Terça, 26 de Março de 2019 - 10:30

Coluna BBBN: A amizade no jogo pode se tornar uma jogada fatal e se tornou

por Ian Meneses

Coluna BBBN: A amizade no jogo pode se tornar uma jogada fatal e se tornou
Foto: Reprodução / TV Globo

O "BBB", como todo mundo que acompanha já cansou de saber, exige estratégias e em certo ponto do reality agir de forma estratégica é a única possibilidade de continuar na casa. Fazer amizades por lá é fundamental, mas até que ponto devem ir essas amizades? Me parece que as relações de Rodrigo com Gabriela e Rizia, por exemplo, chegaram a um ponto que se tornou uma jogada errada para quem está ali concorrendo a um prêmio milionário.


A ida de Elana ao paredão com as mesmas concorrentes da berlinda que fez Danrley sair será mais uma pista do mundo exterior para que os resquícios da gaiola tomem uma atitude estratégica. Se eles tiverem medo de tomar tal atitude, será a prova de que erraram em alguma parte do jogo ao intensificar, no caso desta edição, além da conta as suas relações.


Não vou ficar me questionando se Elana vai sair, porque infelizmente será feita a vontade de Carol Peixinho e Paula. O que antes era uma possível e justa final com a piauiense e o último eliminado, se tornou uma possibilidade descartável diante da popularidade que a Paula foi ganhando ao logo do programa. Popularidade esta, como sempre deixo claro, injusta, lamentável.


E o que seria jogar com estratégia? Admitir ter que colocar um dos de si. Descarto a posição de Alan, que colocou Elana por um atrito com a sister, se fosse levar em conta que ambos foram da gaiola. Mas me refiro no poder que Rodrigo tinha e que, sem saber, jogou fora com a indicação de Paula. Ele poderia naquele momento jogar com estratégia e salvar quem faz parte de seu lado. Não fez. Rodrigo poderia ter conversado com as pessoas mais próximas a elas e dizer: Vou te colocar, mas quero, deste modo, cercar a Carol Peixinho com a torcida de Elana e a sua.


Porque ele não fez isso? Eu retorno a dizer. A amizade por ele construída com Gabriela, por exemplo, impediu ele de agir junto com ela na estratégia. A paulista voltou de um paredão falso que era lógico pensarem que ela foi a mais votada de três para permanecer na casa. Por mais que seja difícil pensar como seria isso diante de outras duas pessoas emparedadas, era um risco estratégico que poderiam correr, afinal, estão ali por um prêmio que um só ganhará. A não ser que você seja parte de um casal como foi com Gleici e Wagner. 


Será curioso, após a saída de Elana, analisar o que eles estarão pensando como jogo. E se por insistência eles decidirem manter as mesmas posições quanto a indicação, eles darão de mão beijada uma final sem ninguém da gaiola para marcar presença. Até porque, um por um sairá e sairá esmagado pela outras duas torcidas rivais.

Histórico de Conteúdo