PF cumpre mandados em investigação sobre suposto caixa 2 em campanha de Serra
Foto: Sérgio Lima / Poder 360

A Polícia Federal (PF) cumpre mandados no âmbito da Operação Lava Jato, na manhã desta terça-feira (21). No centro da investigação, está o senador José Serra (PSDB), alvo de mandados de busca e apreensão. Os investigadores apuram apuram a ocorrência de suposto caixa 2 na campanha dele ao Senado, em 2014.

 

Segundo informações do G1, as investigações apontam que o parlamentar recebeu R$ 5 milhões em doações não contabilizadas, feitas a mando do empresário José Serpieri Júnior, fundador da Qualicorp, grupo que comercializa e administra planos de saúde coletivos. Ele é um dos quatro alvos de mandado de prisão, junto com Arthur Azevedo Filho, Mino Mattos Mazzamati e Rosa Maria Garcia.

 

Além disso, são cumpridos 15 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Brasília, Itatiba e Itu. Alguns deles são no gabinete de Serra, no Senado, em um apartamento funcional dele em Brasília e em dois imóveis do tucano em São Paulo. O juiz da 1ª Zona Eleitoral, que expediu os mandados, também determinou o bloqueio judicial de contas bancárias dos investigados.

 

De acordo com a publicação, essa fase da operação foi batizada de "Paralelo 23" e é conduzida junto com o Ministério Público Eleitoral (MPE). Se trata de mais um desdobramento da denúncia contra Paulo Skaf, em maio. O deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SD-SP) e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) também foram alvos em seguida (veja aqui e aqui).

 

NA MIRA DA PF
Nos últimos tempos, Serra está na mira da Polícia Federal. No início de julho, a força-tarefa denunciou ele e a filha, Verônica Serra, por lavagem de dinheiro transnacional. De acordo com a denúncia, o senador utilizou seu cargo como governador de São Paulo e sua influência política em troca de vantagens indevidas da Odebrecht entre 2006 e 2007 - ele governou o estado de 2007 a 2010 (saiba mais aqui). (Atualizada às 8h45)

Histórico de Conteúdo