Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Otto reitera que vai tentar reeleição e nega 'lista' para aceitar ser candidato ao governo
Foto: Paulo Victor Nadal/ Bahia Notícias

O senador Otto Alencar (PSD) assegurou, em entrevista ao Bahia Notícias nesta quarta-feira (23), que mantém a candidatura ao Senado. Postulante natural à reeleição, Otto tem sido citado nas rodas de conversas como eventual substituto de Jaques Wagner na corrida pelo governo da Bahia, após Rui Costa manifestar o desejo de tentar ser senador no próximo mês de outubro.

 

“Sou candidato a senador. Eu já disse isso e vou repetir: sou candidato à reeleição”, frisou, ao reclamar de especulações que passaram a circular na imprensa há cerca de uma semana, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva atuou como uma espécie de mediador de conversas envolvendo Otto, Wagner e o próprio Rui.

 

O socialdemocrata ainda rechaçou informações indicadas por aliados dele, de que haveria uma suposta lista de condições para que ele desista da reeleição (lembre aqui). “Nunca pedi nada a ninguém. Sou um homem honrado”, garantiu. Em tom mais ameno, Otto ainda brincou sobre o suposto check-up que ele teria realizado. “Fiz no final do ano passado, como faço todo ano. E faço na Bahia, não vou pra São Paulo”, disse.

 

CONVENCIMENTO

Político há 35 anos, Otto repetiu, em mais de uma ocasião, o desejo de permanecer como senador. Eleito em 2014, após deixar o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) para ser vice de Wagner quatro anos antes, o socialdemocrata é reconhecido pela lealdade ao grupo político a que pertence. Em 2016, durante o impeachment de Dilma Rousseff, manteve-se ao lado dos petistas, quando outros integrantes do próprio partido abandonavam o governo – entre eles o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab.

 

A reeleição dele era parte dos planos do tripé PT-PSD-PP até que, na última semana, vazou a informação de que Rui Costa tentou “impor” o desejo de ser candidato ao Senado. A arrumação atrapalharia o planejamento consolidado de que Wagner seria candidato ao governo, enquanto Otto tentaria permanecer na Câmara Alta. Desde então, houve uma ação do entorno de Rui para tentar convencer o senador a migrar para outro posto, já que Otto não estaria mais contemplado com o desejo original.

 

Diante de tantas idas e vindas ao longo dos últimos dias, as negociações das últimas sinalizam a expectativa de que a chapa majoritária a estar nas urnas será a mesma programada até que Rui mudasse o interesse para buscar aparecer nas urnas em 2022.

Histórico de Conteúdo