Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Vídeo mostra jovem gritando no Atakarejo para não ser entregue a traficantes: 'Não quero'
Foto: Reprodução

Um vídeo feito por uma testemunha mostra o momento em que Bruno Barros da Silva, 29 anos, e Yan Barros da Silva, 19 anos, são levados para uma área do supermercado Atakarejo, no Nordeste de Amaralina, após serem flagrados durante tentativa de furtar pacotes de carne.

 

A gravação mostra Yan desesperado, gritando “eu não vou, eu não quero”, enquanto é imobilizado e jogado no chão por um homem que aparenta ser segurança do supermercado. Logo depois, um outro homem, de bermuda e boné, tenta pegar o rapaz pelos pés, que grita novamente “eu não vou”.  Mãe do jovem, Elaine Costa confirmou ao Bahia Notícias que é o filho quem aparece nas imagens. A roupa vista no vídeo é a mesma usada por Yan em fotos divulgadas nas redes sociais, nas quais ele aparece junto ao tio, Bruno Barros, sentado nos fundos do supermercado após o furto.

 

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Ricardo Mandarino, afirmou que o vídeo será analisado pela Polícia Civil e, caso a veracidade seja atestada, será anexado ao inquérito.

 

As investigações apontam que os dois foram entregues a traficantes do Nordeste por seguranças do supermercado. Executados pelos bandidos, tiveram os corpos achados em um carro na Polêmica, em Brotas, em 26 de abril. Veja abaixo o vídeo, divulgado pelo site Informe Baiano:

 

 

À TV Bahia, uma testemunha contou o que viu. "Eu ouvi muitos gritos, tipo como se estivessem agredindo os dois rapazes. Muito, muito, muito mesmo! Eu ouvi zoada de chutes... A parte que eu vi foi dentro da loja, entendeu? Em seguida eu vi muitas pessoas armadas, umas dez a vinte pessoas armadas. E vi o portão abrindo e os dois rapazes pedindo por favor pra não deixar levarem eles, né? Pedindo desculpas, e mesmo assim pegaram e abriram o portão e 'deixou' o pessoal levar eles lá", contou a pessoa não identificada ao Jornal da Manhã.

 

A Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira (10) sete suspeitos de envolvimento no crime - três trabalhadores da área da segurança do mercado, incluindo o gerente do setor, e quatro traficantes do Nordeste de Amaralina (leia mais aqui). As investigações apontam que este gerente fez contato com traficantes do Nordeste de Amaralina, após os jovens serem flagrados furtando carne (veja aqui). Além das prisões, os policiais também apreenderam mais materiais no mercado para dar continuidade ao inquérito que apura o caso.

 

As investigações mostraram que o procedimento dos seguranças, que culminou na morte de Yan e Bruno, repete o padrão de um mesmo caso ocorrido em outubro do ano passado, quando uma adolescente de 15 anos teria passado por uma sessão de espancamento e tortura depois de furtar produtos do supermercado, na mesma loja do Nordeste de Amaralina. Ela sobreviveu após fugir. A constatação foi essencial para o pedido que culminou na prisão dos seguranças.

 

A polícia quer descobrir agora a participação de cada suspeito e se há outros envolvidos. A apuração também vai apontar também se há alguma relação entre o Atakarejo e o tráfico de drogas, já que não é a primeira vez que ocorre uma ação do tipo. 

 

À reportagem, a mãe de Yan falou rapidamente sobre a operação desta segunda. “Só ficarei tranquila quando eu ver todo mundo que tirou sangue do meu filho pagar.”

Histórico de Conteúdo