Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 03 de Dezembro de 2020 - 10:59

'Se nós não revertermos taxa de crescimento, estaremos vivendo maior onda', alerta Rui

por Bruno Luiz / Ailma Teixeira

'Se nós não revertermos taxa de crescimento, estaremos vivendo maior onda', alerta Rui
Foto: Bruno Luiz/ Bahia Notícias

Preocupado com o crescimento de casos ativos da Covid-19 na Bahia, o governador Rui Costa (PT) fez um apelo à população, em especial aos jovens, para que evitem aglomerações. O boletim da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) divulgado nessa quarta-feira (2) identificou 11.771 mil pessoas atualmente contaminadas pelo coronavírus, o maior número desde 29 de agosto (veja aqui).

 

"Daqui a uma semana, 10 dias, se nós não revertermos essa taxa de crescimento, nós estaremos vivendo não a segunda onda, eu diria a maior onda que a Bahia viveu porque ela está, eu diria, disseminada no estado inteiro", ressaltou o governador em coletiva de imprensa para a entrega de novas viaturas à Polícia Civil, no pátio da Secretaria de Segurança Pública (SSP), na manhã desta quinta (3).

 

Rui avaliou que a expansão da Covid-19 ocorreu de forma lenta no estado, mas o risco é maior agora porque a doença já chegou aos 417 municípios baianos. Em meio a isso, são constantes os flagras de eventos que descumprem o decreto estadual, tanto na capital quanto no interior, reunindo diversas pessoas sem o distanciamento necessário para evitar a transmissão do coronavírus.

 

"É preciso fazer um apelo para a população da Bahia, aos jovens, sejam eles de classe média, que estão lotando as ruas, ou jovens da periferia que também estão lotando ruas. Estamos enfrentando período de crescimento maior do que tivemos em qualquer momento na Bahia. O ritmo está rápido e disseminado em todo o estado", acrescentou o governador. 

 

Suas declarações dialogam diretamente com as postagens feitas pelo secretário de Saúde Fábio Vilas-Boas mais cedo. Pelo Twitter, o titular da Sesab disse que o cenário é pior do que o registrado em julho, quando o número de casos ativos chegou a um pico (veja aqui).

Histórico de Conteúdo