Sem permissão, programa grava alunos por notebooks emprestados pela UFSB
Foto: Reprodução / Exame

Computadores emprestados pela Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) para a inclusão no ensino remoto podem estar gravando, sem permissão, as telas, senhas, atividades e imagens de alunos que receberam o equipamento da unidade de ensino superior.

 

Estudantes relataram ao Diretório Central dos Estudantes (DCE) da universidade, que alguns dos equipamentos possuem o programa KidLogger instalado. A aplicação foi desenvolvida para que pais possam monitorar e controlar o que os filhos estão acessando nas máquinas, captando telas, vídeos da webcam e som do microfone. 

 

De acordo com o DCE, entre os registros feitos pelo programa foram encontradas capturas de telas do Whatsapp, gravações da webcam com alunos trocando de roupa e dados pessoais de contas bancárias.

 

Em nota, as pró-reitorias de Ações Afirmativas e Tecnologia da Informação informaram que não adotaram nenhum mecanismo para explorar e expor a privacidade dos alunos. A universidade ordenou o recolhimento das máquinas afetadas para investigar como o aplicativo foi instalado e para definir procedimento que garanta a salvaguarda de informações. 

 

“Para os estudantes cujas máquinas estejam em análise, serão fornecidos notebooks em empréstimo, de modo que possam seguir participando das atividades por intermediação tecnológica. A abertura de uma comissão de sindicância, para investigar e apurar os fatos, deve ser encaminhada pela gestão”, disse a universidade em nota.

 

O DCE orientou os estudantes a registrarem boletim de ocorrência e reclamação na ouvidoria da Universidade. 

Histórico de Conteúdo