Santaluz: Com contas rejeitadas, ex-prefeito diz que decisão usou prova ‘moralmente ilícita’
Joélcio Martins terá que devolver R$ 1 milhão aos cofres | Foto: Divulgação
O ex-prefeito de Santaluz, Joélcio Martins da Silva (PMDB), rebateu as acusações que resultaram na rejeição das suas finanças perante o Tribunal de Contas do Estado (TCE) em convênio celebrado entre a prefeitura e a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) no ano de 2003. Na decisão, a Corte determinou a devolução aos cofres públicos de mais de R$ 1 milhão, além de multa de R$ 6 mil devido à não comprovação da aplicação dos recursos relativos ao contrato firmado para a reforma e ampliação do Hospital Municipal Arlete Maron Magalhães. “A inspeção da obra pela Sesab foi feita em 2005, sendo acompanhada por prepostos do novo prefeito, sem que eu tivesse oportunidade me fazer presente aquele ato. Todos sabem das minhas divergências com o ex-prefeito que me sucedeu e do estilo daquele senhor, pelo que podem perfeitamente avaliar a isenção dos seus coligados na orientação aos representantes da Sesab quando estes vieram verificar a conclusão da reforma e ampliação do Hospital”, defendeu-se. O peemedebista acusa servidores ligados ao ex-prefeito Joselito Carneiro Júnior de esconder equipamentos adquiridos durante a sua gestão. “A decisão do TCE foi baseada justamente naquela inspeção, que é uma prova ilícita, porque dirigida por meus adversários. Assim, recorrerei mais uma vez a Justiça para defender a minha dignidade e restaurar a verdade dos fatos”, disse.

Histórico de Conteúdo