Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Saúde, Covid-19, falta de vacinas e desemprego são as maiores preocupações dos baianos
Foto: Paula Fróes / GOVBA

Mais de um ano depois da chegada do novo coronavírus na Bahia, a pandemia já vitimou mais de 14 mil baianos. Com a necessidade de isolamento social para o combate à proliferação da doença, a quantidade de pessoas sem trabalho no estado disparou, chegando a 19,8% da população economicamente ativa. Tudo isso se reflete no que o levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, em parceria com o Bahia Notícias, revelou serem as maiores preocupações dos moradores locais.

 

Para 27% dos entrevistados, a saúde pública é o principal problema do estado da Bahia. As mulheres baianas (33%) são as mais preocupadas com o tema, segundo o Paraná Pesquisas. Jovens adultos, de 25 a 34 anos de idade, também se preocupam consideravelmente com a área (30%), assim como pessoas que estudaram até o ensino fundamental (30,2%).

 

Já outros 14,2% avaliam mais especificamente que a crise da Covid-19 e a falta de vacinação são as principais questões a serem resolvidas. Mais uma vez, as mulheres (15,3%) e pessoas que frequentaram a escola até o ensino fundamental (16,2%) se destacam, agora acompanhados dos jovens entre 16 e 24 anos (17,3%) e dos idosos, com mais de 60 anos de idade (18,2%).

 

Em terceiro lugar, o desemprego. Para 10,9% dos baianos, a falta de emprego é o principal problema do estado. Homens (13,1%), adultos de 35 a 44 anos (12,4%) e de 45 a 59 anos (12,3%) e pessoas de ensino fundamental como escolaridade (12%) são as mais preocupadas com o tema.

 

Outros problemas foram citados pelos entrevistados, do qual destaca-se má administração pública (9,6%), educação pública (6,2%), segurança pública (5,2%), corrupção (3,5%), área social (2,6%), economia (1,8%), estradas (1,6%), falta de infraestrutura (1,4%) e fechamento dos comércios (1,2%). Outras citações somaram 4,3%.

 

A pesquisa ouviu 2002 eleitores em 186 municípios da Bahia entre os dias 20 e 24 de março de 2021. A margem de erro é de 2% e o levantamento foi realizado por telefone com baianos com mais de 16 anos.

Histórico de Conteúdo