Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Domingo, 08 de Dezembro de 2013 - 07:55

PPS está próximo a Eduardo Campos e longe de Lídice em 2014

PPS está próximo a Eduardo Campos e longe de Lídice em 2014
Delegados votam em congresso nacional do PPS | Foto: Divulgação
O Congresso Nacional do PPS, realizado em São Paulo de sexta (6) a domingo (8), decidiu neste sábado (7) pela indicação de aproximação à pré-candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), à Presidência da República. Em mais de 10h de debates, dos 250 delegados do partido, 152 votaram a favor do início das conversações com os socialistas. Apesar de a sigla fazer oposição ao governo Dilma Rousseff, o apoio ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi retirado da pauta. Os entusiastas da união com os tucanos, a maioria do Rio de Janeiro e Minas Gerais, por temer derrota, endossaram a tese de candidatura própria do PPS, que recebeu 98 votos. “Esta indicação de nada interfere nos estados. Cada estado também vai se posicionar, inclusive, alguns estados já anteciparam não aceitar essa aproximação para uma aliança estadual”, explicou o presidente nacional do PPS e deputado federal Roberto Freire. De acordo com o comandante estadual da agremiação, o vereador de Salvador Joceval Rodrigues, não há, por exemplo, chance de adesão à candidatura da senadora Lídice da Mata ao Palácio de Ondina. "A Bahia é um estado onde a aproximação entre PPS e PSB é zero", descartou.

Histórico de Conteúdo