'Foi a replicação da foto de alguém que considera isso arte', justifica Carlos Bolsonaro
Foto: Reprodução / Época

Criticado por compartilhar a imagem de um homem torturado junto a uma frase homofóbica, o vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (PSL), ressalta que não fez apologia à tortura. "Foi apenas a replicação da foto de alguém que considera isso uma arte. Me agradeçam por divulgar e não mintam como sempre", afirmou em postagem no Twitter.

O filho de Jair Bolsonaro (PSL) também compartilhou o perfil do artista que divulgou a imagem dentro do movimento "Ele não", que é contrário à eleição do deputado federal à Presidência da República. Mas a frase "sobre pais que choram no chuveiro", uma referência homofóbica, não fazia parte da postagem original (veja aqui).

 

Histórico de Conteúdo