Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 26 de Abril de 2021 - 11:45

Na Bahia, Bolsonaro volta a criticar medidas restritivas de governadores do Nordeste

por Francis Juliano, de Conceição do Jacuípe / Jade Coelho

Na Bahia, Bolsonaro volta a criticar medidas restritivas de governadores do Nordeste
Foto: Max Haack/Ag. Haack/Bahia Notícias

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), voltou a criticar medidas restritivas adotadas por governadores do Nordeste no enfrentamento à pandemia da Covid-19, nesta segunda-feira (26), durante evento em Conceição do Jacuípe, na Bahia. No discurso, Bolsonaro sugeriu que a população não aceite que “pseudo-governadores” imponham “ditadura” e que usem “o vírus para subjugá-los”.

 

Segundo o presidente, “está chegando a hora do Brasil dar novo grito de independência”. “Não podemos admitir alguns pseudo-governadores quererem impor a ditadura no meio de vocês, usando do vírus para subjugar”, afirmou. Bolsonaro ainda disse que o governo federal tratou a pandemia “com muita responsabilidade”. “Mas sempre disse que além do vírus, tínhamos que nos preocupar com a questão do desemprego”, lembrou.

 

“Não foi o governo federal que fez vocês ficarem em casa, não foi o governo federal que fechou o comércio, que destruiu milhões de empregos, esse suplício está chegando ao fim”, bradou Bolsonaro durante a cerimônia de inauguração de um trecho duplicado da BR-101, entre Feira de Santana e Conceição do Jacuípe.

 

 

Bolsonaro homenageou deputados federais da Bahia apoiadores do governo e citou nomes de Abílio Santana (PL), Adolfo Viana (PSDB), Claudio Cajado (PP), Alex Santana (PDT), João Carlos Bacelar (PL), José Rocha (PL), Paulo Azi (DEM) e Raimundo Costa (PL).

 

Após gritos de apoiadores, Bolsonaro bradou que “nossa bandeira jamais será vermelha”, em uma referência ao PT, partido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, adversário do atual presidente, e que governou o país por 14 anos.  

Histórico de Conteúdo