Auditores do TCE-BA são suspensos de cargos após se posicionarem contra indicação
Foto: Divulgação
Auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE) foram suspensos dos seus cargos. Segundo o Sindicontas-Bahia, Homero Faria da Matta Dourado foi punido na Corte com duas suspensões de dez dias cada: sozinho na primeira e também com Euvaldo Neves, Joselito Mimoso e Sidney Chaves, outros dirigentes sindicais. De acordo com a entidade, Homero liderava uma auditoria para investigar a incompatibilidade de acumulação de cargos públicos de professor universitário com outros postos e identificou um auditor do TCE que acumulava função de docente na Uneb e na Ucsal. “A carga horária de auditores do TCE é de 37 horas (Ato 39/94 da Presidência do TCE). A esta jornada, o auditor acumulava mais 40 horas na Uneb e 20 horas na Ucsal”, diz o texto. A segunda punição – contra Homero Dourado, Euvaldo Neves, Joselito Mimoso e Sidney Chaves – ocorreu por falta disciplinar no âmbito de suas laborais, porque os diretores do sindicato elaboraram uma nota pública contrária à indicação do auditor citado, no caso, Inaldo Paixão, para conselheiro, devido às possíveis irregularidades que eram apuradas.

Histórico de Conteúdo