Em encontro com sertanejos, Bolsonaro recebe sugestão para fim de meia-entrada
Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil / Reprodução

Em um encontro com 56 artistas e profissionais ligados ao sertanejo, realizado nesta quarta-feira (29), no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro recebeu a sugestão para o fim da meia-entrada em eventos. O pedido foi feito pelo presidente da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), Doreni Caramori Junior. 

 

De acordo com o O Globo, Caramori classificou a meia-entrada como "injustiça histórica". Além disso, o representante da associação definiu como monopólio regido por uma lei arcaica a forma como são cobrados, atualmente, os diretos autorais. Na declaração, ele pediu que sejam realizadas mudanças na tal cobrança. 

 

“Meio livro não existe, meia bicicleta não existe. Não pode o Estado brasileiro intervir na economia e tomar 50% sem nenhum tipo de compensação”, criticou Doreni. 

 

HOMENAGEM
Segundo informações divulgadas pelo Palácio do Planalto, Bolsonaro recebeu durante o evento os sertanejos Bruno e Marrone, César Menotti e Fabiano, Cristiano parceiro de Zé Neto, entre outros famosos do segmento e o humorista Dedé Santana. 

 

Durante o encontro, o presidente foi homenageado com uma carta de apoio lida por Cuiabano Lima, locutor da festa de peão de Barretos. No documento, os artistas do segmento agradeceram Bolsonaro e afirmaram reconhecer “seus notáveis feitos no ano de 2019, nos diversos setores produtivos do país”.

 

No decorrer do discurso lido pelo locutor, Bolsonaro foi classificado por ser um governante de “atuação forte, decidida, responsável e sem interesses escusos”. Além disso, foi destacado que a exigência de uma “atuação corajosa e eficiente do governo federal” foi determinante para que fosse possível a “retomada do crescimento econômico e da geração de empregos, o combate à corrupção e o resgate de valores da sociedade”.

Histórico de Conteúdo