AL-BA: Projeto de Marcelo Veiga pede inserção de dentistas em UTIs da Bahia
Foto: Reprodução / Agência AL-BA

O deputado estadual Marcelo Veiga (PSB) defendeu a inserção de cirurgiões-dentistas em Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) nos hospitais da Bahia em novo projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

 

Para o parlamentar baiano, a presença de cirurgiões-dentistas nas UTIs nos hospitais baianos, e de outros profissionais de odontologia devidamente supervisionados em outras unidades, vai encurtar tempos de tratamentos, prevenir doenças e infecções oportunistas, além de melhorar a qualidade de vida de pacientes que precisam de toda atenção e cuidado que possam ser dados.
 
“Eu percebo que os cirurgião-dentista tem muito à contribuir para com as equipes médicas que atuam nas UTIs da Bahia. A saúde bucal tem efeitos sérios no nosso bem-estar geral. Apesar de não parecer, até mesmo órgãos como o coração sentem os efeitos de uma boca saudável ou que precisa de cuidados urgentes. Além disso precisamos tratar os pacientes com o máximo de humanidade, o máximo de respeito e, diria até, o máximo de carinho que pudermos”, observa o parlamentar.
 
Marcelo Veiga esteve com a presidente da Comissão de Odontologia Hospitalar, Drª Andrea Figueiredo e a odontóloga também destacou a importância de se ter cirurgiões-dentistas nas UTIs da Bahia, “Segundo pesquisas do Hospital Albert Einstein a inclusão do cirurgião-dentista na equipe multiprofissional do transplante de medula óssea foi capaz de diminuir por volta de 5 dias o tempo de internação. Reduziu em 50% a necessidade de morfina para controle da dor e apresentou duas vezes menos necessidade de alimentação parenteral, e diminuindo consideravelmente o risco de infecções bacterianas num ambiente de risco.”, complementou.

 

Ao Bahia Notícias, Veiga defendeu que o projeto deve reduzir os custos com saúde no estado. 
“Doenças na boca causam consequências à saúde que aumentam o tempo de internação do paciente. Dados técnicos.

 

Problemas na boca causa consecuencias que tem ficar mais tempo internado. Trouxeram dados técnicos mostrando isso foram mostrados pela comissão de odontologia”, revelou. 

Histórico de Conteúdo