Quarta, 09 de Outubro de 2019 - 00:00

PM pretende reformar e estruturar Hospital Militar; Sesab vê dificuldades em viabilizar

por João Brandão / Jade Coelho

PM pretende reformar e estruturar Hospital Militar; Sesab vê dificuldades em viabilizar
Foto: Raul Spinassé / Ag. A Tarde

Com um investimento de R$ 740 mil, mas sem prazo para a reabertura, a Polícia Militar da Bahia pretende reformar e estruturar o prédio do Hospital Militar em Salvador. A intenção foi sinalizada pelo comandante geral da PM-BA, Coronel Anselmo Brandão, na última semana, durante participação no programa Isso é Bahia, na A Tarde FM.

 

De acordo com a corporação, as obras na unidade de saúde, localizada na Vila Policial Militar do Bonfim, na Avenida Dendezeiros, no Bonfim, devem ser concluídas em um prazo de quatro meses e meio.

 

Os serviços prestados pelo Hospital, de acordo com a PM, não contarão com urgência e emergência. Mas estarão disponíveis para os agentes de segurança integrantes da corporação atendimentos em “um ambulatório com diversas especialidades médicas e um centro de reabilitação”.

 

A PM não especificou quais serão as especialidades ofertadas, a expectativa quanto ao número de atendimentos na unidade e nem sobre qual modalidade de contrato serão firmados os vínculos com os profissionais de saúde que atuarão no Hospital Militar da Bahia.

 

O secretário estadual de Saúde Fábio Vilas-Boas, também durante entrevista ao Isso é Bahia, apontou nesta terça-feira (8) as dificuldades em viabilizar "o desejo do comandante". "Eles tem um hospital na Vila dos Dendezeiros, muito pequeno, sem muita possibilidade de fazer coisas mais importantes, totalmente fora das normas. Se tiver que adaptar às normas da Vigilância Sanitária, o investimento será muito alto", ponderou Vilas-Boas ao destacar os investimentos do governo estadual para elevar o nível de qualidade da saúde pública no estado. 

 

"Parte dos PMs tem Planserv. Quem não tem, estamos investindo na rede pública. Todos os hospitais públicos não devem a hospital particular nenhum. Nossa meta é nos próximos quatro anos reformar 100% dos nossos hospitais", prometeu o titular da Sesab.

Histórico de Conteúdo