Quinta, 16 de Abril de 2020 - 18:05

Com app, governo já identificou mais de 60 pessoas com sintomas de Covid-19 na Bahia

por Rebeca Menezes

Com app, governo já identificou mais de 60 pessoas com sintomas de Covid-19 na Bahia
Foto: Divulgação

Até a manhã desta quinta-feira (16), o aplicativo "Monitora Covid-19" já foi capaz de identificar e orientar 64 pessoas com sintomas do coronavírus. Segundo a secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), entre elas já houve casos de pacientes que foram encaminhados para unidades de saúde.

 

O coordenador de pesquisa de inovação e saúde da FESF, Hêider Pinto, explicou que um dos principais objetivos do aplicativo é garantir que as pessoas que possam estar contaminadas pelo novo coronavírus não precisem deixar suas casas para conseguir atendimento médico especializado. Assim, há também uma menor chance de haver a contaminação de outras pessoas nas Unidades Básicas de Saúde. "Na Unidade Básica de Saúde, se for uma virose, pouco se pode fazer, porque não tem medicamento, e a pessoa indo lá, a maior chance é que ela contamine mais pessoas e os funcionários. Então a gente não quer que a pessoa vá em um posto de saúde não tenha uma condição adequada de espaço físico, de aglomreação, etc".

 

O cadastro simples, com nome, CPF, aniversário e nome da mãe, permite que os gestores encontrem os dados vinculados ao Cartão SUS dos pacientes. Assim, é possível acessar também o histórico médico desta pessoa. Lançado pelo governador Rui Costa no dia 9 de abril, o app já foi baixado por mais de 10 mil pessoas.

 

COMO FUNCIONA SISTEMA DE CORES
Como detalhado pela secretária da Secti, Adélia Pinheiro (veja aqui), a ferramenta considera um sistema de cores para identificar os pacientes que compartilharem as informações. Se a pessoa cadastrar sintomas que não estejam relacionados ao coronavírus, ela será classificada como verde. Nesse primeiro momento, os pacientes desse grupo recebem orientações gerais sobre saúde e cuidados básicos, e pode ou não receber um telefonema médico a depender da demanda.

 

Se a pessoa tiver sintomas como febre, tosse e dor na garganta, por exemplo, ela pode ser classificada como amarela caso não seja do grupo de risco, ou de laranja se tiver alguma comorbidade associada que possa levar eventualmente ao agravamento do quadro. "Nesse caso, o médico tem que entrar em contato em até 24 horas, para poder perguntar, avaliar, entender e dar as orientações adequadas de autocuidado, de isolamento dentro de casa para não contaminar as outras pessoas e, eventualmente, indicar a ida a uma unidade de saúde", detalhou Hêider, que é médico sanitarista e professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

 

Já se a pessoa, independente da condição ou idade, tiver algum sintoma respiratório em fase aguda, será indicada como vermelho. "Se for vermelho, o contato [por telefone] deverá ser feito imediatamente, para poder recomendar a ida para uma urgência especializada em atender a Covid-19. Nesses casos, o aplicativo já vai emitir uma mensagem de 'procure um atendimento de saúde'. Mas os médicos que tiverem no atendimento deverão entrar em contato para reforçar”, completou. Segundo o coordenador, “as cores têm sentido pra orientar a atenção desses profissionais de saúde que estão na retaguarda".

 

Após o atendimento por telefone, o próprio médico poderá reclassificar o paciente, a depender do que for informado.

 

BAIXE O APP
O aplicativo “Monitora” possibilitará o registro de informações de pessoas com suspeita da Covid-19, viabilizando o atendimento remoto, monitoramento e acompanhamento dos cidadãos. O app está disponível gratuitamente na plataforma android, sendo, posteriormente, disponibilizado para iOS. Para localizá-lo, é preciso fazer a busca digitando “monitoracovid”, com as duas palavras juntas, e fazer a seleção do aplicativo “Monitora Covid-19”, de cor azul, de autoria do “Governo da Bahia”, ou acessar diretamente este link: https://bit.ly/2UYHR9L.

Histórico de Conteúdo