Anuário da Segurança Pública cria 'factoides' em ano eleitoral, dizem SSP’s do Nordeste
Foto: Agência Brasil

As secretarias de Segurança Pública de estados do Nordeste fizeram nesta quinta-feira (9) um comunicado conjunto para criticar o Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado nesta quinta.  

 

Em nota enviada à imprensa, os órgãos disseram que o estudo teve a divulgação antecipada em 2018, ano eleitoral, como forma de gerar “factoides e autopromoções de oportunistas”. O posicionamento conjunto ainda insistiu em um argumento usado sempre que o levantamento é apresentado à sociedade: o de que as metodologias usadas para contabilizar homicídios são diferentes entre os estados. Por isso, não haveria como se produzir um ranking. 

 

“Sobre a pesquisa, importante lembrar a luta encampada pelo Nordeste para padronização da metodologia de contagem. O próprio Ministério da Segurança Pública ressaltou que somente desta forma será possível entender a real situação da violência nos estados e no país. Com alguns estados contando uma chacina com cinco corpos, como apenas uma ocorrência de homicídio, qualquer ranking criado é inverídico”, disse a nota. 

 

Segundo o levantamento, a Bahia foi o estado brasileiro que mais registrou mortes por crimes violentos em 2017, com 6.247 vítimas fatais (leia aqui).

Histórico de Conteúdo