Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Setor hoteleiro já demitiu mais de 6 mil funcionários em Salvador
Foto: Divulgação
O aumento de leitos para a Copa do Mundo e a redução do número de turistas com a crise econômica e o fechamento do Centro de Convenções gerou um forte impacto negativo no setor hoteleiro baiano. Ao Correio, o presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (Febha), Silvio Pessoa, contou que 18,4 mil leitos da capital baiana estão ociosos – quase metade dos 40 mil disponíveis. . “Até agosto, acumulamos 54% de ocupação. Ou seja, 46% dos quartos nos 404 hotéis estão vazios”, contou. De acordo com Pessoa, para os hotéis pagarem as contas, eles precisam de uma ocupação de 60%. Este seria um dos motivos que teria levado o Hotel Pestana Salvador, maior da cidade, a demitir mais de 100 empregados e a desativar nove andares. “O Pestana, assim como os outros 28 grandes hotéis da cidade, não está atingindo esse ponto de equilíbrio. A situação é crítica para todos, estamos escolhendo as contas que vamos pagar. Se a situação não melhorar, mais hotéis vão ter que demitir ou até fechar”, revelou ele. Segundo o Sindicato dos Empregados em Hotéis, Bares e Similiares (Sindhotéis), apenas em 2014 o setor demitiu 8.061 pessoas com mais de um ano de trabalho. Só até setembro deste ano, foram 6.549 dispensados.  “Estão demitindo agora sem pensar na alta estação, em que vão ter dificuldade para encontrar mão de obra qualificada. Estão detectando os salários mais altos, demitindo, e colocando pessoas com salários mais baixos ou terceirizados”, alertou José Ramos, presidente do Sindhotéis.

Histórico de Conteúdo