Grupo faz novo protesto contra BRT; tráfego é lento em trecho da Av. Juracy Magalhães
Foto: Ailma Teixeira / Bahia Notícias

Em mais um ato contra a implantação do Bus Rapid Transit (BRT) em Salvador, um grupo de manifestantes se reuniu no canteiro da Av. Juracy Magalhães, por volta das 10h deste domingo (20). Como algumas pessoas ocuparam a faixa da esquerda da pista, o trecho da via que compreende o Mercado do Rio Vermelho ficou com o trânsito lento. O comandante da 35ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Iguatemi), o major Edmilton Reis, relatou ao Bahia Notícias que às 13h o grupo seguiu em caminhada na avenida, no sentido Rio Vermelho. O destino final é uma árvore no canteiro, onde devem encerrar o ato. Ao longo do protesto, eles distribuíram um panfleto com "sete motivos para não querermos o BRT em Salvador". Os manifestantes destacam o desmatamento provocado pela implantação do modal, avaliando o corte de 579 árvores; o tamponamento dos Rios Camarajipe e Lucaia e a impermeabilização do solo, que acreditam que possa causar ou agravar enchentes na região; o custo do BRT, apontado como o mais caro do Brasil, já que o projeto foi estimado em R$ 820 milhões; a construção de viadutos e elevados; o percurso da Lapa ao Iguatemi, ligação que já é contemplada pelo metrô; acusam o projeto de ter uma concepção atrasada; e apontam ainda que ele não foi suficientemente discutido com a sociedade. Em resposta, a prefeitura também divulgou uma lista, com suas 10 razões que visam explicar "porque Salvador precisa do BRT". Entre os pontos defendidos pela gestão municipal, estão a velocidade da viagem, prevista em 16 minutos devido à ausência de semáforos ou cruzamentos; o menor nível de poluição em comparação aos ônibus;  a previsão de investimentos para solucionar os alagamentos da região; e a integração com o sistema de ônibus e do metrô (saiba mais aqui).

 

O protesto deixou o trânsito lento em um trecho da Av. Juracy Magalhães | Foto: Google Maps

Histórico de Conteúdo