Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Roberto Carlos defende a vacina e diz que pandemia potencializou seu TOC 
Foto: Globo/ Fabio Rocha

O cantor Roberto Carlos revelou que teve seu Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) potencializado durante a pandemia. Segundo o músico, em entrevista ao jornal O Globo, desde que o isolamento social começou, o medo de contaminação fez com que suas manias de limpeza e higienização fossem elevadas. Para ele, a vacina deve ser defendida.

 

"Lido com total cuidado, até um pouco exagerado. Mas sigo todos os cuidados que devem ser tomados. Do conjunto de coisas que tenho do TOC, uma delas é a higienização, lavar as mãos, essa coisa toda, e isso, logicamente, ficou mais rigoroso. Não estou curado do TOC, não, ainda tem muita coisa... Estou tentando, estou lutando", afirmou.

 

Roberto também falou sobre sua chapinha, que deixou de fazer por estar dentro de casa. No isolamento, contou o intérprete de "Detalhes", o que tem mais feito é assistir o BBB e tomar sorvete.

 

"Sou o mesmo de sempre. Chegar aos 80 anos não me assusta, porque isso vem acontecendo gradativamente. O importante é que eu me sinto bem e com menos idade do que a que tenho. Sou um cara com muitos sonhos aos 80 anos", garantiu o artista, que irá completar idade nova em breve.

 

"(Vou passar o aniversário) em casa. Para evitar aglomerações, peço a vocês que também fiquem em casa. Eu estarei recebendo esses abraços, esse carinho e todo esse amor à distância, que é como deve ser feito nesse momento".

 

Questionado pela reportagem sobre como vê a atuação do governo federal a respeito da pandemia, Roberto se declarou um defensor da ciência. "É ela que pode orientar o povo sobre o que deve ser feito e a importância da vacina. Defendo a ciência e tudo que alguém diz em nome da ciência. Eu me vacinei, estou mais tranquilo e agora estou para receber a segunda dose, mas mantenho os mesmos cuidados de sempre. Repito: a vacina é muito importante e todos devem se vacinar. Vacina sim", disse.

 

"Quero pedir que levem a sério a pandemia, que sigam rigorosamente as orientações das autoridades de saúde. Usem máscaras, lavem as mãos, usem álcool em gel, mantenham o distanciamento social o máximo possível e tomem vacina. Isso vai ajudar a acabar com esse problema". As informações são do UOL Splash.

Histórico de Conteúdo