembrar, a emissora havia anunciado que não realizaria apenas a edição do certame de 2020 (relembre aqui).

 

“Comunicamos que a Band não detém mais os direitos para a organização, produção e transmissão do Concurso ‘Miss Estadual / Brasil’, devido a não renovação do contrato de transmissão e licenciamento”, informa, de início, o comunicado enviado pela diretora nacional de rede de televisão, Magda Magalhães. 

 

Além do anúncio do fim da parceria com a Miss Universe Organization e IMG Models, detentora do concurso, o comunicado deixa claro que a partir de agora não autoriza o vínculo da emissora com qualquer tipo de certame de beleza. 

 

“Desta forma, não está autorizada a realização de qualquer concurso de beleza vinculado, inclusive ‘Miss Estadual / Brasil’, à sua marca ou razão social. Sem mais, colocamo-nos à disposição para qualquer esclarecimento necessário”, finaliza o informe. 

 

FIM DE UMA ERA
Com esta nova configuração, a Band encerra uma era iniciada em 2003, com 16 misses Brasil eleitas, entre elas, figuras conhecidas do público como Natália Guimarães, eleita em 2007 e vice-Miss Universo 2007, além de Raíssa Santana, primeira Miss Brasil negra após um hiato de 30 anos, eleita em 2016.

 

Do primeiro ano de transmissão do concurso pela Band até o ano passado compõem a lista: Gislaine Ferreira (2003), Fabiane Niclotti (2004), Carina Beduschi (2005), Rafaela Zanella (2006), Natália Guimarães (2007), Natália Anderle (2008), Larissa Costa (2009), Débora Lyra (2010), Priscila Machado (2011), Gabriela Markus (2012), Jakelyne Oliveira (2013), Melissa Gurgel (2014), Marthina Brandt (2015), Raíssa Santana (2016), Monalysa Alcântara (2017), Mayra Dias (2018) e a atual detentora do título, Júlia Horta (2019). 

 

Diante da não renovação do contrato, fica incerto, até então, qual grupo ou emissora irá adquirir o concurso Miss Brasil, válido para o Miss Universo. Somado a isto, também toma os mesmos rumos a transmissão do concurso internacional na TV aberta, já que em TV por assinatura, a transmissão está a cargo da TNT. Fica o mistério, inclusive, se o Brasil enviará para o Miss Universo 2020 alguma representante. 

 

Confira o comunicado na íntegra:

 

Prezados Senhores(as), boa tarde!

 

Comunicamos que a Band não detém mais os direitos para a organização, produção e transmissão do Concurso “Miss Estadual/Brasil”, devido a não renovação do contrato de transmissão e licenciamento.

 

Desta forma, não está autorizada a realização de qualquer concurso de beleza vinculado, inclusive Miss Estadual/Brasil, à sua marca ou razão social.

 

Sem mais, colocamo-nos à disposição para qualquer esclarecimento necessário.

 

Atenciosamente,

 

Magda Magalhães
Diretoria Nacional de Rede de Televisão

Histórico de Conteúdo