Cirurgiões se negam a fazer plantão de hospital e desistem de licitação, diz Sesab
Foto: Camila Souza/GOVBA

A Núcleo de Cirurgiões Pediátricos da Bahia Sociedade Simples ganhou uma licitação de R$ 4,1 milhões com o governo do estado, mas se recusa a assinar o contrato (veja mais). De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), o motivo para a desistência seria a obrigação dos plantões médicos serem presenciais. A empresa estaria cobrando que os plantonistas possam ficar em regime de sobreaviso, mesmo com o contrato prevendo que todos os escalados para os plantões devem estar presentes nos hospitais. O Núcleo de Cirurgiões Pediátricos da Bahia reúne quase todos os médicos dessa especialidade no estado e venceu uma concorrência para prestar atendimento de urgência e emergência aos pacientes que necessitam de cirurgia pediátrica e neonatal. O contrato com a Sesab chegou a ser publicado no Diário Oficial do Estado no último dia 4 de abril. A empresa é composta por 20 sócios, que receberiam o valor de R$ 4,1 milhões por 180 dias de trabalho, o equivalente a R$ 205 mil para cada médico. Cada um deles precisaria trabalhar apenas quatro plantões de 12 horas por semana. "Infelizmente, o modelo de contratação pretendido pelo Núcleo de Cirurgiões Pediátricos da Bahia foi considerado inaceitável, visto que garantiria privilégios que não são fornecidos a nenhuma outra especialidade médica contratada pelo estado. Lamentamos que a empresa queira vantajosidades em decorrência do fato de existirem poucos profissionais dessa especialidade na Bahia e assim, pressionar o poder público", criticou a Sesab, em nota.



Histórico de Conteúdo