Para Bolsonaro, taxação do aço feita por Trump não é retaliação
Foto: Alan Santos / PR

O presidente Jair Bolsonaro avaliou que a restauração de tarifas sobre a importação de aço e alumínio do Brasil e da Argentina, feita pelo presidente Donald Trump, não se trata de uma "retaliação". O brasileiro foi questionado sobre o assunto pouco tempo depois do anúncio de Trump no Twitter.

 

"Primeiro, é munição para pessoal opositor meu aqui no Brasil, né? Vou conversar com o Paulo Guedes [ministro da Economia] hoje ainda. Se for o caso, vou ligar para o presidente Donald Trump. A economia deles não se compara com a nossa, é dezena de vezes maior do que a nossa. Não vejo isso como retaliação. Vou conversar com ele para ver se não nos penaliza com a sobretaxa no preço do alumínio", disse Bolsonaro em entrevista à rádio Itatiaia, de Minas Gerais, no Palácio do Planalto. Antes disso, o capitão já havia ressaltado que possui um "canal aberto" com Trump.

 

Mais cedo, o republicano foi ao Twitter anunciar que a medida se faz necessária para que os demais países não se aproveitam do dólar forte, uma vez que tanto o real quanto o peso argentino estão desvalorizados (saiba mais aqui).

Histórico de Conteúdo