'Acabou, porra!', diz Bolsonaro após operação contra fake news
Foto: Reprodução / Rafaela Felicciano / Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez duras críticas na manhã desta quinta-feira (28) à operação da Polícia Federal (PF) que apreendeu computadores, celulares e tablets de empresários, comunicadores e influenciadores digitais acusados de propagar fake news.

 

“Acabou, porra!”, gritou o chefe do Executivo. “As coisas têm limite, ontem [quarta-feira] foi o último dia. Me desculpe o desabafo, mas não dá para admitir decisões individuais. Não vamos admitir que uma única pessoa tome decisão em nome de todos”, criticou. As informações são do portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias. 

 

O presidente reforçou que a operação dessa quarta-feira (28) seria uma evidência de que ele não tenta interferir politicamente na Polícia Federal. Incomodado com as ações do STF, Bolsonaro disse respeitar os outros dois Poderes e pediu que façam o mesmo pelo Executivo. “Respeito o Supremo, o Congresso, agora, tem que respeitar o Executivo também”.

 

O chefe do Executivo classificou como “mentirosos” os argumentos que justificaram a ação baseado no inquérito das fake news no Supremo. “Querem censurar a mídia social, que me trouxe até aqui [presidência da República]. Nunca tive dinheiro para campanha, foi o povo que me botou aqui”.

 

Momentos após se dizer disposto a se reunir com os chefes da Câmara, Senado e STF, Bolsonaro endureceu o discurso. “As coisas têm limites, ontem foi o último dia”, afirmou, sem esclarecer de que modo impediria a PF e o STF de continuar a investigar pessoas acusadas de integrar rede de propagação de notícias falsas.

Histórico de Conteúdo